Início > Notícia > Os árbitros brasileiros nas Copas do Mundo (parte 1)

Os árbitros brasileiros nas Copas do Mundo (parte 1)

Em apenas 3 dias terá início a tão sonhada e esperada Copa do Mundo no Brasil, após 64 anos da competição ter sido disputada em solo canarinho, no ano de 1950, comentada até hoje pelo fatídico Maracanaço, a partida final que culminou com a derrota da nossa seleção para o time uruguaio, em pelo Maracanã, com cerca de 200 mil torcedores nas arquibancadas.

Nesta publicação especial, trouxemos todos os árbitros brasileiros que participaram das 19 edições da Copa do Mundo da FIFA e em especial o nosso árbitro desta vigésima Copa do Mundo.

A primeira série documenta as Copas realizadas entre os anos de 1930 e 1966.

Copa do Uruguai – 1930

rego-1930

Já em sua primeira edição, realizada no Uruguai, a Copa do Mundo de 1930 teve a participação do árbitro paraense Gilberto de Almeida Rego. Segundo relatos do historiador Roberto Vieira, Rego foi protagonista de um equívoco no confronto entre Argentina e França. Quando o time francês se dirigia ao gol para empatar a partida, o árbitro terminou o jogo, porém 6 minutos antes do tempo regulamentar. Após protesto dos franceses, o árbitro se desculpou e reiniciou a partida, mas de nada adiantou, a Argentina venceu pelo placar de 1 x 0.

Rego ainda voltou a apitar outros 2 jogos dos donos da casa. Uruguai 4 x 0 contra a Romênia, e a semifinal contra a Iugoslávia, que saiu na frente em pleno estádio Centenário, mas não resistiu aos anfitriões, que venceram por 6 a 1. Nestas duas partidas, no entanto, arbitragem foi perfeita. Como auxiliar, ele ainda atuou na partida França 4 x 1 México.

A competição contou com 13 seleções, sendo que apenas 4 europeias (Bélgica, França, Romênia e Iugoslávia) embarcaram em um navio para atravessar o Atlântico até terras sul-americanas.

A grande final aconteceu no dia 30 de julho, no Estádio Centenário, entre Uruguai e Argentina, e terminou com a vitória da seleção local pelo placar de 4 a 2. O Uruguai consagrava-se campeão da primeira Copa do Mundo da história. O árbitro finalista foi o belga Jean Langenus.

Copas de 1934 e 1938

Nestas duas Copas do Mundo, realizadas na Itália e França, respectivamente, não houve a participação de árbitros brasileiros.

Em 1934, a final foi disputada entre Itália e Tchecoslováquia e terminou com a vitória dos italianos por 2 a 1, a primeira seleção a vencer em solo europeu. O árbitro sueco Ivan Eklind conduziu a partida. Esta edição contou com 32 seleções, que disputaram uma fase de jogos eliminatórios, sobrando apenas 16 seleções para a sequência da competição. O Uruguai, primeiro campeão, não disputou esta edição.

Em 1938, participaram da fase eliminatória, 36 seleções, onde apenas 16 se classificaram para as fases finais. No entanto, a Áustria desistiu da competição, pois seu território estava tomado pelas tropas alemãs, e a Suécia, seu adversário, avançou à próxima fase automaticamente. A Itália sagrou-se novamente campeã após derrotar a Hungria por 4 a 2, com o apito do árbitro francês Georges Capdeville.

Por conta da II Guerra Mundial, as edições de 1942 e 1946 não foram realizadas.

Copa do Brasil – 1950

malcher-1950

Alberto da Gama Malcher (centro)

Somente 20 anos após a realização da primeira Copa do Mundo e da primeira participação de um árbitro brasileiro em Copas é que voltamos a ter um representante na competição. Ou melhor, três representantes. Alberto da Gama Malcher (foto), Mário Gardelli e Mário Gonçalves Vianna foram os brasileiros selecionados. Estes foram os únicos árbitros de fora da Europa a serem convocados.

O árbitro carioca Mário Gonçalves Vianna apitou 0 confronto Espanha 3 x 1 Estados Unidos. De personalidade forte, Vianna foi expulso da FIFA em 1954 por fazer críticas sobre corrupção e em 1957 deixou o apito. Em 1960 virou técnico do Palmeiras (acumulando 8 derrotas em 14 jogos) e posteriormente, em 1960, virou comentarista esportivo pela Rádio Globo.

Natural do estado do Pará, Alberto da Gama Malcher atuou como árbitro na partida Espanha 2 x 0 Chile. Malcher foi conhecido como o primeiro árbitro a expulsar de campo o atleta do século Pelé. Atuou na arbitragem por 27 anos e após se aposentar dos campos foi comentarista esportivo.

Mário Gardelli atuou como árbitro na partida Chile 5 x 2 Estados Unidos.

O Maracanaço foi o fatídico episódio em que perdemos a final da Copa do Mundo, em pleno Estádio do Maracanã, no dia 16 de julho, com cerca de 200 mil torcedores nas arquibancadas. O Brasil começou ganhando a partida, mas o Uruguai virou o jogo e venceu por 2 a 1. O inglês George Reader foi o árbitro responsável pela partida.

Copa da Suíça – 1954

viana-1954A Copa do Mundo de 1054, realizada na Suíça, foi um grande sucesso de público e de gols. Quase 1 milhão de espectadores acompanharam as partidas nos estádios e a competição terminou com uma expressiva média de 5,4 gols por partida.

Mário Gonçalves Vianna novamente foi o árbitro brasileiro representante em um Copa do Mundo, tendo apitado a partida Suíça 2 x 1 Itália. Durante o jogo, Bonipertti, inconformado com uma marcação do brasileiro, partiu para cima dele aos empurrões. Mário Vianna simplesmente aplicou-lhe um soco direto no queixo e ainda disse ao massagista: “Se ele tiver condições, pode voltar para o segundo tempo.”

Participar de uma Copa do Mundo já é um grande feito, duas então, coloca Vianna como um dos maiores nomes da arbitragem nacional e internacional.

Vianna, porém, foi expulso da FIFA durante a Copa de 1954, quando fez críticas de corrupção à entidade.

A Alemanha venceu a Hungria por 3 a 2 na final da Copa de 1954, um dos resultados mais improváveis e inesperados da história do futebol. O húngaro Puskas, astro daquela Copa, chegou a marcar o gol de empate a quatro minutos do final, mas o lance foi invalidado por um impedimento inexistente. A partida foi apitada pelo inglês William H. E. Ling.

Copa da Suécia – 1958

No ano em que a seleção Brasileira sagrou-se campeã pela primeira vez e Pelé apareceu para o mundo com apenas 17 anos, não tivemos nenhum representante da arbitragem brasileira na Copa da Suécia.

O Brasil venceu a Suécia por 5 a 2 e o árbitro da partida foi o francês Maurice Guigue.

Copa do Chile – 1962

etzel-1962De volta ao continente sul-americano, a Copa do Mundo do Chile mostrou o reinado brasileiro, que conquistou sua segunda taça. Cinquenta e seis países participaram das eliminatórias.

O paulista João Etzel Filho foi o árbitro representante do Brasil. Descendente de húngaros, Etzel criou polêmica no jogo em que apitou. A Colômbia perdia de 4 a 1 para os soviéticos e nos 20 minutos finais eles empataram o jogo. Final: União Soviética 4 x 4 Colômbia. Relata-se que Etzel havia comentado que odiava a União Soviética após a invasão ao território húngaro em 1946.

Etzel foi ainda presidente da Comissão de Arbitragem da CBF nos anos de 1986 e 87.

Na partida final, o Brasil derrotou de virada a seleção da Tchecoslováquia por 3 a 1 e levou o bi-mundial. O árbitro russo Nikolai Latyshev comandou a partida. Pelé, machucado, não jogos as partidas finais pela nossa seleção.

Copa da Inglaterra – 1966

marques-1966A primeira e única Copa do Mundo disputada na Inglaterra, também lhe deu seu primeiro e único título. O país que criou o futebol moderno jamais obteve tal êxito nas outras edições da competição.

Como representante brasileiro, o árbitro carioca Armando Nunes Castanheira da Rosa Marques, ou simplesmente Armando Marques, como é conhecido, foi o selecionado para esta Copa.

Marques comandou o apito na partida Alemanha 2 x 1 Espanha e atuou na partida Uruguai 2 x 1 França como auxiliar.

Depois de se aposentar dos gramados, Marques foi presidente da Comissão de Arbitragem da CBF por anos e é considerado um dos maiores árbitros da história do futebol brasileiro.

A final da Copa da Inglaterra, disputada no emblemático estádio de Wembley, foi vencida pelos anfitriões (Inglaterra 4 x 2 Alemanha) e teve como árbitro o suíço Gottfried Dienst.

 

LISTA DE ÁRBITROS BRASILEIROS E JOGOS EM COPA DO MUNDO

1930 – Gilberto de Almeida Rego

Árbitro: Argentina 1 x 0 França, Uruguai 4 x 0 Romênia e Uruguai 6 x 1 Iugoslávia.
Auxiliar: França 4 x 1 México.

1950 – Mário Gonçalves Vianna

Árbitro: Espanha 3 x 1 Estados Unidos.

1950 – Alberto da Gama Malcher

Árbitro: Espanha 2 x 0 Chile.

1950 – Mário Gardelli

Árbitro: Chile 5 x 2 Estados Unidos.

1954 – Mário Gonçalves Vianna

Árbitro: Suíça 2 x 1 Itália.

1962 – João Etzel Filho

Árbitro: URSS 4 x 4 Colômbia.
Assistente: Uruguai 2 X 1 Colômbia, URSS 2 X 0 Iugoslávia e Chile 2 X 0 URSS.

1966 – Armando Marques

Árbitro: Alemanha 2 x 1 Espanha.
Auxiliar: Uruguai 2 x 1 França.

Fontes: ACAF, Terra, R7Wikipedia, FIFA.

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: