Arquivo

Archive for janeiro \31\UTC 2011

Simon entrega kit leiloado na campanha Apito do Bem

31/01/2011 1 comentário

Na última sexta-feira, dia 28, foi feita a solenidade de entrega do kit arrematado no leilão da Campanha Apito do Bem.

Durante o mês de dezembro de 2010 foi realizada a campanha Apito do Bem, uma bonita ação social que contou com a participação do grande árbitro Carlos Eugênio Simon e a Bandeira Eletrônica Refscall, para levantar fundos em pról do Instituto do Câncer Infantil do Rio Grande do Sul (ICI-RS).

Simon, o árbitro das Copas, teve sua despedida da arbitragem no confronto entre Fluminense e Guarani, que coroou o tricolor carioca como Campeão Brasileiro da temporada. O árbitro doou os equipamentos utilizados naquela partida para o leilão beneficente para arrecadar fundos para o combate contra o câncer infantil. Foram doados o apito, o par de cartões e bandeira eletrônica Refscall.

Na solenidade, Carlos Simon, juntamente com o assistente Altemir Hausmann, que também participou daquela partida, fizeram a entrega do kit ao jovem juíz de direito, doutor Paulo Farah, titular na cidade Pomerode (SC), que arrematou o prêmio leiloado. Farah é torcedor do Fluminense e um admirador do trabalho de Simon.

– “Sinto-me honrado e muito feliz em participar de uma causa social desta grandeza”, comentou o magistrado.

A campanha Apito do Bem surgiu de uma nobre iniciativa fruto da parceria entre Simon e a Refscall. O projeto arrecadou um total de R$ 6 mil, considerando o arrecadado no leilão e o apoio de empresas, que foram doados diretamente ao Insituto.

– “Não tive dúvida nenhuma em participar desta atividade social e agradeço ao magistrado por proporcionar, com sua colaboração, mais um desfecho feliz para nós da arbitragem gaúcha e para as crianças aqui do Instituto”, disse Simon.

Hausmann, que levou seus dois filhos para a solenidade, complementou: “Exemplos assim devem ser passados aos pequenos, pois desta forma eles aprendem a ver a vida com respeito e solidariedade”. Uma atitude digna, que mostra o exemplo de cidadania.

O doutor Cláudio Galvão, médico especializado em transplante de medula óssea e contratado do HC, explicou que e ICI-RS é uma entidade filantrópica, sem fins lucrativos, e, por isso, necessita “de doações e ações como essas que vocês executaram”.

Após os agradecimentos, o médico conduziu os visitantes para uma breve tour pelas dependências do Instituto. “Nosso trabalho está voltado para os casos de maior complexidade. Hoje somos uma referência para o tratamento do câncer infantil na América Latina. Atingimos um índice de cura de 70% nos casos atendidos. Com o apoio da sociedade e a parceria com o HC, esperamos atingir 100% de cura em nossos pacientes”, prospectou o doutor Galvão.

Logo após a cerimônia, a convite de Carlos Simon, o doutor Paulo Farah visitou a sede do SAFERGS, onde foi recepcionado pelo secretário de administração Carlos Castro. “Volto para Santa Catarina de coração contente por ter ajudado aquelas crianças e agradecido pelo carinho que recebi aqui da arbitragem do Rio Grande do Sul”, afirmou o magistrado, que nasceu em Cascavel (PR), mas escolheu o estado vizinho para construir sua carreira no judiciário estadual.

* com informações da assessoria de imprensa do SAFERGS

 

Anúncios

Instrutores paulistas na pré-temporada de Sergipe

A temporada 2011 do futebol profissional sergipano começa no dia 06 de feveiro e os árbitros já estão em pleno vapor. O presidente da Comissão de Arbitragem do estado, o Coronel Marcony Cabral, convocou todos os seu árbitros para os trabalhos de preparação para o ano que se iniciou.


A pré-temporada teve início no dia 8 de janeiro com a realização da uma avaliação física, comandada pelos professores Valmir Oliveira e Sérgio Dória, ambos da CEAF/SE, seguindo todo o protocolo do teste FIFA. E não parou por ai.

Instrutor paulista Roberto Perassi

No dia 24 as atividades retornaram com a realização  da abertura oficial, no Hotel Parque dos Coqueiros, com a presença do ilustríssimo presidente da Federação Sergipana de Futebol (FSF), senhor Carivaldo Souza. Em seguida houve uma dinâmica de grupo, conduzida pelas psicólogas Rania Knuper, Juliana Passos e Sirlene Teles.

Ainda no mesmo local, no dia 25, houve uma palestra do ex-árbitro CBF, o professor Carlos Roberto Dória, sobre confecção de súmulas e relatórios, seguido da avaliação teórica dos árbitros locais.

Quarta-feira, dia 26, a palestra foi sobre orientações gerais para observadores da CEAF, comandado pelo instrutor Roberto Perassi, de São Paulo, formando pela FIFA. Na parte da tarde hove o treinamento técnico e dinâmica de arbitragem para os árbitros e assistentes recém formados, comandado por Perassi e Márcio Verri Brandão, também de São Paulo. Ambos fazem parte do programa Árbitro Futuro III. O mesmo treinamento foi realizado para a ala feminina, conduzido pela ex-árbitra FIFA e diretora da escola de árbitros da Federação Paulista de Futebol, Silvia Regina de Oliveira.

Durante o período noturno, o promotor de justiça, doutor Deijaniro Jonas, falou sobre as inovações da lei 12.299/2010 – Novo Estatuto de Defesa do Torcedor. E para fechar o dia, o auditor do TJD da FSF, doutor Samuel Daud, palestrou sobre “o que deve saber o árbitro de futebol sobre a justiça desportiva”, suas obrigações e penalidades.

Silvia Regina e Márcio Verri são instrutores de São Paulo

Ontem, dia 27, os instrutores paulistas – Perassi, Verri e Silvia Regina – voltaram com o treinamento técnico e dinâmica de arbitragem para os árbitros e assistentes relacionados para a termporada 2011. E na data de hoje, os instrutores deram o treinamento conjunto para árbitros e assistentes.

No dia 29 de janeiro, sábado às 7hs Hotel Parque das Águas, haverá um trabalho de  preparação física coordenado pelo professor Sérgio Dória, seguido de  avaliação teórica.

O encerramento da pré-temporada está previsto para as 10h30 do sábado 29, com uma palestra de orientações gerais sobre o Campeonato Sergipano da Série A-1, proferida pelo Coronel Marcony Cabral, presidente da Comissão Estadual de Arbitragem de Futebol.

O sorteio do árbitros da primeira rodade do campeonato deve ocorrer na quinta-feira, dia 3 de fevereiro, no auditório do TJS, na FSF, após uma reunião com os árbitros.

Boa sorte aos árbitros de Sergipe!

Categorias:Notícia Tags:, ,

Árbitro gay sonha apitar primeira divisão do Ceará

Homossexual assumido, árbitro de 32 anos sonha em virar profissional e apitar na Primeira Divisão do futebol cearense

No fim da década de 80, no Rio de Janeiro, um árbitro passou a se destacar no futebol carioca. Jorge José Emiliano dos Santos ficou conhecido por conta de seu comportamento irreverente ao apitar as partidas – tanto ao marcar faltas e distribuir cartões, geralmente com gestos exagerados, quanto por um andar espalhafatoso pelo gramado. Apelidado de ‘Margarida’ e homossexual assumido, era considerado um juiz de bom nível técnico. Faleceu em 1995, aos 41 anos, vítima de complicações provocadas pela Aids, mas já estava no imaginário do futebol carioca. Quinze anos mais tarde, em Beberibe, município de aproximadamente 49 mil habitantes e a 75 quilômetros de Fortaleza, no Ceará, um outro homem do apito vem dando o que falar.

Valério Fernandes Gama, de 32 anos, não esconde de ninguém a sua opção sexual e é a atração da Liga Municipal Beberibense. Natural de uma família de oito irmãos, é o único a morar com seus pais. A mãe aceita a condição do filho, mas seu pai  desaprova. No entanto, o árbitro garante que a relação em casa é amistosa.

– Quem nasce homossexual, nasce homossexual, não é incentivado por ninguém. Com 15 anos assumi definitivamente minha opção sexual.

Se durante o dia cumpre seus afazeres e ajuda nas despesas da casa, à noite ele se transforma. Como se exorcizasse todos os fantasmas, se veste como se sente bem e conta como gosta de ser chamado ao sair para a balada.

– É um espírito que baixa. Eu me visto de mulher mesmo. Todos aqui me reconhecem à noite também. Gosto de ser chamado de ‘Laleska Valéria’. Sou o único que não faço programa, tenho minha vida normal. Alguns travestis, meus amigos, até me aconselharam a mudar de vida, fazer programa, ir para a Espanha, mas sou contra isso. Tenho amizade com eles, mas não concordo. Quero ter minha vida normal, respeitando opinião de todos.

O árbitro garante que, no campo, jamais foi desrespeitado pelos jogadores.

– No futebol, por incrível que pareça, nunca sofri nenhum caso de preconceito. Fora que, todos que não me conhecem, acham que sou mulher. Depois que descobrem que sou homem, ficam ainda mais espantados – revelou.

Entretanto, Valério não esconde que a cada jogo sofre com provocações de torcedores e que, inclusive, já deixou dirigentes irritados.

– Eu não ligo, pois são milhares de torcedores. Acontece sim, mas não pode nem dar ideia. Quanto a dirigentes, apenas discussão, pois eles acham que o time deles foi prejudicado, então discutem, acham que a gente errou. Mas depois, com a cabeça mais fria, até elogiam. Se não quiser encarar, não vai para o campo. Encaro, de qualquer forma, de todo o jeito.

Em uma oportunidade, para Valério, sobrou até um puxão de cabelo.

– Uma vez aconteceu de um torcedor puxar meu cabelo, mas depois, no dia seguinte, encontrei-o na rua, fazendo compras aqui em Beberibe. Fui conversar com ele, que se arrependeu e pediu desculpas. Mas tem vezes que dá vontade de dar uns cascudos sim, revidar.

Aos16 anos, Valério tomou gosto pelo futebol ao acompanhar a Seleção Brasileira na conquista do tetracampeonato mundial, em 1994, nos Estados Unidos. No entanto, se tornou árbitro graças à sua baixa estatura.

– Entrei no futebol para ser goleiro. Comecei no Abec (Associação Beberibense Esporte Clube), mas era muito baixo. Um dia teve um jogo entre a minha equipe e um time que se chama Caetano, pelo Campeonato Municipal de Beberibe, e eu era o terceiro goleiro. Mas o árbitro faltou. Então o treinador do meu time, Jorge Farias, pediu para que eu apitasse. Não sabia regra nenhuma, mas ele foi me orientando. A partir daí me interessei por arbitragem e passei a aprender as regras, inclusive com amigos juízes formados.

Grato ao prefeito de Beberibe, Odivar Facó, de quem recebeu a primeira oportunidade de apitar, Valério sonha em entrar para o quadro profissional da Federação Cearense de Futebol e arbitrar na Primeira Divisão estadual.

– Sou da Federação de Beberibe. No momento, só apito partidas amadoras, ainda não fiz o curso de arbitragem, pois a verba é alta, mas pretendo conseguir este ano. É mais ou menos uns dois mil reais, aqui no Ceará.

Coordenador de projeto social fora dos gramados

Fora das quatro linhas, Valério é funcionário da prefeitura local. Vestido a caráter, como faz questão de ressaltar, coordena projeto social voltado para o turismo, uma vez que Beberibe é uma cidade litorânea com belas praias e dunas.

– Todos conhecem minha vida, minha história, e me respeitam. Não há preconceito. Coordeno jovens guias turísticos mirins. O nome é ‘Projeto Jovem Guia’. Durante meu trabalho na prefeitura, me comporto e me visto como homem.

Autor: Marcello Carrapito
Fonte: Globo Esporte
Link: http://globoesporte.globo.com/futebol/noticia/2011/01/valerio-de-dia-laleska-noite-conheca-historia-do-juiz-de-beberibe.html

Categorias:Notícia

Final da Asian Cup Catar 2011 dirigida por Ravshan Irmatov

27/01/2011 2 comentários

Nomeado como o melhor árbitro da Ásia, Ravshan Irmatov do Uzbequistão, foi o árbitro indicado para dirigir a final do AFC Asian Cup Qatar 2011™ entre as equipes da Australia e Japão. O jogo será realizado no dia 29 de Janeiro no Khalifa Stadium.


A equipe de arbitragem será assim constituída:

Árbitro: Ravshan Irmatov (UZB)
Árbitros Assistentes: Rasulov Abdukhamidullo (UZB), Ilyasov Rafael (UZB)
4º e 5º árbitros: Subkhiddin Mohd Salleh (MAS), Mu Yuxin (CHN)

Para o encontro onde se decide o 3º e 4º classificados foi nomeado o árbitro Abdul Malik Bin Abdul Bashi de Singapura. O encontro será realizado no dia 28 no Al Sad Stadium entre as equipes do Uzbequistão e da Coreia do Sul.


A equipe de arbitragem será assim constituída:

Árbitro: Abdul Malik Bin Abdul Bashir (SIN)
Árbitros Assistentes: Goh Gek Pheng Jeffrey (SIN), Haja Maidin Bin A P Peer (SIN)
4º e 5º árbitros: Abdulrahman Mohammed A M Hussain (QAT), Mohd Sabri Bin Mat Daud (MAS)

Consulte a relação de todos os jogos e respectivas equipes de arbitragem aqui.

Fonte: Refereetip / AFC Asian Cup

Categorias:Notícia Tags:, ,

Luxemburgo opina sobre as inovações da arbitragem no Carioca 2011

Após palestra realizada pela Comissão de Ensino da COAF-RJ aos jogadores do Flamengo, no último dia 18, no Hotel Windsor, o técnico Vanderlei Luxemburgo (foto) concedeu uma entrevista aos membros da Comissão.

Nela, o treinador rubro-negro analisou as inovações implantadas pela COAF como os Árbitros Adicionais atrás dos gols, o Técnico de Arbitragem e o Tempo Técnico Obrigatório no futebol do Rio de Janeiro:

-“O árbitro atrás de cada gol ajuda o árbitro principal a perceber aquilo que ele não consegue ver.” – disse Luxemburgo.

Confira a entrevista do treinador:  Link para downloadLink da página da FERJ

Assessoria de Imprensa: Uruan Júnior/ Agência FERJ
Foto: Alexandre Loureiro/ VIPCOMM
Vídeo: Marco Vinicio Trindade/ Agência FERJ

Fonte: FERJ
Link: http://www.fferj.com.br/2009/noticias/index.asp?idnoticia=5247

Categorias:Notícia

Anaf realizará assembleia para projetar 2011

No dia 29 de janeiro de 2011 a Anaf convoca seus associados para uma assembleia de trabalho, em Florianópolis, visando preparar a entidade para o ano em vigor. Na ocasião será definido, entre outros temas, o local da assembleia geral que será realizada no mês de abril.

A convocação foi publicada no Diário Oficial da União em 10 de janeiro conforme imagem abaixo.

Somente as despesas em Florianópolis (alimentação, transporte interno e estadia) serão custeadas pela Anaf. Já na assembleia geral, em abril, todas serão pagas pela entidade.

Confirmar presença pelos telefones (48) 3248-9958 ou (48) 9953-6407 ou pelo e-mail martins@ccj.ufsc.br.

A Anaf conta com a presença de todo seu quadro associativo.

Fonte: ANAF
Link: http://www.anaf.com.br/noticias/57?2f9c29a8fd63469819ccac220f35b8d6=496155fbedf3abdddbd3814b753cffcd

Categorias:Notícia Tags:, ,

Cresce interesse das mulheres pela arbitragem

Interesse das mulheres pela arbitragem cresce, mas 63% desistem antes do início da carreira

O interesse feminino pela arbitragem tem crescido nos últimos anos, mas não o suficiente para superar as dificuldades do início de carreira dos profissionais do apito.

Na década passada, 70 mulheres entraram na escola de formação de árbitros e assistentes da FPF (Federação Paulista de Futebol), mas só 38 conseguiram concluí-la. O índice feminino de desistência tem crescido junto com o aumento da procura.

Maria Eliza é assistente do quadro da FIFA

Entre 2005 e 2009, nas quatro últimas edições já encerradas do curso, houve a inscrição de 49 mulheres. Deixaram a escola antes de receber o diploma 31 delas. Ou seja, 63,26% das aspirantes a árbitras e bandeirinhas acabaram desistindo da carreira antes mesmo de iniciá-la. No mesmo período, o índice masculino de desistência parou nos 37,8%.

“A arbitragem é uma atividade nova para a mulher, que a deixa curiosa”, afirma o presidente do Sindicato dos Árbitros de Futebol de São Paulo, Dárcio Pereira. “Mas muitas não sabem como o processo funciona, que vão passar por testes, apitar jogos menores. E tem as que começam a namorar, que se casam…”, diz ele.

“Você precisa gostar demais para continuar”, adiciona a auxiliar Maria Eliza Barbosa, do quadro da Fifa. A bandeirinha lembra que outras duas mulheres se formaram com ela na turma de 2001, ambas já desistiram.

Formada em 2006, a também auxiliar Graciana Paganin ainda não abandonou os planos de trabalhar com o apito, mas admite que essa não é sua prioridade. Ela ficou grávida no ano passado, enquanto treinava para os testes físicos necessários para ingressar na FPF.

“A mulher tem que tomar conta de casa, trabalhar, dar atenção aos filhos. Ela precisa abrir mão de muita coisa para ser árbitra. Eu não consegui isso”, disse Graciana. Ela busca agora conciliar os treinos e os cuidados com um bebê de dois meses.

O alto número de desistências se reflete no pequeno quadro feminino da FPF. A federação paulista conta hoje com 18 auxiliares mulheres e três árbitras. Entre as árbitras, apenas uma está apta a trabalhar na Série A-1.

Regildênia de Holanda Moura, a única árbitra credenciada, participou das duas primeiras rodadas do Paulista como árbitra assistente adicional, que se posiciona atrás da linha de fundo, novidade do Estadual-2011. Outras três mulheres trabalharam nas rodadas inaugurais, como bandeirinhas. Apesar da adoção dos dois árbitros extras por jogo, não há perspectiva de aumento no aproveitamento feminino.

“A curto prazo, não dá para aumentar. Ainda temos que prepará-las para isso. Duas das nossas árbitras ainda têm que comprovar capacidade”, afirmou o chefe da comissão de arbitragem da FPF, Marcos Marinho. “A exposição na Série A-1 é maior que na A-2. Elas precisam estar no ápice técnico.”

Graziele Crizol é muito requisitada em jogos festivos

Para engordar o orçamento, bandeirinha Graziele Crizol atua em jogos-festa. Distante da elite do apito, a bandeirinha Graziele Crizol, 31, encontrou uma forma alternativa de ganhar dinheiro na carreira que escolheu. A auxiliar de arbitragem, que trabalha em jogos de divisões inferiores e categorias de base, atua também em jogos festivos e corporativos.

“Tem jogo-festa todo fim de semana. Ele traz um retorno financeiro maior do que as partidas oficiais”, afirmou Graziele, que se recusou a revelar seu cachê, a FPF paga R$ 475 por jogo na Série A-2.

Com foco na carreira alternativa, ela criou um site para “facilitar o contato com as empresas interessadas”. Nas fotos, aparece em poses que em nada lembram a rigidez de um profissional do apito.

“Sou um produto. Em jogos de empresa, tenho que me mostrar como pessoa também. Para esse trabalho, não preciso ser sexy. Mas ajuda ser bonita”, afirmou.

Segundo Adilson Leonardi Lima, gerente esportivo da Elos Cross Marketing, beleza não é critério de contratação.

“Vendemos a sensação de que nossos clientes são jogadores por um dia.

Por isso, contratamos árbitros profissionais. Normalmente, colocamos árbitros homens e bandeirinhas mulheres para dar um charme”, diz.

Fonte: Folha de São Paulo
Link: http://www1.folha.uol.com.br/esporte/864653-interesse-das-mulheres-pela-arbitragem-cresce-mas-63-desistem-antes-do-inicio-da-carreira.shtml

%d blogueiros gostam disto: