Arquivo

Archive for maio \30\UTC 2014

Árbitros e jogadores foram contatados para manipularem jogos da Copa, diz Fifa

fifa_ralfO chefe de segurança da Fifa, Ralf Mutschke, afirmou nesta quinta-feira que alguns árbitros e jogadores foram contatados por pessoas interessadas em manipular resultados de partidas da Copa do Mundo de 2014.

De acordo com Mutschke, as partidas passíveis de manipulação são aqueles com algo em jogo, como os duelos finais da fase de grupos.

“Não estamos esperando que as pessoas que manipulam viajem para o Brasil e batam na porta dos jogadores ou dos juízes, mas sabemos que alguns foram procurados”, afirmou o executivo à BBC.

Mutschke, que foi policial e executivo da Interpol, afirmou que a Fifa acompanha de perto algumas seleções, mas disse que não poderia revelar quais são elas.

“Não posso falar quais são as seleções ou os grupos, mas posso dizer que a Inglaterra (grupo D, ao lado de Itália, Costa Rica e Uruguai) não está na chave de maiores riscos”, declarou.

Na última terça-feira, a partida entre Nigéria – que estará na Copa do Mundo – e Escócia ficou sob suspeita por causa de uma possível manipulação de resultados. O jogo terminou 2 a 2.

Fonte: ESPN

Categorias:Notícia Tags:, ,

Paulo César de Oliveira vira comentarista da TV Globo

O árbitro Paulo César de Oliveira anunciou nesta quinta-feira sua aposentadoria nos gramados. Mas o agora ex-juiz fará sua estreia como comentarista de futebol pela TV Globo, neste domingo.

pc-olieira

Paulo César de Oliveira vai participar da transmissão da partida entre Sport x Corinthians ao lado do ex-jogador e comentarista Walter Casagrande e do narrador Alex Escobar.

O jogo válido pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro será exibido pela TV Globo para os Estados de São Paulo e Sergipe, além das cidades de Caruaru e Petrolina, em Pernambuco.

Nascido em Cruzeiro, no interior de São Paulo, Paulo César de Oliveira fez parte do quadro da FPF nos últimos 20 anos. Como árbitro, ele apitou decisões de Estaduais, partidas da Libertadores e alguns jogos internacionais.

Fonte: UOL Esporte

Árbitro Paulo César de Oliveira encerra sua trajetória nos gramados

paulocesaroliveira_reuChegou ao fim a trajetória de um dos principais árbitros dos últimos tempos do futebol brasileiro. Na tarde desta quinta-feira (22), Paulo César de Oliveira, 40, esteve na Federação Paulista de Futebol para anunciar o fim de sua carreira como árbitro. Em seu currículo, o profissional tem finais de Campeonatos Paulistas, jogos decisivos de Libertadores e Campeonato Brasileiro, além de partidas internacionais.

Natural de Cruzeiro, interior de São Paulo, Paulo César de Oliveira iniciou sua carreira no futebol amador em 1991, a convite de seu professor de Educação Física. No ano seguinte ingressou na liga local apitando o campeonato amador e o campeonato rural. Em 1994 Paulo César de Oliveira iniciou o curso de arbitragem na escola Flávio Iazzetti. “Completei, em 2014, 20 anos aqui na Federação Paulista, que eu sempre digo faz parte da minha vida, da minha família”, contou.

Satisfeito com sua carreira, o agora ex-árbitro destacou que realizou todos seus sonhos dentro de campo. “Foi uma trajetória vencedora, onde consegui galgar tudo aquilo que sonhava na minha carreira. Comecei em 1996 e cheguei ao quadro da primeira divisão, de forma definitiva, em 1997. Já em 1999 ingressei no quadro internacional. Passei todo esse tempo representando a arbitragem paulista como árbitro FIFA”, lembrou orgulhoso.

Dentre todas as partidas que apitou, Paulo César destacou o jogo mais especial de sua carreira. “Sou um abençoado, pois tive a oportunidade de trabalhar em muitas finais de campeonatos paulistas e em jogos de outros estados, até porque a arbitragem paulista é uma grande referência. Fiz final de Copa do Brasil, jogos decisivos de Campeonato Brasileiro e Libertadores, porém o jogo que mais me marcou foi o amistoso entre Brasil e Haiti, em um jogo da paz, onde tive o orgulho de apitar aquele jogo”, relembrou.

Cenário da arbitragem

Experiente, Oliveira comentou o atual momento da arbitragem paulista e nacional. “A arbitragem passa por um grande momento de renovação do quadro, pois se você por analisar perdemos ótimos árbitros em pouco tempo. Como exemplo, temos o Simon, o Leonardo Gaciba, que migrou para a função de comentarista, o Sálvio Espínola, que encerrou sua carreira, Wilson Seneme, que integra a comissão de árbitros da Conmebol e eu que estou parando nesse momento”, disse.

No entanto, Paulo César confia na nova geração de árbitros formados pela Escola Fávio Iazzetti. “A Federação Paulista de Futebol tem um grande quadro de árbitros e temos grandes nomes que vão manter a tradição da nossa arbitragem, como o Luis Flávio, Raphael Claus, Guilherme Ceretta e outros”, explicou.

Copa do Mundo

Já no cenário internacional, Paulo César de Oliveira acredita que a arbitragem do mundial tem tudo para ser melhor que nas últimas Copas. “Espero um trabalho muito bom, pois a FIFA vem monitorando o trabalho dos árbitros desde 2009 em todas as competições. O grande intuito é a proteção ao craque, aquele que sabe jogar, onde o Brasil tem vantagem, pois nossa seleção tem grandes jogadores. Além do Fair Play e o respeito à regra. Acredito que o nível tende a ser melhor que nas outras Copas”, finalizou.

Fonte: FPF

Categorias:Notícia Tags:, , ,

Primeiro jogo da Copa será um desafio, diz Sandro Ricci

Em entrevista à Folha, o árbitro disse que chegará ao Mundial no melhor das suas condições físicas graças ao planejamento que cumpre com um educador físico e um fisioterapeuta há quatro anos.

Ricci terá como auxiliares na Copa do Mundo Emerson de Carvalho e Marcelo Van Gasse.

O trio apitou a final do Mundial de Clubes da Fifa, realizada no dia 21 de dezembro, quando o Bayern de Munique sagrou-se campeão ao vencer o Raja Casablanca, do Marrocos.

Ricci já processou o atacante Neymar, do Barcelona, depois de o jogador ter feito insinuações em uma rede social de que o árbitro teria prejudicado sua ex-equipe, o Santos, em uma partida, em agosto de 2010. Neymar foi condenado pela Justiça a pagar R$ 15 mil.

Em 2010, Ricci marcou um pênalti em cima do ex-atacante Ronaldo durante um jogo entre Corinthians e Cruzeiro no Pacaembu. O lance gerou muita reclamação do time mineiro.

No último domingo (18), o árbitro expulsou o atacante Fred durante o jogo entre Grêmio e Fluminense, pelo Campeonato Brasileiro.

Além do árbitro e assistentes brasileiros, a Fifa definiu mais 24 trios de arbitragem e oito duplas de apoio, representando 44 países diferentes, para a Copa do Mundo.

FolhaO que você sentiu ao receber a notícia de que seria o árbitro brasileiro na Copa?

Foi emocionante. A sensação foi de que o esforço que despendi para construir minha carreira como árbitro ganhava, com essa distinção, com esse reconhecimento, ainda mais sentido. Amo o futebol, adoro ser árbitro e essa notícia foi muito bem-vinda, um presente que, sei muito bem, é merecido. Quando decidi fazer o curso para árbitro, não pensava que um dia poderia chegar a atuar numa Copa do Mundo. Primeiro foram os campeonatos amadores, depois jogos de categorias com atletas mais jovens, então vieram os campeonatos estaduais, depois os nacionais e, aí, as partidas internacionais. Entendo que o chamado da Fifa para que eu represente a arbitragem brasileira na Copa é consequência de um processo que vivo no dia a dia, o resultado do trabalho, da dedicação, do apoio que recebo da minha família e dos meus amigos.

Onde estava quando recebeu a notícia? Sozinho ou acompanhado? Foi pelo telefone ou pessoalmente? Como aconteceu?

Em janeiro último, voltava de férias com minha família. Estava num táxi, saindo do aeroporto rumo à nossa casa. Por meio do telefone celular, acessei minha caixa postal eletrônica e vi a mensagem vinda da Fifa. Estava sentado no banco ao lado do motorista e, depois de saber qual o conteúdo do e-mail, imediatamente me virei para compartilhar a notícia com minha esposa e minhas duas filhas, que usavam o banco de trás do carro. Como resposta, recebi os cumprimentos, sorrisos e carinhos. “Você merece”, foi a primeira frase que ouvi da minha mulher, algo que nunca vou esquecer porque veio de quem, além de testemunha do meu esforço, participa ativamente da minha carreira. Mesmo minha garota caçula, com menos de 3 anos, se contagiou com nossa alegria.

Qual você acredita que será seu maior desafio na Copa do Mundo?

Entendo que estou bem preparado para atuar nos jogos. Chegarei no torneio no melhor das minhas condições, graças ao planejamento que cumpro sob as orientações de um educador físico e de um fisioterapeuta há mais de quatro anos. Portanto, confio que estou à altura do desafio que é representar a arbitragem brasileira na competição mais importante do mundo. Considero que o primeiro jogo será um desafio. E atuação do trio de arbitragem brasileiro nessa partida será determinante para que, se for o caso, venha a próxima oportunidade, o próximo desafio.

O que significa para você ter sido escolhido para apitar uma Copa em casa?

Sem dúvida, é especial. Imagine o que é representar a arbitragem do Brasil, país famoso no mundo inteiro pelo seu futebol, na maior competição desse esporte. Levo comigo a boa reputação dos colegas que me antecederam e que ajudaram a construir a imagem de respeito que a arbitragem brasileira desfruta hoje, no mundo inteiro. O fato de atuar em casa, sim, significa uma responsabilidade. Por exemplo: eu e os dois assistentes brasileiros, o Emerson Carvalho e Marcelo Van Gasse, serviremos de referência para os árbitros que virão de fora. Nos cursos promovidos pela Fifa, pudemos sentir isso: tivemos que responder a diversas perguntas sobre o nosso País. Por outro lado, estar no Brasil, para o trio brasileiro, significa também o bônus de poder ficar perto de casa, da família e dos amigos. E considero isso muito importante.

Qual sua expectativa sobre o Mundial?

Sinto que, conforme o torneio se aproxima, o clima de Copa do Mundo vai naturalmente ganhando força. E, como a competição será aqui, acredito que isso vai ser ainda mais intenso do que nas outras edições. Imagino que logo nós encontraremos ruas enfeitadas, muros pintados, pessoas com camisetas, carros com bandeiras. O evento é uma festa, será uma oportunidade especial para o brasileiro se mostrar como o povo alegre e acolhedor que é para todo o mundo. Portanto, tenho a melhor expectativa e acredito que tudo correrá bem. Essa será a melhor Copa de todos os tempos.

O que está fazendo de diferente para se preparar para a Copa?

O processo de escolha dos árbitros que atuam na Copa do Mundo começa logo depois que acaba a Copa do Mundo anterior. Ou seja, desde 2010, a Fifa observa o desempenho dos árbitros para orientar a escolha daqueles que vão atuar nesta próxima Copa. Do mesmo modo, eu tenho me preparado, ou seja, minha preparação não começou recentemente. Há mais de quatro anos decidi buscar a orientação de um educador físico e de um fisioterapeuta. Agora, fica evidente que o trabalho desses dois profissionais me rendeu um diferencial. Além de prevenir os prejuízos que o desgaste físico poderia provocar nas minhas tomadas de decisão, estou menos sujeito a lesões. Nos últimos meses, firmei parceria com a Academia Body Tech para poder dispor de uma infraestrutura profissional, fundamental para o rigoroso cumprimento do planejamento que o educador físico, o fisioterapeuta e eu fizemos. Isso desde logo depois da notícia da escolha do meu nome pela Fifa. E consigo seguir uma rotina de preparação inclusive quando estou viajando para atuar em jogos. Assim, trabalho para estar pronto. E logo que for escalado, me apresentarei, junto com a dupla de assistentes, nas melhores condições.

Fonte: Folha

Categorias:Notícia Tags:, ,

Árbitro relata confusão entre gandula e médico na Série B

A confusão entre um gandula da Ponte Preta e o médico do Vila Nova Bernardino Santi foi citada pelo árbitro baiano Manoel Nunes Lopo Garrido na súmula da vitória da Macaca por 1 a 0 na noite desta terça-feira, no Majestoso, em Campinas, pela sexta rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

gandula-tapa-medico

O caso aconteceu aos 47 minutos do segundo tempo, quando o técnico do Vila, Waldemar Lemos, reclamou que Aldo David Silva Lima estava retardando a reposição da bola para favorecer a Ponte. Houve troca de ofensas entre os dois, e Santi foi tirar satisfação com o gandula, que, mesmo contido pelo quarto árbitro Antônio Rogério Batista do Prado, agrediu o médico do Vila com um tapa na cara. O médico ainda tentou revidar, mas Aldo conseguiu escapar.

A atitude rendeu expulsão aos dois. O gandula foi retirado do local pelo policiamento. Santi, que não faz parte do corpo médico do Vila e foi contratado para prestar serviços exclusivamente para a partida contra a Ponte, chegou a afirmar que faria um boletim de ocorrência contra o gandula.

Enquanto o clima fora de campo esquentou, o Vila desperdiçou a última chance de empatar com Almir, após bate e rebate dentro da área. A confusão começou antes da cobrança de falta que originou a oportunidade derradeira aos visitantes.

Veja o relato da súmula sobre o incidente:

“Expulsei aos 47 minutos do segundo tempo de jogo o sr. aldo david silva lima, rg: 43.214.646-5 gandula da equipe da ponte preta, por retardar a reposição da bola para colocá-la em jogo. neste momento o técnico da equipe do vila nova sr. waldemar lemos de oliveira, se direcionou ao gandula para reclamar, momento em que o gandula proferiu: “vai se f…., vai tomar no seu c.”. após este momento o médico da equipe do vila nova sr. bernardino santi crm 49.407 foi ao encontro do gandula e trocaram socos e pontapés. o policiamento interviu e retirou o gandula das imediações do campo de jogo. após o ocorrido o árbitro reserva sr. antonio rogério batista do prado informou ao médico que ele estava expulso, onde o mesmo deu as costas e se dirigiu ao banco de reservas para pegar seu material de trabalho, tempo este que encerrou-se a partida”.

Fonte: Globo Esporte

Categorias:Notícia

CBF muda o comando da arbitragem nacional e Ana Paula vira dirigente

ana-paulaO presidente da CBF, José Maria Marin, promoveu uma dança das cadeiras no comando da arbitragem brasileira. A presidência da Comissão voltou a ser de Sérgio Corrêa. O então detentor do cargo, Antônio Pereira da Silva, passou a ser diretor-presidente da Escola Nacional de Arbitragem de Futebol.

Com ele, assume Ana Paula Oliveira, ex-auxiliar, com o cargo de diretora-secretária da ENAF. Além de sair do comando da Comissão, Antônio Pereira da Silva virou secretário do órgão.

Será a segunda vez que Sérgio Corrêa dirigirá a arbitragem nacional. A passagem anterior dele foi encerrada em 2012, que então deu lugar a Aristeu Tavares e assumiu o então recém-criado departamento de arbitragem.

Em relação à Ana Paula, a ex-auxiliar será responsável por organizar a reciclagem dos apitadores de cada federação.

– Estou muito lisonjeada. Não esperava este convite dos presidentes Marin e do Marco Polo. Farei o melhor que posso. Eu farei a ponte entre a ENAF e cada federação. Estarei à disposição das federações para o que elas precisarem neste processo – disse ela ao site da CBF.

Fonte: Lancenet

Em amistoso, Webb rouba a bola, leva carrinho e revida “empurrão”

O inglês Howard Webb apitou a final da Copa do Mundo de 2010, entre Espanha e Holanda, mas certamente nunca teve um desempenho tão chamativo quanto ao da última segunda-feira, quando comandou o apito no jogo de despedida de Ledley King, ídolo do Tottenham.

Tudo corria normalmente no amistoso entre os Spurs e uma equipe montada pelo zagueiro, até que o árbitro “surtou”, roubou a bola no meio de campo e tentou driblar alguns jogadores. Então, Lewis Holtby entrou na brincadeira e foi desarma-lo com um carrinho.

Webb se empolgou e caiu no chão, sendo “acusado” por Holtby, na brincadeira, de cavar uma falta. O juiz, então, se levantou e foi em direção ao jogador do Tottenham para empurra-lo. A torcida presente curtiu e aplaudiu.

Veja o vídeo!

Fonte: Globo Esporte

Categorias:Notícia Tags:
%d blogueiros gostam disto: