Arquivo

Archive for setembro \30\-03:00 2015

Federação defende juiz que sacou arma em jogo e vai indicá-lo para CBF

Uma confusão do futebol amador de Minas Gerais invadiu o noticiário na segunda-feira (28). O vídeo que tem o árbitro Gabriel Murta sacando uma arma dentro de campo, após ser agredido, na partida entre Amantes da Bola e Brumadinho, em Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte, rodou o mundo.

ref-gun

O presidente da Comissão de Arbitragem da Federação Mineira de Futebol, Giuliano Bozzano, informou que ficou decidido que Murta não será punido pelo incidente.

O campeonato não é organizado pela Federação Mineira, mas o juiz faz parte do quadro da entidade, que indica seus árbitros para o torneio amador. Por partida, eles recebem cerca de R$ 200.

“A gente decidiu na noite de ontem [terça] que ele não será punido. Achamos que ele agiu de maneira razoável, em legítima de defesa. A gente lamenta que isso tenha acontecido. Ele é policial militar e vimos também que ele não fez nada diferente do que aquilo que recebeu no treinamento da PM”, disse Bozzano.

“Ele é um árbitro muito bom, uma pessoa ótima. Infelizmente, o campeonato amador tem situações muito complicadas por aqui”, completou.

De acordo com o chefe da arbitragem mineira, Murta faz parte do nível mais alto do quadro de juízes do Estado e será indicado para a CBF ao final do ano. Se for aceito pela entidade, ele fará parte do quadro nacional, o que lhe permite apitar jogos em âmbito nacional de competições organizadas pela CBF.

“Ele é ótimo árbitro, tem total condição de estar no quadro nacional. Já íamos indicar e vamos manter isso”, explicou.

Segundo Bozzano, há diversas reclamações de árbitros sobre a falta de segurança em campos de futebol do amador. Recentemente, agressões e linchamentos foram registrados na federação.

Wilson do Carmo, árbitro mineiro, conhece bem essa realidade. Em 2003, foi baleado na saída do campo, após apitar um duelo do futebol amador do Estado. Ficou um ano afastado para se recuperar e conseguir voltar a atuar.

“A gente sai de casa sempre com uma interrogação: será que eu vou voltar bem para casa? O futebol é reflexo da sociedade. No amador, isso é muito mais sério”, diz Carmo à Folha.

“A gente faz alguns amigos na vida. O Murta é um deles. Ele é um doce de pessoa, um ser humano incrível. Conheço muito bem ele e fez isso certamente pelo medo que estava. Por ser policial, estava com a arma. Não faço nenhum julgamento. Só quem está ali vivendo é quem pode falar o que sentiu”, finalizou.

A Folha tentou contato com Murta, que não atendeu as ligações.

Fonte: Folha de SP

Categorias:Notícia Tags:, ,

Cartão self service

Um lance curioso aconteceu na China. Após a marcação de uma falta o árbitro deixou o infrator escolher se ele levaria cartão amarelo ou vermelho. O jogador fechou os olhos e escolheu na sorte o amarelo. No final ele ainda agradeceu ao árbitro.

Duvida? Veja o video:

Categorias:Geral

Árbitro saca arma durante partida de futebol amador

Ele teria sido agredido por um jogador; ninguém foi preso. Jogo na Grande BH era entre os times Amantes da Bola e Brumadinho.

Uma partida de futebol amador em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, terminou em confusão neste fim de semana. A partida entre Amantes da bola e Brumadinho era válida pela Liga de Futebol Amador de Brumadinho. O árbitro foi agredido por um jogador e reagiu armado.

Segundo o presidente da liga, Valdenir de Castro, reservas e o técnico do Amantes da Bola invadiram o campo para cobrar a expulsão de um jogador adversário, depois de uma jogada considerada violenta. Um jogador teria, então, agredido o juiz com um tapa e um chute.

O árbitro Gabriel Murta, que segundo a Federação Mineira de Futebol (FMF) é policial militar, foi até o vestiário e pegou a arma. Ele aparece sendo contido pelos auxiliares. Com medo, o agressor fugiu e, como não havia policiamento na partida, ninguém foi preso.

Segundo o chefe da comissão de arbitragem da FMF, Giuliano Bozzano, o árbitro Gabriel Murta disse que foi agredido, sentiu-se ameaçado e buscou a arma para se defender. Ele vai se reunir nesta terça-feira (29) com uma psicóloga da federação e pode ser punido.

Fonte: G1

Categorias:Notícia Tags:,

Fairplay na Alemanha é decidido em brincadeira de criança

Em um lance inusitado de Fairplay no Campeonato Alemão, dois jogadores rivais decidiram mostrar, não apenas o respeito e o jogo limpo, mas também bom humor no momento de um bola ao chão.

Na última terça-feira (22), durante a partida entre Ingolstadt e Hamburgo, vencida por 1 a 0 pelos visitantes, dois jogadores fizeram uma brincadeira de infância conhecida como “Jokenpô”, ou nacionalmente conhecida como “pedra, papel ou tesoura”, para ver quem teria a posse de bola.

A regra do jogo não prevê sorteio dos jogadores para decidir quem fica com a bola em uma disputa após o reinício por meio de um bola ao chão. Porém o árbitro Knut Kircher entrou na diversão e assistiu à brincadeira e depois permitiu que os alemães Holtby, ex-Tottenham, e Pascal Gross resolvessem com os pés quem ficaria com a posse da jogada.

Assista ao vídeo com a brincadeira na Alemanha:

Categorias:Notícia Tags:

ANAF cobra exploração da imagem dos árbitros

24/09/2015 2 comentários

A Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (ANAF) entrou com uma ação na Justiça para que a imagem dos árbitros não seja mais mostrada nas partidas de futebol, enquanto os direitos de imagens não são definidos. De acordo com o presidente da entidade, Marco Antônio Martins, a situação é semelhante a de pessoas que aparecem em pegadinhas.

539511-970x600-1

“Todos sabem que está previsto na constituição o direito de imagem, que ele é pessoal. Tanto que nestas pegadinhas nas ruas o cara tem que autorizar a imagem dele, ela é pessoal. Por exemplo, a CBF não pode negociar o direito de imagem do árbitro. A gente vem pedindo um tempão direito de imagem, a gente vem discutindo, já mandamos para vários lugares e não conseguimos legalmente”, disse Martins.

“Fomos à Rede Globo, conversamos e ela disse o seguinte: ‘Entendo que vocês têm direito, só que preciso ser notificada ou via judicial ou via CBF. Ou os clubes têm que falar que eu (Rede Globo) tenho que dar o dinheiro a vocês. Eu pago, compro o produto, para quem distribuo o dinheiro pouco importa. Vai reduzir das cotas dos clubes, e aí estamos falando de R$ 1,6 bilhão, e viria uma parte para o direito dos árbitros’. Mas não chegamos a um acordo”, completou.

Segundo Martins, após não conseguir negociar diretamente com a emissora, os árbitros decidiram procurar a Justiça para que as imagens não sejam exibidas até chegarem a uma resolução sobre os direitos.

“Agora, em vez da gente entrar com a ação pleiteando o direito de imagem, entramos com a liminar para que não mostre a nossa imagem. Aí fica por conta da parte técnica da TV Globo, eles vão chegar a uma conclusão. É impossível transmitir futebol sem o árbitro? É impossível? Então tudo bem, vamos sentar e conversar”, afirmou.

O presidente da ANAF ainda falou sobre a exibição de patrocínios nas camisas dos árbitros e reclamou da falta de pagamento de uma porcentagem dos valores aos juízes.

“A situação está demais, mostra o árbitro, vende o patrocínio da camisa e não dão nada para nós. A cobrança é extremamente profissional e as condições dadas são extremamente amadoras, é um contrassenso”, finalizou.

Consultado pelo UOL Esporte, o especialista em direito de arena Leonardo Laporta afirmou que as reclamações da ANAF procedem. Porém, não acredita que o melhor caminho seja proibir a veiculação de imagem do árbitro, mas sim o pagamento de uma indenização.

“Acredito que eles têm o direito a uma indenização pela utilização irregular da imagem porque, mesmo não sendo o artista principal do espetáculo, a imagem dele (árbitro) está sendo utilizada diretamente pois pertence ao espetáculo.

A nomenclatura correta seria indenização pelo uso de imagem. Entendo que não teriam condições e nem o direito de tentar desvincular o árbitro na imagem. Vai colocar um borrão preto na filmagem?”, explicou Laporta. “O direito de arena está previsto na lei apenas para os atletas”.

A arbitragem chegou a protestar durante esse Campeonato Brasileiro depois que a presidente Dilma Rousseff vetou um item da Medida Provisória 671 que repassaria 0,5% do direito de arena para os árbitros.

Fonte: UOL

Arbitragem aciona Globo na Justiça para não ter imagem exibida na TV

protesto-veto01

A Associação Nacional dos Árbitros (Anaf) entrou na Justiça contra a Rede Globo para que não tenha mais a imagem dos juízes exibida durante os jogos. O processo foi registrado na 19ª Vara Cível de Pernambuco. A Anaf alega que os árbitros não recebem Direito de Arena, recurso oriundo dos direitos de transmissão.

A associação dos árbitros quer que o veto à imagem das câmeras tenha validade para todos torneios exibidos pela emissora carioca, inclusive o Brasileirão. O processo foi assinado por 250 árbitros.

Em agosto, a presidente Dilma Rousseff retirou item da Medida Provisória 671 que repassaria ao sindicato dos árbitros 0,5% do Direito de Arena recolhido. A MP foi sancionada transformada em Lei 13.155, sem o item que ajudaria financeiramente os árbitros.

A Anaf argumenta que a arbitragem também está inserida no espetáculo vendido às TVs e, portanto, teria direito a uma parte da Arena. “Os árbitros são impedidos de se profissionalizar e não têm direito ao direito de Arena. Não há qualquer interesse em melhorar nossas condições. Como não temos direito por nossa exibição, o certo é que nossa imagem não seja exibida”, declarou Marco Antônio Martins, presidente da Anaf.

A categoria cogitou paralisar o Brasileirão em agosto, mas desistiu de fazer greve.

Processo movido na Justiça de Pernambuco pela associação dos árbitros contra a Globo.

Processo movido na Justiça de Pernambuco pela associação dos árbitros contra a Globo.

Deputados mantiveram veto a 0,5% para arbitragem 

A arbitragem nacional sofreu nova derrota em Brasília. Em votação realizada no Congresso Nacional na noite de terça-feira, foi mantido o veto do Direito de Arena aos árbitros. Por 233 votos a 161, ficou decidido que a arbitragem não terá direito a 0,5% dos recursos oriundos dos contratos televisivos.

 

Fonte: UOL

Árbitro relata ameaça de morte de filho de prefeito em jogo do Paulista

Prefeito teria feito diversas ofensas ao trio de arbitragem do confronto

Prefeito teria feito diversas ofensas ao trio de arbitragem do confronto

A súmula publicada por Magno de Sousa Lima Neto, árbitro vinculado à Federação Paulista de Futebol, causou polêmica ao relatar ameaças de morte feitas pelo filho do prefeito de Presidente Prudente, Milton Carlos de Mello, além de diversos xingamentos feitos pelo político e pelo presidente do Grêmio Prudente, José Bueno Fernandes Neto.

O problema aconteceu após o empate por 1×1 entre Grêmio Prudente e Assisense, no estádio Prudentão (a 558km de SP), no último final de semana. Válido pela segunda fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão (equivalente a quarta divisão).

O confronto tomou proporções exageradas quando, segundo o juiz, após o término da partida, a equipe de arbitragem, que também conta com os assistentes Rafael Cesar Fernandes, Alessandro da Mata Lemos e Bruno Alexandre Soto, foi alvo de críticas pelo prefeito de Presidente Prudente, Milton Carlos de Mello. Além disso, o filho do político, Murilo Mello, que é vice-presidente do presidente do Grêmio Prudente foi acusado de ameaçar de morte o assistente Rafael Fernandes.

As reclamações foram direcionadas especificamente ao assistente Rafael Cesar Fernandes por supostos erros cometidos durante a partida. Com o empate, o Grêmio Prudente possui apenas quatro pontos, ficando na quarta colocação do Grupo A5, ainda com chances de acesso.

Segundo relato de Magno Neto, o político disparou duras críticas contra Rafael, dizendo que ele “jogou o projeto da cidade no lixo” e que não iria sair do vestiário da arbitragem por ser o prefeito da cidade.

“Sou o prefeito da cidade e ele não pode vir aqui e fazer o que ele fez e sair como se nada tivesse acontecido, são pessoas como vocês que afundam o futebol, por isso que a Federação Paulista está do jeito que está, eu sou inimigo declarado da Federação Paulista de Futebol, e pode falar lá que sou oposição ao Marco Polo Del Nero, que está acabando com o futebol do interior”, escreveu o árbitro na súmula sobre as atitudes do político.

A situação se tornou ainda mais alarmante no caminho para o carro da Federação Paulista de Futebol, que iria leva-los de volta para casa, quando o assistente começou a ser acusado de ladrão, inclusive recebendo ameaça de morte do filho do prefeito, que segurava um celular enquanto proferia as palavras.

“Você vai morrer, seu filho da p*, estou vendo aqui seu filho de uma p* covarde, que você tem filho e esposa, teve filho agora, né seu c*? Você não merece ter filho e esposa, seu ladrão”, escreveu Magno Neto, incluindo diversos outros xingamentos sofridos por ele e pelos seus assistentes.

O árbitro ainda destacou que, enquanto se dirigiam rumo ao carro da FPF, os assistentes seguiram sendo hostilizados pelos homens, enquanto policiais assistiam à cena “de forma passiva”.

Vale ressaltar que esta não é a primeira vez que o prefeito se envolve em polêmica por reclamar do trabalho da equipe de arbitragem. Confira no vídeo o momento em que o prefeito (com a camisa número 10 do Grêmio Prudente) parte para cima do trio de arbitragem em um outro confronto para reclamar de supostos erros contra o clube.

Filho de prefeito nega ameaças

Ao UOL Esporte, Murilo Mello, filho do prefeito e vice-presidente do Grêmio Prudente, que também é citado na súmula, confirmou que teve uma ríspida conversa com o árbitro, mas negou que tenha feito qualquer tipo de ameaça. Mello também afirmou que seu pai, o prefeito de Prudente, tampouco ameaçou o juiz de qualquer maneira.

“No calor do momento, falamos sim alguns palavrões, mas não fizemos nenhum tipo de ameaça. Isso não é verdade. O que fizemos foi cobrar a postura dele (árbitro), que errou muito dentro do jogo”, disse Mello.

O vice-presidente do Grêmio Prudente contou ainda que sua maior cobrança é para que a Federação Paulista de Futebol preste mais atenção nas arbitragens em Presidente Prudente. “O coronel Marinho (presidente da comissão de arbitragem da FPF) vai a jogos em outras cidades, mais próximas a São Paulo, mas não vem a Prudente, que fica a 600 quilômetros da capital. Então, os árbitros vêm aqui, e o estádio não está cheio, eles pensam que podem fazer qualquer coisa, prejudicar o Grêmio Prudente e saírem sem serem cobrados. Nossa obrigação com os torcedores é cobrar uma arbitragem justa”, defendeu Mello.

Confira a súmula com todos os palavrões publicada pelo árbitro na íntegra:

“Ao término da partida o prefeito da cidade de Presidente Prudente se dirigiu ao vestiário da arbitragem e parado de frente à porta do vestiário que estava aberta proferiu as seguintes palavras: ” Eu quero falar com o bosta do assistente Rafael que jogou o projeto de uma cidade no lixo, e não vou sair daqui sem falar com esse bosta, porque eu sou o prefeito da cidade e ele não pode vir aqui e fazer o que ele fez e sair como se nada tivesse acontecido, são pessoas como vocês que afundam o futebol, por isso que a federação paulista está do jeito que está, eu sou inimigo declarado da federação paulista de futebol e pode falar lá que vou que sou oposição ao Marco Polo Del Nero que está acabando com o futebol do interior”, neste momento eu me dirigi à porta do vestiário, e o avisei que iria fechá-la para continuarmos realizando o nosso trabalho.

Ao deixarmos o vestiário da arbitragem e nos dirigirmos ao estacionamento para pegar o carro da FPF, e durante todo este trajeto o prefeito da cidade Sr. Milton Carlos de Mello, vulgo “Tupã”, juntamente com o seu filho e o presidente do Grêmio Prudente, Sr. José Bueno Fernandes Neto, provocavam e insultavam o assistente nro 2 Sr. Rafael César Fernandes, onde o prefeito proferiu as seguintes palavras: “Ta contente…ta contente, seu vagabundo, sem vergonha, filha de uma puta, você tinha que ter vergonha na sua cara pra poder fazer isso seu filho da puta, seu filho nasceu esse ano e você tinha que ter vergonha de ser ladrão deste jeito seu cuzão, seu bosta, vagabundo, você é um bundão e seu nome já está na mão do Reinaldo, sabe porque, porque você acabou com o projeto de uma cidade, seu bosta, seu merda”, enquanto isso o filho do prefeito proferia as seguintes palavras em posse de um celular em suas mãos “Você vai morrer seu filho da puta, estou vendo aqui seu filho de uma puta covarde, que você tem filho e tem esposa, teve filho agora né seu cuzao, você não merece ter filho e ter esposa seu ladrão, você é um bosta, volta pra sua casa agora desse jeito seu filha da puta, seu filho não merecia ter nascido de você e sua mulher deve estar com outro agora seu bosta”, e o presidente do clube também se dirigindo ao assistente nro 2 proferia as seguintes palavras: “Você já veio aqui mal intencionados seu vagabundo, já liguei para o Reinaldo e o Cel. Marinho pra falar da merda que você fez aqui hoje, você ta deixando 50 pessoas desempregadas seu cuzão, e o Cel. Marinho vai até Santos no Jabaquara e não tem coragem de vir aqui”. Ao colocar as malas no porta-malas do carro da FPF que conduzia a equipe de arbitragem o prefeito continuou com as ofensas ao Sr. Rafael Cesar Fernandes, falando muito próximo ao seu rosto com o dedo em riste proferia as seguintes palavras “Seu bosta, seu bosta, seu monte de merda, você acabou com o projeto de uma cidade, seu monte de merda”, quando o assistente já estava dentro do carro ele tentou forçosamente abrir a porta que estava travada, proferindo as seguintes palavras “Você não é machão, sai aqui fora seu machão, bundão do caralho, você acabou com o projeto seu monte de bosta, filho da puta”, foi no momento que entrei dentro do carro e saímos do estádio.

Relato ainda que durante todo o assédio do prefeito, do seu filho e do presidente do Grêmio Prudente ao Sr. Rafael César Fernandes, não revidou com palavras ou gestos, se mantendo todo o tempo em silêncio durante as agressões verbais recebidas e o policiamento atuou de forma muito passiva não contendo em nenhum momento a ação dos mesmos”.

Categorias:Notícia Tags:

Com Daronco, Brasileiro tem pouco cartão e reclamação e muitos gols

Nenhum outro árbitro apita tanto na Série A do Campeonato Brasileiro quanto Anderson Daronco. E a presença do juiz, que chama atenção pela forma física, tem sido uma boa notícia para os torcedores dos times envolvidos. Com ele, as partidas têm poucas reclamações e cartões, e muitos gols.

Daronco, que é árbitro Fifa desde 2014 e filiado à Federação Gaúcha de Futebol, foi escalado em 17 partidas até aqui no Brasileiro, mais do que qualquer outro. E, em seus jogos, a média de gols é de 2,94, a maior entre os homens do apito com, ao menos, dez aparições na Série A.

Na proporção oposta, Daronco é um dos juízes que menos mostra cartões amarelos. Sua média de advertência por jogo é de 3,35, a terceira menor de todo campeonato. Os líderes no critério, Emerson de Almeida Ferreira e Rodrigo D’Alonso , contudo, apitaram menos de cinco jogos até aqui.

A estrutur325_7831234b-7c4b-3766-a566-3dbd289c8578a muscular de Daronco também parece impor respeito nos atletas. Em suas 17 partidas, o “árbitro fortão” só deu 11 cartões amarelos por reclamação, média de 0,65 por jogo, pouco mais da metade média geral do Brasileiro. Os dois vermelhos que mostrou também não foram por esse motivo.

Daronco é formado em educação física e deixou de ser professor no Rio Grande do Sul para se dedicar exclusivamente à arbitragem. Ele decidiu fazer o curso para trabalhar no futebol quando tinha 18 anos, em 1999.

Sua primeira partida como árbitro profissional aconteceu em 2004, em duelo da segunda divisão do Campeonato Gaúcho. A estreia em competições da CBF veio sete anos depois, em 2010, na Copa do Brasil. Já o debute na Série A, em 2011, no comando de Coritiba x América-MG.

Fonte: ESPN

Categorias:Notícia Tags:,

A Confederação Brasileira de Futebol solicitará à Fifa autorização para utilizar a tecnologia no auxílio aos árbitros a partir do Campeonato Brasileiro da Série A em 2016.

cbf

O presidente Marco Polo Del Nero atendeu a uma solicitação da Comissão Nacional de Clubes (CNC), que se reuniu ontem na sede da CBF.

– Sabemos que é impossível a seres humanos atingir o índice de erro zero na arbitragem. Por isso, considerando a solicitação dos clubes, a CBF pleiteará junto à Fifa a aprovação do uso de imagens da TV para auxiliar os árbitros. Queremos que o Brasil tome a liderança no processo de introdução da tecnologia no futebol e que sirva de referência para outros campeonatos no mundo – afirmou Del Nero.

O secretário-geral Walter Feldman foi o representante da CBF na reunião com a CNC e destacou o caráter revolucionário da medida.

– A CBF e os clubes brasileiros entenderam que chegou o momento de introduzirmos uma medida inovadora para seguir aperfeiçoando o sistema de arbitragem na sua permanente busca pela justiça e pela verdade dos fatos. Estamos presenciando um momento histórico – declarou Feldman.

Um projeto já desenvolvido pela Comissão Nacional de Arbitragem será entregue à Fifa para avaliação. O responsável pelo programa de implantação da tecnologia será Manoel Serapião Filho, que viajará a Londres no próximo dia 14 de outubro para participar do Painel Técnico Consultivo da IFAB (International Football Association Board), o órgão que regulamenta as regras do futebol.

Serapião Filho explica que haverá a criação do cargo de  Árbitro de Vídeo (AV), que terá a atribuição de corrigir erros técnicos ou disciplinares claros e indiscutíveis que possam alterar diretamente o resultado ou o desenvolvimento das partidas, obedecendo ao princípio de não interrupção do jogo (mínima interferência).

– O AV atuará com base em imagem televisiva simultânea e com possibilidade de imediato replay. A comunicação com os árbitros será feita por ponto eletrônico – disse o ex-árbitro.

Os seguintes lances deverão ter a interferência imediata do AV:

a)     Dúvida se a bola entrou ou não no gol;

b)     Saídas da bola pela linha de meta, quando na mesma jogada ou contexto for marcado gol ou pênalti;

c)     Definição do local de tiros livres diretos, ocorridos nos limites da grande área, para definir se houve ou não pênalti;

d)     Gols e pênaltis marcados, possibilitados e evitados em razão de erro em lances de faltas claras/indiscutíveis, não vistas ou marcadas de modo claramente equivocado

e)     Impedimentos por interferência no jogo, caso na mesma jogada haja gol ou pênalti;

f)     Jogo brusco grave ou agressão física (conduta violenta) indiscutíveis não vistos ou mal decididos pela arbitragem;

– É importante dizer que a tecnologia não evitará todos os equívocos de arbitragem, pois a atuação do AV somente se dará para evitar erros claros, indiscutíveis e que tenham influência no resultado da partida. A comissão está muito satisfeita em participar deste processo de evolução da arbitragem – finalizou Sérgio Corrêa.

Representantes regionais auxiliarão a Comissão de Arbitragem

A CNC também pediu à CBF para acompanhar os trabalhos da Comissão de Arbitragem. O presidente Marco Polo Del Nero deferiu a solicitação e autorizou a indicação de cinco representantes dos times (um de cada região do país) para entender como funciona o sistema de escala, notas e o sorteio dos juízes dos jogos das Séries A, B, C e D do Campeonato Brasileiro.

Além disso, os representantes nomeados pelos clubes poderão visitar a Escola Nacional de Arbitragem para acompanhar os processos de treinamento e reciclagem dos juízes que tenham cometido equívocos nos torneios.

Assista aos depoimentos do Secretário Geral da CBF, Walter Feldman, do presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Sérgio Corrêa, e do instrutor da Escola Nacional de Arbitragem, Manoel Serapião Filho, sobre as mudanças que a novidade trará ao futebol:

Fonte: CBF

Categorias:Notícia Tags:, , , ,

Avaliação da CBF aponta só 8% de arbitragens ruins no Brasileiro

Clubes se reuniram na CBF nesta quinta-feira para discutir medidas para melhorar a arbitragem: houve sugestão de uso de tecnologia, profissionalização, mudanças na escalas. Mas a avaliação comissão de arbitragem da CBF indica um número reduzido de jogos afetados pelos juízes. Seu chefe Sergio Corrêa diz que falhas de árbitros afetam tanto a tabela quanto atacantes que perdem gols.

951347060b36500d045c2598ac03ca20

Nesta semana, antes da rodada do meio de semana, a CBF soltou a avaliação da arbitragem nacional: apenas 8,45% dos jogos da Série A tiveram notas ruins para os juízes. São notas abaixo de sete, na qual se encaixam, por exemplo, partidas em que houve falhas que comprometeram o resultado do jogo. Outros 83% das notas tiveram bom ou ótimo. O restante foi de excelente.

O número é inferior a 2014, quando houve 13,46% de jogos ruins, e a 2013, com 17,99%. Teoricamente, isso indica uma melhora do atual Brasileiro. A avaliação é feita por observadores com a ajuda de vídeos.

Mas times reclamaram duro com os juízes até com acusações de interferência na tabela e mancha ao campeonato, feitas pelo Atlético-MG. E houve seguidos protestos de outros clubes até levar a essa reunião da comissão de clubes já que a maioria está insatisfeita.

“Quando o jogador erra o gol também interfere na tabela”, rebateu o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Sério Corrêa, em conversa na quinta-feira. “Diminuíram os erros. Estamos em 8%. É que os erros acontecem em rodadas seguidas e todo mundo fala mais.”

Segundo Corrêa, o critério de medição da CBF é ainda mais rigoroso do que o da Fifa. Pela federação internacional, não se pode dar nota acima de 7,5 para um árbitro que comete um erro que interfere no jogo. Na confederação, os classificados com notas até 5,9 são classificados como ruins. Depois, há um ajuste para a nota do final da temporada.

Sobre as medidas para melhoria dos árbitros, Sérgio Corrêa vê o excesso de juízes como um empecilho para a profissionalização. “São 600 árbitros, como vamos fazer? Se colocar só 20 (profissionais), por exemplo, como será feito quando um árbitro como Ricardo Marques Ribeiro, que foi o melhor do último Brasileiro, errar como no jogo do Flamengo? Tira ele e põe quem?”, analisou.

O uso de tecnologia é defendido por Corrêa, mas esbarra na necessidade de autorização da Fifa. Até agora, o presidente da comissão de arbitragem disse ter recebido em torno de 20 representações de clubes por erros de juízes. Segundo ele, um número menor do que em 2014. “O árbitro é humano: erra”, disse Corrêa.

Fonte: Blog do Rodrigo Mattos (UOL)

Categorias:Notícia Tags:
%d blogueiros gostam disto: