Arquivo

Posts Tagged ‘2016’

Trio paulista é eleito o melhor da arbitragem do Brasileirão 2016

melhores-2016-cbf

Na noite de ontem (12) foi realizada a festa na sede da CBF de encerramento do Brasileirão 2016, premiando os melhores do torneio escolhidos por cerca de mil jornalistas que votaram. O craque deste ano foi o atacante Gabriel Jesus do Palmeiras, enquanto a revelação foi Vitor Bueno do Santos Futebol Clube.

A seleção escolhida do campeonato foi a seguinte: Jaílson (Palmeiras); Jean (Palmeiras), Pedro Geromel (Grêmio), Yerri Mina (Palmeiras) e Jorge (Flamengo); Tchê Tchê (Palmeiras), Moisés (Palmeiras), Diego (Flamengo) e Dudu (Palmeiras); Robinho (Atlético-MG) e Gabriel Jesus (Palmeiras).

Durante a premiação, o melhor trio de árbitros do Brasileirão foi anunciado: Raphael Claus e os assistentes Marcelo Van Gasse e Rogério Pablos Zanardo. Todos são integrantes do quadro da Federação Paulista de Futebol.

Na segunda posição ficou o trio catarinense composto por Bráulio da Silva Machado (Aspirante Fifa), Neuza Inês Back e Alex dos Santos. Completando o pódio com dos 3 melhores trios, que tem direito a prêmio, veio outro trio paulista com Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza, Márcia Bezerra Caetano e Alex Ang Ribeiro.

As melhores equipes de arbitragem receberão um total de R$ 500 mil em premiação, sendo R$ 300 mil, R$ 150 mil e R$ 50 mil para os três primeiros trios, respectivamente.

O ranking para a premiação dos árbitros é elaborado da seguinte forma: após todos os jogos, um analista de campo e um analista de vídeo dão uma nota para o trio de arbitragem. As notas são processadas por um Comitê formado pelos ex-árbitros Vitor Pereira (português, que apitou em Copas do Mundo), José Roberto Wright e Cláudio Cerdeira. Esse comitê referenda ou reforma as notas dadas pelos analistas.

Com base nessas notas é elaborado o ranking nacional da arbitragem – que em 2016 termina com o trio paulista na liderança.

Confira o ranking com os 10 melhores trios do Brasileirão 2016:

ranking-cbf-2016

melhores-cbf-2016

Anúncios

Árbitros de vídeo serão testados no Mundial de Clubes da FIFA 2016

fifa-var-japan-2016

Um passo importante na história do futebol será dado no Mundial de Clubes da FIFA 2016 no Japão (realizado de 8 a 18 de Dezembro em Yokohama e Osaka), onde será utilizado o VAR (Video Assistant Referee), ou Árbitro Assistente de Vídeo, que terá auxílio da tecnologia de vídeo para interferir em decisões importantes que podem influenciar no resultado e legitimidade da partida. É a primeira vez que esta tecnologia será usada em uma competição oficial da FIFA.

– “Isso representa um grande passo nos testes da tecnologia”, disse Marco van Basten, diretor de desenvolvimento técnico da FIFA (Chief Officer Technical Development).

– “Estamos bem confiantes após toda a preparação com a ajuda do IFAB, a emissora Dentsu/NTV e da empresa Hawk-Eye – uma das empresas que fornece a tecnologia para o VAR. Ao mesmo tempo, é importante lembrar que estamos entrando em um território desconhecido, haja vista que vamos usar a tecnologia pela primeira vez (em competição oficial da FIFA). Em último caso, os testes serão muito valiosos para determinar se o processo está bom ou se precisará de algum ajuste fino”.

Este teste envolve a presença de um árbitro assistente de vídeo (VAR) que terá acesso a todas as imagens transmitidas de dentro de uma sala de operações, possibilitando que o árbitro da partida receba informação em campo para corrigir um erro claro em certas situações. Isto inclui incidentes importantes como gols marcados, decisões de pênalti, cartão vermelho direto e identificação de jogadores. O VAR terá um importante papel de apoio assim como os assistentes de linha e o quarto árbitro, mas o árbitro central continuará a ter a primeira decisão e a decisão final no jogo.

– “O sistema VAR foi desenvolvido da mesma maneira que a tecnologia da linha do gol, para prover informação adicional para o árbitro”, comentou o chefe da arbitragem da FIFA, Massimo Busacca.

– “Queremos que o fluxo normal do jogo seja mantido e, como sempre foi, a decisão seja sempre do árbitro principal. É a nossa filosofia e estes princípios e a aplicação prática da tecnologia foram explicados e demonstrados para nossos árbitros como parte do programa de treinamento”.

Como de costume, os árbitros e VARs selecionados para o Mundial de Clubes da FIFA 2016 participaram de treinamentos teóricos e práticos intensivos organizados pelo Departamento de Arbitragem da FIFA durante a semana que antecedeu a competição. Os pontos principais deram ênfase ao entendimento do futebol, leitura do jogo, posicionamento, trabalho em equipe e as diferentes mentalidades no futebol, com o objetivo final de alcançar a consistência e uniformidade das decisões. Os árbitros revisaram vídeos com situações reais de jogo e tiveram sessões práticas em campo com jogadores, que foram filmadas para que os participantes pudessem receber feedback imediato dos instrutores. O passo final antes do primeiro jogo incluiu uma sessão de treinamento com jogadores, algumas câmeras e o sistema VAR da Eye-Hawk no estádio de Yokohama. Isso tudo só foi possível após o sucesso nos testes na realização de amistosos internacionais de jogos da Itália.

Este vai ser um importante teste antes que outras competições adotem a tecnologia VAR a partir de 2017. O árbitro poderá ver um replay da jogada em um monitor ao lado do campo para certas decisões – é um progresso com relação ao testes parciais conduzidos em amistosos internacionais recentes na Itália nas partidas Itália x França em Bari em Setembro e Itália x Alemanha em Milão em Novembro.

Com o apoio da FIFA e do IFAB, associações nacionais de 12 países já confirmaram que participarão do experimento de 2 anos do uso do VAR (Alemanha, Austrália, Bélgica, Brasil, Catar, Estados Unidos, França, Holanda, Itália, México, Portugal, República Checa) em suas principais competições.

Para saber mais sobre o programa VAR da FIFA clique no link. Uma página com Perguntas e Respostas também está disponível.

Coronel Marinho diz que não houve interferência externa no Fla-Flu

Chefe da Comissão de Arbitragem da CBF admite que arbitragem deixou a desejar ao permitir toda a confusão no clássico, mas diz que confia na palavra do trio.

Há menos de um mês no comando da Comissão Nacional de Arbitragem, Coronel Marinho se manifestou sobre o lance polêmico do Fla-Flu da última quinta-feira. Na visão dele, não houve interferência externa no gol anulado do Fluminense, em entrevista à Rádio Globo. Contudo, apenas na segunda-feira ele divulgará qual será o desdobramento do caso.

– Amanhã (segunda-feira) vamos decidir, falamos em equipe, não é arbitro e nem assistente. Vamos avaliar tudo com muita calma. Já discutimos, avaliamos e eles (trio de arbitragem) sabem bem o que vai acontecer – disse.

Coronel Marinho contou que conversou com árbitro Sandro Meira Ricci e o assistente Emerson Augusto de Carvalho. Ele se mostrou convencido com o que ambos relataram sobre o acontecimento do Fla-Flu. A dupla negou que tenha havido interferência externa.

– Não houve interferência, até porque todo mundo falava. Não é o delegado que muda posição de um arbitro ou assistente. O que vale é que assistente e árbitro me confidenciaram. Isso que está valendo. Vamos em frente.

No entanto, Sandro Meira Ricci e Emerson Augusto de Carvalho foram criticados pela forma como conduziram o lance e a demora em tomar uma decisão. A partida ficou praticamente 13 minutos parada.

ricci-fla-flu-gol-anulado

– Não é bom, o procedimento não foi o correto, já conversamos com eles. Isso suscita algumas coisas, parece que há complô, coisa arrumada, e não existe isso. Não há interferência que querem falar que teve, paciência. Deu motivo para ter essa polêmica, discussão.

De acordo com uma leitura labial feita pelo programa Esporte Espetacular, da Rede Globo, o especialista afirma que o inspetor de arbitragem, Sérgio Santos, avisou ao árbitro que Henrique estaria impedido: “A TV sabe. A TV sabe que não foi gol”. O inspetor negou a fala.

– Existe o delegado e o inspetor de confiança da arbitragem. São duas figuras que ficam dentro do campo. O correto é não interferir em nada. E repito: não é o delegado que influenciou, todo mundo estava falando. Conheço o Emerson (auxiliar) há muitos anos, tem uma capacidade fantástica. Queria fazer o melhor e acabou prejudicado – disse Coronel Marinho.

O lance polêmico

Aos 39 minutos do segundo tempo do Fla-Flu de quinta-feira, disputado em Volta Redonda, o Fluminense marcou o que seria o gol de empate com o zagueiro Henrique. Tanto Sandro Meira Ricci quanto Emerson Augusto de Carvalho anularam o gol. Após pressão dos jogadores tricolores, voltaram atrás e validaram o tento. Foi a vez de os flamenguistas reclamarem e uma enorme confusão foi formada, com as duas equipes cercando o trio de arbitragem. No fim, o gol foi anulado novamente.

Fonte: Globo Esporte

Brasileiras estreiaram no Mundial Feminino Sub-17

brasileiras_jordania

A árbitra Regildenia Holanda e a árbitra-assistente Tatiane Camargo são as representantes da arbitragem brasileira na Copa do Mundo Feminina Sub-17, que acontece na Jordânia. A dupla estreou na competição comandando o confronto entre Alemanha e Canadá no último dia 3 de outubro. A partida terminou empatada em 1 a 1.

Regildenia é árbitra FIFA desde 2012. Já Tatiane ingressou no seleto quadro neste ano. No mês de setembro, as duas árbitras participaram do Curso Rap-FIFA para árbitros de Elite promovido pela Escola Nacional da Arbitragem do Futebol da CBF, realizado em Águas de Lindoia, no interior de São Paulo. Na ocasião, elas comentaram sobre a expectativa da participação. Confira:

Fonte: CBF

Como se sairam os árbitros candidatos nas eleições 2016

05/10/2016 8 comentários

Árbitros de futebol muitas vezes são expostos publicamente pela mídia e ficam em evidência, principalmente por conta dos jogos televisionados, seja regionalmente ou em âmbito nacional. Isso acaba levando alguns profissionais à fama e reconhecimento público, especialmente os árbitros que apitam grandes jogos e aqueles que moram em cidades menores, onde quase todos se conhecem. Viram uma espécie de celebridade do mundo esportivo.

Em época de eleição muitos se aproveitam dessa fama e tentam converter este reconhecimento em capital político, se lançando candidato a alguma vaga eletiva nas esferas públicas por todo país, angariando votos de parentes, amigos, simpatizantes e aqueles que acabam por confiar em suas propostas de campanha, ou mesmo aqueles que apostam em sua credibilidade pessoal ou profissional. Alguns desses personagens, inclusive, são conhecidos por serem engajados em trabalhos sociais, no meio religioso ou mesmo envolvido na organização e participação de eventos esportivos nas cidades onde residem.

Como tem sido comum no Brasil nos últimos anos, os candidatos-celebridades são muitos e variam desde atletas aposentados, participantes de programas de reality show, artistas e, mais recentemente, árbitros de futebol. Mesmo assim, há algum tempo alguns árbitros já conquistaram êxito político em seus redutos eleitorais, sendo um deles com grande experssão nacional, como é o caso de Evandro Roman.

Árbitros Apitando na Política Municipal

forati

Claudinei Forati

O ex-árbitro paulista Claudinei Forati, que atuou por alguns anos na Primeira Divisão do Campeonato Paulista e também pela CBF no Campeonato Brasileiro, se elegeu vereador da cidade de Iguape (SP) em 2008 pelo PR e pleiteou o cargo de prefeito da mesma cidade em 2012, onde obteve cerca de 40% dos votos, porém sem sucesso. Atualmente, Nei Forati, como é conhecido, atua como assistente parlamentar do deputado estadual Caio França em São Paulo. Nei, curiosamente, estava na cidade do Guarujá em 2014, juntamente com outros correligionários quando esperavam pela chegada do então candidato à presidência Eduardo Campos, que acabou morto em acidente aéreo na ocasião.

Ainda em 2012, outros árbitros tentaram uma vaga na câmara de vereadores ou mesmo no cabinete do executivo municipal, mas não tiveram êxito. São eles:

O paulista Aurélio Sant’Anna Martins, advogado e árbitro atuante, tentou a vaga de vice-prefeito pelo PTB em Jacareí (SP), no entanto, sua chapa teve menos de 8% dos votos.

Outro paulista, José Henrique de Carvalho chegou ao posto de árbitro aspirante Fifa e atuou em alto nível pela FPF e CBF e chegou a comandar a final do Paulista em 2007. Em 2010 se lesionou e não conseguiu mais voltar aos gramados. Em 2012 tentou se eleger vereador em Americana (SP) pelo PSDB, mas sem sucesso. Atualmente é vice-presidente da Comissão de Arbitragem da FPF.

Cleisson Veloso

Cleisson Veloso

Marcelo de Lima Henrique, árbitro carioca e militar da Marinha se lançou para vereador pelo PV em Itaboraí (RJ) e também não se elegeu. Chegou e ser do quadro da FIFA e fez diversos jogos decisivos em competições estaduais, nacionais e internacionais.

Cleisson Veloso, é taxista e árbitro do quadro da Federação Mineira e da CBF, foi o melhor árbitro do Campeonato Mineiro de 2012, nasceu em Belo Horizonte e concorreu a uma vaga de vereador pelo PR em Confins (MG). Conseguiu ser eleito com 244 votos.

Rodrigo Otavio Baeta, ex-árbitro mineiro do quadro da CBF, tentou o cargo de vereador pelo PRP em Belo Horizonte (MG), mas sem sucesso.

Raimundo Carneiro de Oliveira, ex-árbitro baiano, chegou atuar pela CBF, tentou a vaga de vereador em Salvador pelo PTN, sem se eleger.

Rosalvo da Silva Mota, ex-árbitro baiano, concorreu ao cargo de vereador pelo PMDB em Vitória da Conquista. Foi considerado o melhor árbitro da Bahia em 1994, 95 e 96. Apitou 14 clássicos entre Bahia e Vitória e atuou por 8 anos no quadro da CBF. Não se elegeu.

José Rene Stavinski, foi assistente paranaense e da CBF, além de presidente da APAF – Associação Profissional dos Árbitros de Futebol do Paraná. Concorreu a vereador em Guarapuava (PR) pelo PPS.

Sueli Terezinha Tortura, ex-árbitra, foi a primeira mulher paranaense a chegar no quadro da FIFA onde permaneceu de 1997 a 2006. Tentou a vereança em Curitiba pelo PSL.

Suelson Diogenes de França Medeiros foi candidato a vereador pelo PSD em Natal.

José Acácio da Rocha, árbitro da Federação Catarinense de Futebol e CBF e professor de ensino médio, se lançou a vereador pelo PSDB em Itajaí.

Jefferson Schmidt, árbitro da CBF e major da Policia Militar de SC, concorreu a vereador em Balneário Camboriu.

Fernando Divo da Silva, árbitro Catarinense, concorreu a vereador na eleição de 2008 pelo PP e obtendo 335 votos.

Árbitros na Câmara dos Deputados

Evandro Rogério Roman

Evandro Rogério Roman

Lenilton Rodrigues Gomes Junior, árbitro e professor no Rio de Janeiro, foi candidato a deputado estadual pelo PSD em seu estado em 2012, mas não foi eleito.

Quem se deu bem na política foi o ex-árbitro Evandro Rogério Roman, que chegou a ser do quadro internacional da Fifa pelo estado do Paraná. Roman, em sua primeira incurssão como candidato político, foi eleito pelo PSD com mais de 92 mil votos como deputado federal nas eleições de 2014 em seu estado natal e inclusive participou em 2015 da comissão do futebol pleiteando a aprovação de lei que garantiria 0,5% das receitas do futebol aos árbitros. A presidente Dilma retirou este artigo da lei, o que causou protestos dos árbitros no Campeonato Brasileiro. Antes de se eleger, Roman foi secretário de Esportes do Estado do Paraná. O deputado também ficou em evidência por ter votado a favor da abertura do processo de impeachment contra a presidente Dilma em 2016.

Eleições Municipais 2016

Confira aqui alguns dos árbitros (e ex-árbitros) que se lançaram candidatos nas eleições de 2016. Alguns conseguiram ser eleitos ou reeleitos como vereador e teve até árbitro que virou prefeito.

Juliano Lopes Lobato, 44 anos, ex-árbitro mineiro do quadro da CBF e professor, foi candidato a vereador reeleito em Belo Horizonte (MG) pelo PTC com 7.714 votos neste ano.

Joao Bosco de Carvalho, 57 anos, concorreu ao cargo de prefeito na cidade de São José do Jacuri (MG) pelo PPS. Obteve apenas 77 votos, menos de 2% do total e não foi eleito.

marco-martinsMarco Antônio Martins, 49 anos, foi recentemente presidente da ANAF (Associação Nacional dos Árbitros e Futebol) e se afastou do cargo para tentar a vaga de vereador pelo PC do B em Florianópolis, seu reduto eleitoral e local de residência. Dentre suas propostas de campanha, as principais eram relacionadas ao transporte público, como a implementação de corredor exclusivo para BRT, uso de transporte marítimo e suporte para bicicletas em ônibus. Obteve 1.014 votos, um número expressivo, que o deixou na setuagésima posição na lista entre os mais votados da cidade, porém não teve o suficiente para se eleger. Logo após as eleições do último domingo, Martins reassumiu a presidência da ANAF.

Charles Hebert Cavalcante Ferreira, árbitro atuante pela CBF e pela Federação Alagoana, tentou o pleito na vaga de vereador pelo PC do B na cidade de Maceió (AL), obtendo um total de 1.048 votos, ficando em 75º lugar entre os mais votados. Apesar da votação, Charles não foi eleito para a próxima legislatura. Sua campanha se baseou na plataforma do esporte como ferramenta de inclusão social e oportunidade para os jovens locais, no combate ao crime e drogas desde a sua formação. Hebert se apresentou como um multiplicador social.

Francielly Fernanda Lima de Castro é uma jovem árbitra de apenas 19 anos que atua no estado de Minas Gerais. Castro concorreu ao cargo de vereadora na cidade de pará de Minas (MG) pelo PC do B. Um dos seus trunfos foi o apoio público do árbitro FIFA, Ricardo Marques Ribeiro, que gravou e publicou um vídeo de apoio no Facebook. O site do TSE não informa a quantidade de votos que ela obteve, e sua situação consta como pendente.

Ricardo Garcia Genaro, 37 anos, foi árbitro assistente da Federação Paulista e policial militar, se lançou candidato a vereador pelo PSB em Bauru (SP) e obteve 760 votos, mas não foram suficientes para sua eleição. Em 2013, quando ainda estava na ativa na arbitragem e na PM, sofreu um duro golpe na vida em um assalto a mão armada que ocorreu em um estabelecimento comercial onde se encontrava. Acabou baleado e perdeu os movimentos das pernas ficando paraplégico, sendo obrigado a abandonar sua carreira profissional. Dedicado e com apoio da família e amigos, Genaro transformou sua dor em motivação e inspiração de vida e, através de sua história se dedicou à candidatura política para reverter em serviços em prol da sociedade bauruense, fazendo dela uma cidade mais humana, acessível e segura.

Árbitro Prefeito

Modesto Salviatto

Modesto Salviatto

Um ex-árbitro que obteve um dos maiores êxitos foi Modesto Salviatto Filho, de 63 anos, capitão da PM aposentado e nascido na cidade de Brotas (SP). Modestinho Capitão, como é conhecido, atuou durante muitos anos como árbitro de primeira linha na Federação Paulista de Futebol (FPF), apitando jogos importantes futebol paulista e brasileiro nas décadas de 1980 e 1990. Modestinho foi vereador em sua cidade natal por 3 mandatos consecutivos, eleito em 2004, 2008 e 2012, inclusive chegando a ser presidente da Câmara Municipal de Brotas por 2 ocasiões. Modesto trabalhou para a FPF como analista de arbitragem no Campeonato Paulista e Delegado da Presidência da FPF em jogos do Campeonato Brasileiro. Nas eleições de 2016 concorreu ao cargo de prefeito de Brotas pelo PTB e venceu o pleito com 5.979 votos, chegando a quase 47% dos votos válidos. Salviatto passou por uma situação difícil em 1990 onde foi agredido em campo por jogadores do time de juniores do Fluminense no Estádio do Canindé, que perdeu para a Portuguesa de Desportos na disputa da Taça Cidade de São Paulo. Veja a reportagem do Globo Esporte.

Raimundo Menezes de Carvalho Filho, 60 anos, servidor p’ublico aposentado e ex-árbitro que também foi eleito prefeito municipal na cidade de Ferros (MG) pelo PSDB, onde recebeu 3.654 votos.

Árbitros da Categoria de Base Também Concorreram

Rogério Laranjeira

Rogério Laranjeira

Árbitros que atuam nas categorias de base do futebol de São Paulo também concorreram ao cargo de vereador nestas eleições e 2 deles conseguiram a aprovação popular nas urnas.

Thiago de Jesus Braga Quirino dos Santos, 27 anos, concorreu pelo PROS a uma vaga de vereador em São Carlos (SP) e obteve 243 votos, porém foram insuficientes para sua eleição. Thiago é engajado em eventos esportivos na cidade e na comunidade católica.

Benilto José de Brito, 33 anos, concorreu a vereador pelo PSB na cidade de Iguape (SP), onde nasceu. Foi eleito com 604 votos, ficando em primeiro lugar entre os vereadores mais votados.

Rogério dos Santos Laranjeira, 40 anos, também conhecido como Mão no meio político, já era vereador e foi reeleito para mais um mandato pelo DEM em Alto Alegre (SP), sendo o quarto mais votado com 204 votos.

Outros Árbitros que Concorreram em 2016

Árbitros e ex-árbitros de futebol em nível profissional e amador que concorreram, mas não foram eleitos em 2016.

Nome Idade Cidade Estado Partido Votos
José de Caldas Souza 49 Tabira PE REDE 61
Edson Aristeu Fonseca 68 Itajubá MG PTB 112
Erico Eduardo Ferreira 28 Santa Luzia do Norte AL PSB 52
Edivan da Silva Matias 41 Eldorado dos Carajás MA PMDB 71
José Elimar Ferreira 50 Campo Maior PI PPS 85
Katiuscia Mayer Berger Mendonça 39 Baixo Guandu MG PMDB 54
Marcelo Ribeiro da Silva 47 Franca SP PMB 363
Carlos Andre da Silva Pinto 39 Arapiraca AL PRB 26
Érico Josino Barbosa da Costa 62 Sapucaia do Sul RS PTC 34
Mario Jorge Ferreira Lima 46 Rio Branco AC PRP 195
Anderson Ricardo dos Santos 40 Penápolis SP PT 47
Celio Rezende 67 São Carlos SP PP 48
Itamar Cassiano da Silva 57 Colatina ES PP 355
Gabriel Ferreira da Luz 43 Mairinque SP PRTB 17
Fernando Aparecido Barbosa 42 em Limeira SP PEN 366
Marcelo Ribeiro da Silva 47 Franca SP PMB 363
Rubens Antonio Marcolin Filho 39 Americana SP PMDB 130
Andre Augusto Pinheiro 36 Nazaré Paulista SP PEN 183
João Vitor Gobi 20 Cajobi SP DEM 117
Jonathan Feitosa Sampaio 19 Mauá SP PT do B 200
Everton da Rocha Andrade de Paula 32 Porto Feliz SP PSB 38
Edimar Kapiche Luciano 32 Cacoal RO PHS 498
Categorias:Notícia Tags:, ,

Coronel Marinho assume presidência Comissão de Arbitragem da CBF

28/09/2016 1 comentário

A CBF anunciou nesta terça-feira (27) mudanças na Comissão de Arbitragem. Sérgio Corrêa deixa o cargo de presidente e assumirá a coordenação do Projeto de Desenvolvimento e Implementação do Árbitro de Vídeo.

marinho

A Confederação Brasileira de Futebol anunciou nesta terça-feira a troca do comando da Comissão de Arbitragem. Sérgio Corrêa deixa o cargo de presidente, que passará a ser ocupado por Marcos Cabral Marinho de Moura, o Coronel Marinho. O vice-presidente será Alício Pena Júnior. Os ex-árbitros Cláudio Cerdeira e Ana Paula Oliveira também farão parte da Comissão.

Marinho foi presidente da Comissão de Arbitragem da Federação Paulista entre 2005 e 2016 – deixou o cargo em janeiro deste ano, após um erro na escala que acarretou na escalação de Flávio Rodrigues Guerra para uma partida da Copa São Paulo de Juniores, sendo que o árbitro estava suspenso pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva.

Ao deixar o cargo, Sérgio Corrêa passa a chefiar o Projeto de Desenvolvimento e Implementação do Árbitro de Vídeo da CBF. Além disso, há mudanças também na Escola Nacional de Árbitros de Futebol (ENAF), que passará a ser dirigida por Manoel Serapião Filho.

cbf-arbitragem“Quero deixa bem claro que reconhecemos o trabalho que o Sérgio realizou. O que será feito agora será decidido e anunciado que Marcos Marinho fará amanhã às 15h (de Brasília) aqui na CBF”, explicou o secretário geral da entidade, Walter Feldman.

“Hoje temos uma comissão independente (para avaliar os erros do Brasileirão). Temos uma avaliação jogo por jogo. O sonho do Marco Polo é ter 40 árbitros preparados para que eles sejam o top de linha dos grandes jogos do nosso futebol. Ainda não é possível a profissionalização, é um custo alto que ainda não podemos arcar”.

O novo presidente da Comissão de Arbitragem será apresentado e concederá entrevista coletiva às 15h desta quarta-feira (28), no auditório da CBF.

 

Categorias:Humor Tags:, ,

Heber empurra jogador Dudu do Palmeiras em clássico e vinga Ceretta

Por essa o jogador Dudu do Palmeiras não esperava. No clássico entre Corinthians e Palmeiras, disputado na Arena Itaquera em São Paulo, válido pela vigésima-sexta rodada do Brasileirão 2016, o árbitro Héber Roberto Lopes, em um momento intempestivo logo aos 9 minutos de jogo, empurrou o capitão alviverde quando o atacante se dirigia em sua direção reclamando da marcação de uma falta. Héber, árbitro caricato e de feições peculiares, disparou sua cara brava em um gesto agressivo que deixou Dudu acuado, saindo de fininho e assustado com a atitude inesperada.

O lance inusitado lembrou um triste fato na final do Campeonato Paulista de 2015, onde o mesmo Dudu, após ser expulso por Guilherme Ceretta de Lima, correu em sua direção aplicando um empurrão covarde pelas costas. Dudu foi denunciado por agressão contra o árbitro e o Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) da FPF condenou Dudu a uma pena de 180 dias de suspensão em primeira instância, mas, infelizmente, parece que tudo não passou de um teatro armado, pois na sequência o Tribunal fez um acordo e reduziu a pena para 6 jogos de suspensão e uma multa de 50 mil reais. Mais uma vergonha para o esporte nacional. No entanto, Dudu foi condenado na justiça comum a pagar uma reparação por dano moral de 25 mil reais para Ceretta. Cabe recurso na decisão.

dudu

%d blogueiros gostam disto: