Arquivo

Archive for julho \25\UTC 2012

Valdívia atropela assistente

O Palmeiras venceu o Náutico por 3 a 0 na Arena Barueri, e a partida teve um lance inusitado. O meia chileno Valdivia atropelou o auxiliar da partida. Ossos do ofício e algumas dores ao longo da semana para o bandeirinha. Esta é pra ficar na memória de quem sofre. Valdivia pode até esquecer, mas para o assistente será bem difícil.

Anúncios
Categorias:Humor, Video

Árbitro comenta sobre expulsão de D’Alessandro

Marcelo Aparecido de Souza expulsou meia colorado e descreveu na súmula como uma peitada a ação que originou o cartão vermelho.

Marcelo Aparecido de Souza, 39 anos, 12 deles como árbitro de futebol, expulsou o meia colorado D’Alessandro na derrota do Inter para o Atlético-MG em uma jogada polêmica. Após falta dura do meia colorado em Leandro Donizete, o camisa 10 recebe o cartão amarelo e vai ao encontro do árbitro para reclamar da advertência.

Na súmula, segundo Souza — seis anos no quadro de árbitros da CBF — declarou que aos 38 minutos do primeiro tempo, “o jogador Andrés Nicolas D’Alessandro, após ser advertido com cartão amarelo, partiu em minha direção me atingindo de forma proposital com uma peitada e proferiu as seguintes palavras (‘Está louco, maluco’). Imediatamente expulsei o referido com cartão vermelho direto.”

O “peitaço”, palavra escrita a punho por Marcelo Aparecido de Souza, pode tirar argentino do Brasileirão, uma vez que o camisa 10 do Inter pode ser enquadrado no artigo 254-A, cuja pena, para casos de agressão a membros da equipe de arbitragem, é de 180 dias.

zhEsportes — O senhor considera o que ocorreu como uma agressão?

Marcelo Aparecido de Souza — Não sei se é considerada uma agressão, mas ele me dá uma peitada, sim. E de forma proposital. Se não fosse proposital ele me pediria desculpas, da mesma forma que pediu para o jogador. Claro, o fato de pedir desculpas não isentaria o amarelo, mas o vermelho foi dado devido à peitada, não à reclamação.

zhEsportes — Na súmula da partida, o senhor declara ter sido proposital.

Souza — Exatamente. Não sei dizer a força que isso vai mostrar na televisão, mas houve peitada. Se eu aceito uma peitada de um jogador, perco o controle da partida. Ele me dá uma peitada, estávamos próximos a jogadores do Atlético-MG. Se eu aceito dele, todo mundo vai me peitar.

zhEsportes — E é possível ouvir claramente “Está louco, maluco” como o senhor escreve na súmula?

Souza — Tanto que no momento da expulsão, quando se aproximam os jogadores do Inter, ele tira o protetor bucal para falar comigo. Ele queria se explicar e, então, tirou o protetor.

zhEsportes — Esta frase tem ligação com a expulsão?

Souza — Quando o jogador lhe fala coisas no meio do jogo, o árbitro até releva. O futebol envolve emoção. É coisa do momento. O problema não foi a frase, foi a peitada. Os jogadores do Inter ainda vieram contestar, mas e eu disse “ele me deu uma peitada, Bolívar”.

Autor Alexandre Ernst
Fonte: Zero Hora

Categorias:Notícia Tags:

Gandula mirim invade campo e causa lance raro

Esse é um daqueles lances que, se acontece em jogo do seu time, você perde a linha. Mas, como foi na Ucrânia, a gente pode dizer que as imagens são “divertidas”.

Na partida entre Dnipro Dnipropetrovsk e Tavria, um gandula mirim se apressou ao repor a bola. Na verdade, ao ver que a bola não ia sair pela lateral, ele invadiu o campo e deu um toque na pelota, deixando o bandeirinha louco da vida e protagonizando um verdadeiro drible em um dos jogadores.

O assistente, acertadamente, indicou ao árbitro que o lance era ilegal. Bola ao chão e segue o jogo…

VEJA O VIDEO.

Fonte: UOL Esporte

Categorias:Notícia

Sandro Meira Ricci apita a final da Copa do Brasil

Em sorteio realizado no início da tarde da última segunda-feira, a CBF definiu o trio de arbitragem da segunda partida da final da Copa do Brasil, entre Coritiba e Palmeiras e vai ser disputada na próxima quarta-feira, dia 11, no estádio Couto Pereira, às 21h50m (horário de Brasília). O dono do apito será Sandro Meira Ricci (DF), que terá como auxiliares Carlos Berkenbrock (SC) e Alessandro da Rocha Matos (BA).

Na última quinta-feira, o Verdão venceu o Coxa por 2 a 0 e abriu boa vantagem para a partida de volta. Na ocasião, a arbitragem de Wilton Pereira Sampaio causou bastante revolta nos paranaenses, que reclamaram bastante da penalidade marcada em Betinho, no primeiro tempo, e da falta dentro da grande área não marcada em Tcheco, na segunda etapa.

Na sexta-feira, o gerente de futebol do Verdão, César Sampaio, convocou a imprensa para rebater insinuações de jogadores do Coritiba, que acusaram os paulistas de serem favorecidos na partida. Por outro lado, Vilson Ribeiro de Andrade, presidente do Coxa, rebateu o cartola e criticou a postura palmeirense.

Com a vitória por 2 a 0, o time do técnico Luiz Felipe Scolari entra em campo no Couto Pereira com a vantagem de poder empatar e até perder por um gol de diferença para ser campeão. Até uma derrota por dois gols – caso o Verdão marque no Paraná – dá o bicampeonato aos paulistas. Já o Coritiba precisa de uma vantagem de três gols para ficar com a inédita conquista no tempo regulamentar. Novo placar de 2 a 0, agora a favor do Coxa, leva a decisão para as cobranças de pênaltis.

Fonte: Globo Esporte

FIFA aprova uso da tecnologia para o gol

A FIFA anunciou que a tecnologia vai entrar em campo a partir do Mundial de Clubes-2012. Foi aprovado pela International Board (órgão que regulamenta o futebol) o uso do recurso eletrônico para confirmar se foi gol ou não. A bola terá um chip e o aviso se a bola entrou ou não será enviado ao árbitro por um sistema de antenas.

O recurso será utilizado pela primeira vez no torneio no Japão, no fim do ano, com a presença do Corinthians, campeão da Libertadores 2012, e o Chelsea, atual campeão da Champions. Depois, será utilizado na Copa das Confederações-2013 e na Copa do Mundo-2014, ambos no Brasil. Foram nove meses de avaliações em partidas na Inglaterra, Alemanha, Hungria e Itália.

Esta é uma mudança de rumo marcante na história de 127 anos da entidade, que não permitia o uso do recurso com a alegação de que isso tiraria a semelhança da modalidade com a vida e lhe tornaria sem sentimentos, pela precisão que passa a ter e o consequente fim de discussões – que serve para aumentar o envolvimento do torcedor no jogo.

O presidente da FIFA, Joseph Blatter, foi contra durante anos, mas mudou a opinião pelos protestos por erros principalmente na Copa do Mundo-2010, na África do Sul, e na última Euro-2012, na Ucrânia e na Polônia.

Os jogos de futebol também poderão ter também cinco árbitros (um principal mais quatro auxiliares – um em cada fundo de campo e um em cada lateral do campo).

E o uso do véu nas partidas entre as mulheres também foi permitido. Isto era uma exigência dos países islâmicos, já que a peça é parte de sua rotina.

DOIS SISTEMAS

A marcação do gol pela tecnologia poderá feita de duas maneiras neste momento, segundo a FIFA.

No método GoalRef, a tecnologia é por campo magnético. O sistema cria uma estrutura de ondas de rádio equivalente a uma cortina de luz – baixos campos magnéticos são produzidos em volta do gol. Assim que a bola com o chip cruza a linha completamente é detectada uma pequena alteração no campo magnético e o sinal de confirmação de gol (vibração e mensagem no relógio) é enviado ao árbitro, inclusive permitindo determinar a posição exata da bola.

O outro sistema é o Hawk-Eye, com tecnologia da linha do gol utilizando câmera. Utiliza de seis a oito câmeras de alta velocidade, posicionadas em ângulos diferentes em cada uma das extremidades do campo, para calcular a posição exata da bola. As informações das câmeras são transferidas para um software de vídeo e, a partir desses dados, o sistema gera uma imagem gráfica (3D) da trajetória da bola. Em menos de um segundo, o árbitro e sua equipe são informados sobre a ocorrência ou não do gol.

Para usar, o interessado (organizador da competição, clube ou operador do estádio) depende da obtenção do licenciamento dos métodos pela entidade mundial, processo que começa a partir de agora. É preciso instalar no estádio e pedir a aprovação da FIFA. Só após o teste no local é que ele está liberado para uso. O custo de cada método não foi divulgado.

Fonte: Folha de SP

Categorias:Notícia Tags:, , ,

Wilmar Roldán apita grande final da Libertadores

Colombiano Wilmar Roldán mostra cartão ao volante Leandro Somoza, do Boca Jrs.

Quando apitar o início do jogo entre Corinthians e Boca Juniors em São Paulo na partida que irá decidir a competição de 2012 da Copa Libertadores, o colombiano Wilmar Roldán escreverá seu nome num grupo seleto de árbitros que tiveram a honra de apitar uma partida decisiva da maior competição entre clubes da América.

O colombiano Roldan estará juntamente com os árbitros assistentes Abraham Gonzalez e Humberto Clavijo, e com José Buitrago como quarto árbitro, todos seus conterrâneos.

O juíz será o responsável por dirigir a 53ª final da libertadores da américa sendo o 39º árbitro a ter esta decisão no currículo. Depois da “era” Oscar Ruiz (que dirigiu 3 finais da competição – 02, 07 e 10) Wilmar assumiu o posto de número 1 colombiano e será o 4º árbitro desse país a frente de uma final (além dele e Ruiz, JJ Torres em 1992 e Omar Delgado em 1969). Uma façanha para o jovem e talentoso árbitro de 32 anos.

A arbitragem brasileira não dirige uma final desde 1991 quando José Roberto Wright apitou a segunda decisão de sua carreira na vitória do Colo Colo sobre o Olimpia por 3×0. Aliás, José Wright foi o único brasileiro que comandou duas finais, além da de 1991, ele esteve à frente da decisão de 1986 entre River Plate e América de Cali. Além dele somente mais 2 árbitros do Brasil apitaram finais: José Faville Neto (1972) e Arnaldo Cezar Coelho (1988).

Os árbitros argentinos são os recordistas em finais com 11 decisões apitadas, seguidos pelos chilenos (9 finais), peruanos (8 jogos), paraguaios (7 decisões), colombianos (6 com a deste ano), uruguaios (5 finais), brasileiros (4) e com uma final venezuelanos, holandeses (1962) e franceses (1963).

Estatísticas de Roldan na Libertadores 2012

Número de jogos: 8
Cartões amarelos: 53 (17 – 26) média de 5,4 por partida
Cartões vermelhos: 4 (0 – 4) média de 0,50 por partida
Faltas marcadas: 174 (85 – 89) média de 21,7 por partida

%d blogueiros gostam disto: