Arquivo

Posts Tagged ‘2010’

Debate sobre arbitragem no Footecon

A temporada do futebol Brasileiro ainda não acabou. O Footecon, Fórum Internacional de Futebol, começou no dia de ontem (07/12) e termina hoje. O evento acontece no Rio de Janeiro, no Centro de Convenções do Copacabana Palace. Um encontro 100% profissional, que conta com a expertise e coordenação de Carlos Alberto Parreira.


O Fórum já se consagrou como o mais importante encontro da indústria nacional do futebol, reunindo anualmente seus principais profissionais, dirigentes esportivos, autoridades governamentais, mídia especializada, investidores e patrocinadores para palestras e debates dedicados ao esporte e sua gestão.

O foco em negócios no mundo do futebol continua, assim como a exposição das inovações para melhor rendimento, em gestão do esportiva e na formação de profissionais para o setor. No lugar dos stands, como em edições anteriores, entram os lounges de exposição. E o grande assunto entre os expositores parece mesmo ser a Copa do Mundo de 2014 no Brasil.

A grade de programação é extensa e conta com palestras dos mais diversos temas do futebol, com convidados do quilate de Mano Menezes, técnico da Seleção Brasileira, Muricy Ramalho, maior campeão dos pontos corridos do Brasileirão, o atacante Ronaldo do Corinthians, dentre outros.


Um dos temas tratados nas palestras do Fórum é a arbitragem, que tem como seu organizador e mediador, o ex-árbitro e comentarista de arbitragem Arnaldo Cézar Coelho.

Hoje, a palestra central sobre arbitragem contou com participantes ilustres como Sérgio Correia da Silva, presidente da Comissão de Árbitros da CBF (CONAF), Manoel Serapião Filho, ex-árbitro FIFA e membro da CONAF, Carlos Eugênio Simon, árbitro recém aposentado e Carlos Amarilla, árbitro FIFA do Paraguai. O debate foi transmitido ao vivo e na íntegra pelo canal SporTV.

Carlos Amarilla e Arnaldo Cézar Coelho

O mundialista Carlos Amarilla contou sobre sua carreira e disse ser de uma família de árbitros. Seu pai era árbitro e seus irmãos mais novos também são. Amarilla disse que seu pai o incentivou no início e logo aos 19 anos se tornou árbitro profissional no Paraguai e aos 25 anos de idade atingiu o escudo de árbitro FIFA, no mesmo ano em que o brasileiro Carlos Simon conquistou o seu escudo.

Amarilla ainda contou sobre suas inúmeras participações em competições continentais como Libertadores, Copa América, Sulamericano e também e mundiais sub-17 e sub-20, além da Copa do Mundo de 2006 na Alemanha. O hermano ainda contou sobre o fato de não ter participado da Copa de 2010 na África do Sul, pois um de seus assistentes reprovou no teste físico e, segundo o regulamento da FIFA, quando um dos componentes do trio mundialista reprova, nenhum dos integrantes pode ir à Copa do Mundo. Mas, ainda com 40 anos, sonha em estar na Copa de 2014 no Brasil.

Carlos Simon também falou de sua carreira e destacou o fato curioso de ter iniciado em uma final, aos 18 anos no seu colégio em Porto Alegre, e ter encerrado também em outra final, no último dia 05/12, na decisão do título do Fluminense, contra o Guarani de Campinas.

Simon destacou a evolução da arbitragem no mundo e o trabalho que a FIFA vem fazendo. Ele ainda contou um fato inusitado na Copa de 2002, quando foi, juntamente com o assistente Jorge Paulo Gomes, fazer o jogo decisivo entre Itália e México. Simon conheceu seu segundo assistente, vindo da Malásia, apenas horas antes da partida. E comentou seu plano de trabalho com ele: “você só vai marcar lateral, amigo”. Felizmente tudo deu certo naquele jogo.

O presidente da CONAF, Sérgio Correia da Silva, falou um pouco do trabalho que a CBF e a Comissão de Arbitragem vem fazendo e mostrou números e gráficos estatísticos da evolução da arbitragem nacional.

Manoel Serapião Filho falou de sua visita à FIFA para acompanhar o novo trabalho com os árbitros assistentes que ficarão atrás do gol e como ele deverá ser implementado aqui no Brasil, destacando que São Paulo e Rio de Janeiro vão começar os testes oficiais já em 2011.

O debate foi aberto a perguntas dos conferencistas e contou com a ilustre participação de Carlos Alberto Parreira e Renê Simões com perguntas bem pertinentes. Parreira questionou se os árbitros dariam pênalti após uma indicação do novo árbitro assistente adicional, mesmo sem ter visto o lance ou ter convicação. Simon e Amarilla comentaram que há todo um trabalho por trás do planejamento da partida e que existem casos específicos onde a intervenção do novo assistente será decisiva.

O ex-árbitro FIFA, Emídio Marques de Mesquita, também presenta na platéia, questionou Sérgio Correia sobre os números de faltas e cartões que são bem altos no Brasil. Sérgio comparou os números do Brasil com Inglaterra e a última Copa do Mundo e disse que não há tanta diferença, e que no passado, havia muito mais faltas nas partidas.

Para encerrar o debate, o assunto foi a tecnologia no futebol. Todos concordam em um ponto, a tecnologia está aí e é inevitável a sua adoção. Muitas experiências tem sido feitas e logo elas devem fazer parte do espetáculo. Porém, os participantes esclarecem que o uso da tecnologia deve se restringir apenas a lances ou situações de fato, sem margem para interpretações, como gols duvidosos, a exemplo de Inglaterra e Alemanha na última Copa, ou mesmo o gol de mão de Henri entre França e Irlanda nas eliminatórias da Europa. A interpretação ainda fica a cargo do árbitro, sem interferência externa. O uso do video, como recurso tecnológico, parece mesmo ser descartado da ideia. Simon ainda reforçou a necessidade da profissionalização dos árbitros, com melhores condições para seu desenvolvimento técnico e pessoal.

Este encontro foi muito útil e mostra o fortalecimento e a importância de se discutir e melhorar a arbitragem nacional e mundial, não apenas no aspecto técnico, mas principalmente no humando, tecnológico e profissional.

Anúncios

Sandro Ricci eleito o melhor do Brasileirão 2010

06/12/2010 2 comentários

Na noite de hoje aconteceu a premição da CBF para os melhores do Campeonato Brasileiro 2010.

Realizado no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, o evento contou a presença ilustre de Mano Menzes, técnico da Seleção Brasileiro, Ricardo Teixeira, presidente da CBF, além dos craques do Campeonato, o atual campeão, Fluminense, e os campeões das Séries B e C, Coritiba e ABC-RN, respectivamente.

Os premiados da noite foram:

Goleiro: Fábio, do Cruzeiro, é eleito o melhor goleiro. Victor, do Grêmio, foi o segundo, e Jefferson, do Botafogo, o terceiro.

Lateral-direito: Mariano, do Fluminense, é o vencedor do troféu de ouro. Léo Moura, do Flamengo, em segundo, e Jonathan, do Cruzeiro, em terceiro.

Zagueiro pela direita: Dedé, do Vasco, garante o prêmio. Seguido por Alex Silva, do São Paulo, e Chicão, do Corinthians.

Zagueiro pela esquerda: Miranda, do São Paulo, leva o troféu de ouro. Depois, Réver, do Atlético-MG, e Leandro Euzébio, do Fluminense, completam.

Lateral-esquerdo: Roberto Carlos leva o prêmio. Em segundo, Kleber, do Internacional, e em terceiro, Diego Renan, do Cruzeiro.

Volante pela direita: Jucilei, do Corinthians, é eleito o melhor, com Fabrício, do Cruzeiro, em segundo, e Willians, do Flamengo, em terceiro.

Volante pela esquerda: Elias leva o seu prêmio. Em seguida, ficam Arouca, do Santos, e Marcos Assunção, do Palmeiras.

Meia-direita: Montillo leva o prêmio. D´Alessandro, do Internacional, foi o segundo e Paulo Baier, do Atlético-PR, acabou em terceiro.

Meia-esquerda: Conca, do Fluminense, confirma favoritismo e leva o prêmio. Bruno César, do Corinthians, fica logo atrás e Douglas, do Grêmio, é o terceiro.

Atacante 1: Jonas, artilheiro do Brasileirão com 23 gols, leva o prêmio. Em seguida, Thiago Ribeiro, do Cruzeiro, e Eder Luis, do Vasco.

Atacante 2: Neymar garante o troféu. Em sua cola, ficaram Kleber, do Palmeiras, e Loco Abreu, do Botafogo.

Técnico: Muricy Ramalho leva o quinto prêmio da carreira. Depois de Inter e São Paulo, agora pelo Fluminense. Cuca, do Cruzeiro, em segundo, e Renato Gaúcho, do Grêmio, em terceiro.

Revelação: Bruno César, do Corinthians, é eleito a revelação. Dedé, do Vasco, fica em segundo e Neto, do Atlético-PR,  em terceiro.

Árbitro Sandro Ricci

Craque da Galera: E Conca, do Fluminense, vence. Dedé, do Vasco, fica em segundo e Bruno César, do Corinthians, em terceiro.

Artilheiro: Jonas, com 23 gols.

Árbitro: Sandro Meira Ricci é o melhor no apito, seguido por Carlos Eugênio Simon, que acaba de encerrar a carreira, e Paulo César Oliveira.

Árbitros vencedores em anos anteriores: Héber Roberto Lopes (2009), Leonardo Gaciba (2008, 2007, 2006 e 2005).

Após a premiação, houve uma grande homenagem à seleção de 1970, que completa 40 anos do tricampeonato mundial. A maioria dos jogadores estava presente ao Theatro Municipal e recebeu medalhas do presidente de honra da Fifa, João Havelange. O capitão na época, Carlos Alberto Torres, ergueu a taça novamente, em um momento simbólico.

Simon apita a decisão do Campeonato Brasileiro

O árbitro Carlos Eugênio Simon vai encerrar a carreira em grande estilo.

Aos 45 anos, idade limite para árbitros imposta pela FIFA, o gaúcho Carlos Simon vai encerrar a carreira neste domingo, dia 05/12. Dono de uma história invejável na arbitragem brasileira e mundial, Simon participou de 3 Copas do Mundo e inúmeras finais estaduais, nacionais e internacionais, além de ser o maior recordista de jogos apitados na principal divisão nacional, com 295 jogos.

Roberto Braatz, Carlos Simon e Altemir Hausmann - trio da Copa e finalistas do Brasileirão 2010

E, para encerrar sua carreira no melhor estilo, Simon será o árbitro do jogo decisivo do Brasileirão 2010, na partida entre Fluminense e Guarani, no estádio Engenhão, Rio de Janeiro. O trio de arbitragem será o mesmo da Copa do Mundo da África do Sul: Simon e os assistentes Roberto Braatz e Altemir Hausmann.

Para ser campeão, o Fluminense depende de uma simples vitória sobre o já rebaixado Guarani. Já Corithians e Cruzeiros, que tem chances matemáticas de levar o título, dependem de um tropeço dos adversários e uma vitória. O párea vai ser duro, e o Brasil todo estará de olho neste rodada final e decisiva.

O árbitro de Corinthians e Goiás será o também gaúcho Leandro Vuaden. O Rio Grande do Sul tem se firmado cada vez mais na elite da arbitragem do país, despontando os melhores árbitros nas últimas edições. O título de melhor árbitro deve ficar com Simon. Mais uma vez o RS levará o prêmio.

Boa sorte ao trio que tanto orgulha os árbitros brasileiros!

Cléber Abade apitou final da Copa Kaiser B

O árbitro paulista e da CBF, Cléber Wellington Abade, retornou aos gramados ao melhor estilo do futebol brasileiro, após sua séria contusão na panturrilha. No último dia 21, Abade foi o árbitro da decisão da Copa Kaiser B, a segunda divisão do torneiro, disputado entre Danúbio (Freguesia do Ó) e Tutu (Jardim Iporanga), que foi realizado no estádio do Nacional, em São Paulo.

Os árbitros assistentes da partida foram Marcos Joel Alves, que faz seu último ano pela FPF, e a novata Maiza Telles, que tem apresentado um ótimo trabalho e está na relação d apré-temporada dos árbitros de São Paulo para a disputa do Paulistão 2011.

A partida teve um grande nível de dificuldade e foi muito disputada. Porém, o árbitro, recém recuperado de lesão, mostrou sua capacidade e competência durantes os 90 minutos. Abade estava presente em todas as jogadas, acompanhando bem de perto, lance a lance, garantindo assim uma arbitragem irretocável, dando legitimidade à disputa final.

O tradicional Danúbio faturou a competição ao vencer o oponente pelo placar mínimo  de 1×0, sagrando-se campeão de 2010.

Paulo César, Ricci e Simon concorrem a Melhor Árbitro

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou no dia de hoje (26/11) em seu website a relação de candidatos ao título do Prêmio Craque Brasileirão 2010. Os técnicos Mano Menezes e Ney Franco anunciaram no Hotel Hyatt, em São Paulo, os finalistas, que concorrem nas categorias Ouro, Prata e Bronze.

Os vencedores serão conhecidos no dia 6 de dezembro, na festa de encerramento do Campeonato Brasileiro, no Theatro Municipal, no Rio de Janeiro. Este evento marca o fim da temporada do calendário nacional.

Na festa serão premiados, além dos melhoras jogadores de cada posição, o Melhor Árbitro, o Craque do Campeonato, a Revelação do Campeonato, o Artilheiro e a Revelação do Campeonato.

Concorrem ao prêmio:

Árbitro Técnico
Carlos Eugenio Simon (FIFA/RS)
Paulo César de Oliveira (FIFA/SP)
Sandro Meira Ricci (Asp. FIFA/DF)
Cuca – Cruzeiro
Muricy Ramalho – Fluminense
Renato Gaúcho – Grêmio
Goleiro
Fábio – Cruzeiro
Jefferson – Botafogo
Victor – Grêmio
Lateral Direito Lateral Esquerdo
Jonathan – Cruzeiro
Léo Moura – Flamengo
Mariano – Fluminense
Kleber – Internacional
Diego Renan – Cruzeiro
Roberto Carlos – Corínthians
Zagueiro Direito Zagueiro Esquerdo
Alex Silva – São Paulo
Chicão – Corinthians
Dedé – Vasco
Leandro Eusébio – Fluminense
Miranda – São Paulo
Rever – Atlético-MG
Volante Direito Volante Esquerdo
Fabrício – Cruzeiro
Jucilei – Corinthians
Willians – Flamengo
Arouca – Santos
Elias – Corinthians
Marcos Assunção – Palmeiras
Meia Direita Meia Esquerda
D’Alessandro – Internacional
Montillo – Cruzeiro
Paulo Baier – Atlético Paranaense
Bruno Cesar – Corinthians
Conca – Fluminense
Douglas – Grêmio
Atacante 1 Atacante 2
Eder Luis – Vasco
Jonas – Grêmio
Tiago Ribeiro – Cruzeiro
Kleber – Palmeiras
Loco Abreu – Botafogo
Neymar – Santos
Craque da Galera Revelação
Bruno Cesar – Corinthians
Conca – Fluminense
Dedé – Vasco da Gama
Bruno Cesar – Corinthians
Dedé – Vasco
Neto – Atlético Paranaense

Torcedor do Cruzeiro processa Sandro Meira Ricci

Enquanto a diretoria do Cruzeiro optou em protestar junto à Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) contra a arbitragem de Sandro Meira Ricci na derrota por 1 a 0 para o Corinthians, no Pacaembu, um torcedor do clube mineiro decidiu recorrer à justiça.

Integrante da torcida organizada TFC (Torcida Fanáti-Cruz), João Carlos Fonseca, que esteve na capital paulista para acompanhar a partida, entrou com uma ação por danos morais contra Sandro Meira Ricci. Advogado do torcedor, Fabrício Reis, que é presidente da TFC, explicou que a ação se baseia no Estatuto do Torcedor.

“Houve uma violação do artigo 30 do Estatuto do Torcedor, que afirma que todos os jogos de futebol têm direito à arbitragem imparcial, isenta e sem pressão externa. No entanto, isso não aconteceu com Sandro Meira Ricci no jogo entre Corinthians e Cruzeiro”, disse o advogado.

Reis avalia que o fato de Sandro Meira Ricci ter nascido em Poços de Caldas, no interior de Minas Gerais, impôs uma pressão sobre o árbitro. “Por ser natural de Poços de Caldas, ele sofreu pressão da imprensa paulista durante toda a semana que antecedeu a partida para não favorecer o Cruzeiro”, afirmou.

“E o que vimos foi uma arbitragem parcial e tendenciosa. Para não ser cobrado por um favorecimento ao Cruzeiro, todos os lances de dúvida foram arbitrados em favor do Corinthians”, acrescentou o advogado.

Sandro Meira Ricci é filiado à Federação de Futebol do Distrito Federal, já que para lá mudou ainda na infância. Em 18 de fevereiro de 2011, o árbitro deverá comparecer a uma audiência de conciliação no Juizado Especial Cível das Relações de Consumo de Belo Horizonte.

O torcedor cruzeirense requer indenização de R$ 110,00. O valor é referente ao gasto com transporte até à capital paulista, através de caravana da Torcida Fanáti-Cruz, além dos R$ 30,00 desembolsados pelo ingresso da partida válida pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Após a derrota para o Corinthians, a diretoria do Cruzeiro optou por protestar formalmente contra a atuação do trio de arbitragem. Entretanto, as reclamações junto à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) contra a atuação de Sandro Meira Ricci na não surtiram efeito. Em reunião com dirigentes do clube mineiro, na quinta-feira passada, a Comissão Nacional de Arbitragem manteve o parecer favorável ao árbitro.

Apesar das reclamações dos cruzeirenses, os dirigentes da Comissão Nacional de Arbitragem, Sergio Correa e Manoel Serapião Filho avaliaram que o árbitro acertou em todos os lances polêmicos da partida. Já em relação à atuação dos auxiliares, a dupla apontou cinco erros. Alessandro de Matos falhou em três lances e Roberto Braatz, em dois.

A ação de João Carlos Fonseca, porém, é movida apenas contra o árbitro. “Em entrevista à Rádio Itatiaia, antes de viajar aos Estados Unidos, Sandro Meira Ricci afirmou que era responsável por todas as ações do trio de arbitragem naquela partida”, justificou Fabrício Reis.

Fonte: UOL
http://esporte.uol.com.br/futebol/campeonatos/brasileiro/serie-a/ultimas-noticias/2010/11/23/torcedor-do-cruzeiro-processa-sandro-meira-ricci-por-danos-morais.jhtm

Categorias:Notícia Tags:, , ,

Richarlyson chamou juiz de ‘veado’

Richarlyson recebe o cartão do juiz na partida contra o Fluminense, em Barueri (Foto: Reprodução)

O volante Richarlyson deve uma suspensão severa no Supremo Tribunal de Justiça Desportiva da CBF. Expulso pela terceira vez no Campeonato Brasileiro na derrota do último domingo, para o Fluminense, por 4 a 1, em Barueri, o jogador foi citado na súmula do juiz paranaense Héber Roberto Lopes.

– Após cometer uma falta contra seu adversário, o mesmo dirigiu as seguintes palavras: “Seu filho da p… vai tomar no c…”. Relato ainda que fui informado pelo quinto árbitro que quando o mesmo deixava o gramado proferiu as seguintes palavras: “além de tudo é viado (sic)” – disse a sumula do juiz após a partida.

O caso ainda não foi apreciado pela procuradoria do STJD, mas o jogador certamente será julgado. Em seu ultimo julgamento, pelo cartão vermelho recebido contra o Santos, ele pegou dois jogos de gancho. Se o julgamento for marcado antes da partida contra o Atletico-MG, marcada para o dia 5 de dezembro, ele corre o risco de se despedir do clube sem voltar a jogar.

Categorias:Notícia Tags:, , ,
%d blogueiros gostam disto: