Arquivo

Posts Tagged ‘2017’

CBF quer árbitro de vídeo já na próxima rodada do Brasileirão

Decisão foi tomada pelo presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, após reclamações do Vasco por causa do gol de mão anotado por Jô.

O Campeonato Brasileiro terá árbitro de vídeo na próxima rodada, declarou o chefe da Comissão Nacional de Arbitragem, coronel Marcos Marinho. A decisão foi tomada pelo presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, depois do gol de mão anotado pelo corintiano Jô na vitória por 1 a 0 sobre o Vasco.

– A decisão foi comunicada pelo presidente a nós, e vamos implementar na rodada do final de semana – disse Marinho.

A CBF até agora se recusava a implantar o árbitro de vídeo em suas competições por causa do alto custo da operação. A situação mudou totalmente nesta semana.

– Não importa quanto custar. Vamos implementar – disse Marinho.

Uma reunião será realizada nesta terça-feira na sede da CBF para definir detalhes da implantação – e se o árbitro de vídeo será usado também em outras competições da CBF, como a Copa do Brasil.

Nesta segunda-feira, o presidente do Vasco, Eurico Miranda, participou de uma reunião com a cúpula da CBF, na qual ouviu a promessa da implantação do árbitro de vídeo. Informação agora confirmada por Marcos Marinho.

O Regulamento Geral de Competições da CBF prevê o uso de árbitro de vídeo, mas não há obrigatoriedade do uso em todas as rodadas ou todas as partidas do mesmo torneio.

Fonte: Globo Esporte

Anúncios
Categorias:Notícia Tags:, , , ,

Lorraine Watson se torna a primeira árbitra na liga escocesa masculina

No último final de semana a alemã Bibiana Steinhaus (38) se tornou a primeira mulher a atuar como árbitra principal em uma competição de alto nível da Europa na partida entre Herta Berlim e Werder Bremen. Uma grande conquista das mulheres no Velho Continente e no mundo.

Seguindo essa nova era onde as mulheres estão mostrando suas competências e ganhado mais espaço, mesmo em lugares que antes eram quase que confinados aos homens, uma nova oportunidade foi dada na Escócia. Lorraine Watson, de 32 anos, comandou a vitória de 1 a 0 do Edimburgo City sobre o Berwick Rangers, no Ainslie Park, válida pela Segunda Liga Escocesa (League Two), o que equivale à quarta divisão do país. Foi a primeira mulher a apitar uma partida deste nível no país. Ela espera que sua estreia ajude outras mulheres a conquistar eu espaço.

– Os objetivos agora são maiores que antes. Quanto mais acontecer, mais natural se tornará. E isso pode virar exemplo para os jovens que estão chegando e querem alcançar níveis mais altos – disse Watson.

A estreante havia sido escalada como quarta-árbitra em 4 partidas da Euro Feminina 2017 em julho.

Watson disse que os jogadores a respeitaram como qualquer outro árbitro que tivesse apitando a partida e não houve problemas.

– Me trataram normalmente, como qualquer outro árbitro. Reclamaram comigo como fariam com qualquer outro árbitro homem.

– Tudo se trata das decisões feitas em campo. Não importa seu gênero, se a torcida ou os times não ficarem satisfeitos com as decisões, eles vão pegar no seu pé. Infelizmente, se você é uma mulher, eles geralmente vão levar isso em conta e usarão isso como argumento. Se acertar ninguém vai nem te notar.

Não foi do dia pra noite

Há quatro anos atrás Watson havia bandeirado uma partida do Rangers no estádio Ibrox, apitou no Campeonato Sub-19 Europeu Feminino e na Liga Feminina local, o que a levou à categoria de árbitros em desenvolvimento para a categoria 1 do seu país.

– Todos os árbitros iniciam na categoria 7, são observados em seus jogos e progridem na carreira. Agora estou na categoria de desenvolvimento. Já atuo há 15 anos na arbitragem, então não foi do dia pra noite, foi um longo aprendizado. Espero ter mais jogos na Segunda Liga ainda este ano, ser avaliada e quem sabe chegar na categoria 1. Isso pode me abrir as portas para a primeira divisão.

Brasil teve uma mulher na Primeira Divisão há 14 anos

Embora a Europa seja o grande berço cultural do planeta e mostre um avanço social em geral maior que outras regiões, foi no Brasil que uma mulher atingiu o topo da carreira na arbitragem há muitos anos atrás.

Silvia Regina de Oliveira, ex-árbitra FIFA, chegou na primeira divisão do Campeonato Brasileiro em 2003, estreando com um trio feminino na partida entre Guarani e São Paulo, assistida por Ana Paula de Oliveira e Aline Lambert. Dia histórico. Apitou importantes partidas e permaneceu neste nível até 2005, incluindo um clássico entre São Paulo e Corintians com o estádio do Morumbi lotado. Um feito nunca mais alcançado por outra mulher no país. Silvia ainda participou de uma Olímpiada e hoje atua como instrutura de arbitragem da FIFA e faz parte do Departamento de Árbitros da Federação Paulista de Futebol.

Bibiana Steinhaus é a primeira mulher a apitar nos principais campeonatos europeus

10/09/2017 1 comentário

A policial alemã Bibiana Steinhaus de 38 anos se tornou neste domingo a primeira mulher a apitar um jogo de futebol da primeira divisão de um dos maiores campeonatos europeus, ao dirigir a partida entre o Hertha Berlim contra o Werder Bremen, pela terceira rodada do campeonato alemão.

Após 10 anos de carreira na segunda divisão do seu país e ter sido designada para atuar nos mais importantes jogos do futebol feminino mundial, finalmente Bibiana foi selecionada para integrar o elenco de 24 árbitros da Bundesliga.

Embora outras mulheres tenham atuado em alto nível como árbitras assistentes em competições da França, Itália e Inglaterra, essa é a primeira vez que uma mulher chega a este nível comandando uma partida como árbitra principal. Um êxito em tanto.

A secretária-geral da FIFA, Fatma Samoura, escreveu em seu perfil no Facebook: “é uma mensagem forte para o resto do mundo”.

Em entrevista dada por Bibiana dias antes da partida, ela comentou:

– Nunca fiz isto com um objetivo de emancipação. Fiz simplesmente aquilo que amo. Mas se sou um exemplo para muitas jovens mulheres, ou mesmo uma pioneira no avanço na igualdade de direitos, fico satisfeita, evidentemente.

Categorias:Notícia Tags:, ,

Árbitros de elite são aprovados em testes físicos

Na manhã da última segunda-feira (04), 40 árbitros e árbitros-assistentes de elite, homens e mulheres, foram submetidos a série de testes físicos que os habilita a continuar atuando em partidas de competições internacionais e da CBF. A atividade foi realizada na cidade de Jundiaí e faz parte da programação do 14º Curso RAP-FIFA para Árbitros de Elite, evento organizado pela Escola Nacional de Arbitragem (ENAF) que acontece até o próximo dia 8 (sexta-feira), em Águas de Lindoia, no interior de São Paulo.

O RAP (Abreviação da expressão em inglês Referees Assistance Programme ou Programa de Assistência para Árbitros), reunirá todo o quadro de árbitros FIFA nacional. Nos testes da manhã de segunda-feira, apenas dois árbitros foram reprovados, 5% dos participantes. O grupo passou por atividades que avaliaram a velocidade e a resistência dos participantes, e dão um panorama do condicionamento físico atual dos donos do apito.

Pela parte da noite, já em Águas de Lindoia, os árbitros e árbitros assistentes deram início à programação do Curso RAP. Durante quatro dias, eles terão aulas práticas e teóricas com instrutores internacionais e nacionais, sob a supervisão de Jorge Larrionda, instrutor técnico da FIFA e membro da Comissão de Árbitros da Conmebol.

Confira abaixo a lista de participantes do 14º Curso RAP-FIFA

Anderson Daronco – RS
Alessandro Álvaro Rocha de Matos – BA
Dewson Fernando Freitas da Silva – PA
Bruno Boschilia – PR
Luiz Flávio de Oliveira – GO
Bruno Raphael Pires – GO
Raphael Claus – SP
Danilo Ricardo Simon Manis – SP
Ricardo Marques Ribeiro – SP
Fabricio Vilarinho da Silva – GO
Rodolpho Toski Marques – PR
Guilherme Dias Camilo – MG
Wagner Magalhães – RJ
Kleber Lúcio Gil – SC
Wilton Pereira Sampaio – MG
Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa – RJ

Cláudio Francisco Lima e Silva – SE
Clóvis Amaral da Silva – PE
Eduardo Tomaz de Aquino Valadão – PA
Elicarlos Franco de Oliveira – BA
Flavio Rodrigues de Souza – PR
Luiz Claudio Regazone – RJ
Rafael Traci – SP
Miguel Cataneo Ribeiro da Costa – SP
Rodrigo Batista Raposo – SP

Rafael da Silva Alves – RS
Vinicius Gonçalves Dias Araújo – SP
Rogerio Pablos Zanardo – SP
Victor Hugo Imazu dos Santos -PR

Deborah Cecília Cruz Correia -PR
Márcia Bezerra Lopes Caetano – RO
Edina Alves Batista -DF
Neuza Inês Back – SC
Regildenia de Holanda Moura – SP
Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo – SP
Rejane Caetano da Silva – GO
Katiuscia da Mota Lima – SP
Daiane Caroline Muniz do Santos – MS
Thayslane de Melo Costa – SE
Leila Naiara Moreira da Cruz – DF

Fonte: CBF

Categorias:Notícia Tags:, , ,

Árbitro de Alagoas é agredido em campo

Júlio César Farias diz que foi agredido por comissão técnica e atletas do Coruripe após partida do Alagoano sub-20: “Chutes, socos e anilha de 5 kg”.

O árbitro Júlio César Farias usou as redes sociais para denunciar agressão sofrida na partida entre Coruripe e Santa Cruz, pelas semifinais do Campeonato Alagoano sub-20. Segundo o juiz, o quarteto, formado por ele, Ana Paula, Francisco Freitas e Márcio Oliveira, foi agredido no vestiário pelos jogadores e comissão técnica do Coruripe, nesse sábado. Ele fez um boletim de ocorrência em Maceió, alegando que não tinha como continuar na cidade do interior, e ameaça abandonar a carreira. O árbitro também relatou que não havia policiamento no Estádio Gerson Amaral, em Coruripe, e criticou a comissão de arbitragem de Alagoas.

Júlio, de 26 anos, contou que os jogadores quebraram vasos sanitários do vestiário, lançaram anilha e partiram para agressão física. O Coruripe venceu a partida por 1 a 0, mas acabou eliminado por ter perdido o primeiro jogo por 2 a 0. No final da partida, os atletas começaram a discutir em campo e o juiz expulsou jogadores do Hulk. A confusão começou aí.

– Foram chutes, socos, anilha de 5kg jogada, vaso sanitário quebrado, entre outras coisas utilizadas para a agressão da arbitragem. Eles entraram no vestiário, quebraram a porta e, covardemente, nos agrediram. O policiamento que tanto cobrei alguns dias atrás hoje mostrou o real motivo e sua importância. O campeonato sub-20 de Alagoas me proporcionou esta cena lamentável que venho compartilhar com vocês – lamentou o árbitro, que também fez fotos e publicou nas redes sociais.

De acordo com o árbitro, ele foi obrigado a iniciar a partida, no Estádio Gerson Amaral, sem a presença dos policiais. Segundo ele, essa não foi a primeira vez que isso aconteceu.

– No dia 27 de julho fui escalado pela Comissão de Arbitragem Alagoana para fazer o jogo entre Sete de Setembro x CSA, pelo campeonato sub-20. “O regulamento da competição diz que a partida para ter início deve ter policiamento”, só que naquele dia não tinha policiamento e por isso resolvi não iniciar o jogo. Recebi ligações do sr. Júnior Beltrão e George Alves Feitosa (vice-presidente da CEAF) para que iniciasse o jogo sem policiamento. Por causa disso, fui convidado para prestar esclarecimento sobre o caso, relatei que não era correto iniciar um jogo sem a mínima segurança. No sábado (19), fui escalado para comandar o jogo de volta da semifinal do campeonato sub-20, entre as equipes do Coruripe x Santa Cruz, e fui obrigado mais uma vez a iniciar a partida sem segurança, autorizado pela comissão de arbitragem.

Vice-presidente da Comissão de Arbitragem, George Alves conversou com o GloboEsporte.com e negou que tenha obrigado o juiz a iniciar o jogo sem o policiamento.

– Sobre a agressão, eu lamento muito o que aconteceu. Nós trabalhamos para fazer cumprir as regras do jogo. Não satisfeita pelo resultado da partida, a equipe do Coruripe agiu de forma covarde contra o quarteto de arbitragem. Foi muito desumano. Tentei contato com ele [Júlio César] para saber da boca dele o que realmente aconteceu e não obtive sucesso. A recomendação é que sempre que acontecer fatos dessa natureza, o árbitro tem que comunicar à direção da Federação Alagoana, ele não fez isso”, declarou George, que também foi incisivo ao rebater o árbitro.

– Para minha estranheza, ele colocou uma nota em sua rede social dizendo que foi obrigado [a iniciar o jogo sem policiamento]. Durante essa semana eu não tive nenhum contato com o Júlio César. O que ele cita, o jogo entre CSA e Sete de Setembro, o presidente da Federação Alagoana [Felipe Feijó] ligou para ele para saber o motivo de ele não querer começar o jogo, e ele disse que não atenderia ninguém. O presidente pediu que eu ligasse para ele para saber o que estava acontecendo, expliquei para ele que nas regras do jogo o árbitro tem o poder de decidir se inicia ou não uma partida de futebol. A gente aqui tem dificuldade em relação à segurança pública, nosso estado é pequeno, com poucos policias, imagine se a cada partida de futebol tiver que ter policiamento. Mas não tem essa de dizer que nós determinamos, acredito que ele foi leviano, não agiu com decência, ele pode em qualquer jogo que for apitar decidir se dá o jogo ou não. Ninguém obriga a um árbitro a dar uma partida. Mas posso dizer que dificilmente em todas as partidas nós temos policiamento, e cabe ao árbitro decidir. Em nenhum momento entrei em contato obrigando ele a dar o jogo.

O juiz alagoano falou também, em entrevista à Rádio Gazeta, que pensa em desistir da carreira. Júlio César é árbitro da Confederação Brasileira de Futebol.

– Isso não pode ficar impune. Estou aqui em casa, meu pé está inchado, estou com a coxa cortada. Vai ficar por isso mesmo? Eu tenho que ser agredido? Isso tem que acabar! Eu penso hoje sinceramente em abandonar a arbitragem, não quero saber se perco o escudo. Ontem foi muito lamentável o que aconteceu, e penso em abandonar sim. Eu quero ficar com minha família, que está muito triste com o que aconteceu.

A diretoria do Coruripe lamentou o que aconteceu em nota oficial.

– A Associação Atlética Coruripe lamenta profundamente os fatos ocorridos na noite deste sábado. A diretoria reitera a sua posição de condenar os episódios ocorridos. No entanto, ao longo deste domingo e nesta segunda-feira os fatos serão devidamente apurados e os responsáveis serão submetidos às normas e regras dispostas no regimento do clube.

Júlio César fez um boletim de ocorrência e deve entregar a súmula do jogo na segunda-feira. O caso vai ser levado ao Tribunal de Justiça Desportiva de Alagoas.

Fonte: Globo Esporte

CBF contesta acusão de interferência externa na arbitragem em jogo da Copa do Brasil

Para Marcos Marinho, quarto árbitro tinha condições de observar o lance, e Leandro Vuaden acertou ao voltar atrás em marcação de pênalti.

O presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Coronel Marcos Marinho, negou que o grupo de arbitragem do jogo Santos x Flamengo, na última quarta, tenha sofrido interferência externa na anulação do pênalti de Réver em Bruno Henrique, quando a partida estava empatada em 1 a 1, no primeiro tempo. O Peixe venceu por 4 a 2, mas foi eliminado no critério gols como visitante, já que o Fla havia vencido o primeiro jogo por 2 a 0.

No lance, o árbirtro Leandro Vuaden assinala penalidade, mas volta atrás e marca escanteio após ser chamado pelo quatro árbitro, Flávio Rodrigues de Souza. Entre uma decisão e outra, o tempo foi de um minuto e onze segundos.

Marinho nega que Souza tenha recebido algum tipo de contato, via escuta, de alguém que estivesse acompanhando a transmissão do jogo pela televisão.

– Não teve nenhuma informação externa, foi pela visão do quarto árbitro, que é muito experiente. Está fora de cogitação (a interferência). O ângulo do Flávio era favorável. Não houve nem tempo para uma interferência – afirmou Marinho, que disse ter conversado com Vuaden e Souza depois da partida.

Para o Coronel Marinho, a atitude de Vuaden de voltar atrás na marcação do pênalti, atentendo à recomendação de Flávio Rodrigues, foi correta:

– Eles acertaram. Ainda bem.

O lance gerou reclamação dos santistas, que venceram por 4 a 2 e ficaram a um gol de se classificarem para as semifinais da Copa do Brasil.

Na saída de campo, o zagueiro David Braz chegou a dizer que faltou a Vuaden “vestir a camisa do Flamengo”.

Na súmula de Santos x Flamengo, árbitro Leandro Vuaden relatou não ter havido “nada de anormal” no jogo.

Fonte: Globo Esporte

Árbitro FIFA vibra ao término de jogo do Brasileirão após boa atuação.

O árbitro mineiro Ricardo Marques chamou atenção ao comemorar término do jogo no Morumbi.

Uma cena incomum ocorreu na noite da última segunda-feira na partida entre São Paulo, que quer fugir da zona de rebaixamento, e o Grêmio, que tenta diminuir a diferença para o líder Corinthians. Com o empate nenhuma equipe teve muito o que comemorar, mas o árbitro Ricardo Marques Ribeiro teve, e muito. Após um bom trabalho da equipe de arbitragem o mineiro celebrou com entusiamo o desempenho no jogo. A vibração do árbitro inclusive chamou atenção do apresentador André Rizek da SporTV.

Logo que encerrou a partida, Marques fez o sinal da cruz e vibrou efusivamente ao comemorar a boa atuação que o trio mineiro teve em todo o jogo. O árbitro ainda agradeceu os assistentes Guilherme Dias Camilo e Pablo Almeida da Costa pelo rádio comunicador enquanto caminhavam ao centro do campo.

Em entrevista ao Globo Esporte, Ricardo explicou sua vibração:

– Depois do apito final, procurei externar minha satisfação de dever cumprido. Não é um procedimento comum, normal. Prezamos pela discrição. O que dá mais prazer ao árbitro é passar despercebido. Nem me dei conta que teria essa repercussão. Foi um ato muito espontâneo. Dada as circunstâncias do jogo, uma partida difícil, de uma equipe que briga pela liderança e outra contra o rebaixamento. Nos preparamos muito. Foi uma partida que exigiu muito da gente, muito intensa, de decisões difíceis – afirma o árbitro.

Ricardo garante que após a partida recebeu inúmeras mensagens de apoio e elogios por meio do seu celular e acredita que o fato não deve gerar nenhum tipo de repreensão por parte da Comissão de Arbitragem da CBF.

– Alguns colegas me cumprimentaram pela atitude, a forma de vibrar com o jogo. Até se emocionaram falando comigo. Árbitro é ser humano, movido por paixões, fraquezas, limitações. Em alguns momentos, as emoções se externam. Não é uma máquina que está ali. Não me contive – conta o árbitro.

Ele ainda disse que foi a primeira vez que algo do tipo ocorreu em sua carreira.

– Vou me conter. Não é um padrão. Como árbitro internacional, sou uma referência aos mais jovens. É claro que, se voltar a acontecer, as pessoas vão entender. Não pode se tornar uma prática.

O empate não foi suficiente para tirar o São Paulo do Z-4 (zona de rebaixamento). Com apenas 16 pontos, a equipe volta a jogar no Brasileiro no próximo sábado contra o Botafogo. Vice-líder com 32 pontos, o Grêmio recebe o Santos, domingo, em Porto Alegre.

Categorias:Notícia Tags:,
%d blogueiros gostam disto: