Arquivo

Posts Tagged ‘Braghetto’

Após encerrar carreira e cogitar suicídio, ex-árbitro “troca de lado” e vira cartola

Rodrigo Braghetto decidiu aposentar após ser sacado da final do Paulistão de 2013 por ter uma empresa prestadora de serviços ao Corinthians; ex-árbitro é diretor do Oeste.

O ex-árbitro Rodrigo Braghetto agora exerce a função de diretor das categorias de base do Oeste, time que disputa a Série B do Campeonato Brasileiro. Após deixar a carreira na arbitragem em 2013, ele se especializou em gestão do futebol e ingressou no meio, algo quase impensável tamanho são as polêmicas envolvendo a relação entre arbitragem e os times de futebol.

Aos 42 anos, o ex-árbitro quebrou qualquer tabu envolvendo os dois lados do futebol. Mesmo quando era juiz, o grande sonho era poder trabalhar na gestão de um time.

– Agora defendo a camisa do Oeste, cuidando das categorias de base em uma experiência nova, algo que sempre quis. Enquanto apitei futebol, fui me preparando para isso. Fiz administração de empresas, depois fiz educação física, especialização de futebol e hoje eu estou podendo exercer a funçap. Às vezes tenho saudade de apitar, mas estou muito feliz no que faço – disse.

Rodrigo Braghetto foi árbitro da Federação Paulista de Futebol (FPF) por por 16 anos, além de outros 14 anos entre os principais nomes do quadro da CBF. Porém, a carreira foi interrompida após um escândalo que o afastou de uma final do Campeonato Paulista.

– Uma data que não tenho como esquecer: 17 de maio de 2013. Eu ia apitar a final no dia 19 de maio e aí tudo que aconteceu. Por ter como cliente da minha empresa o Corinthians, resolveram me tirar do jogo – relembra.

Braghetto é proprietário de uma empresa que apita torneios internos em clubes, tendo clientes como Corinthians, São Paulo, Santos, entre outros. A suspensão da decisão do estadual de 2013 motivou o fim da carreira do árbitro, que viu o caminho aberto para se dedicar de uma vez ao futebol, mas atuando na área da gestão.

A traumática aposentadoria quase levou Rodrigo Braghetto a pensar em acabar com a própria vida. Depressivo, o ex-árbitro demorou para assimilar a saída dos gramados.

– Eu que decidi encerrar minha carreira. Mas os meses que sucederam a falta da arbitragem foram bem difíceis na minha vida. Fiquei depressivo, claro, quando a gente fala em tentar suicídio é porque a depressão pode levar a isso, mas graças a Deus continuei trabalhando com o futebol. Hoje tenho até vergonha em falar, que por um momento eu tentei alguma coisa ruim por causa dessa parada, mas graças a Deus já superado – revela Rodrigo Braghetto.

A parceria com o Oeste para comandar as categorias surgiu por acaso. Sem um estádio na com capacidade para receber jogos na cidade de São Roque, local onde Braghetto mantinha um projeto com jovens jogadores, a estrutura oferecida por Barueri em junção com a camisa do Oeste – time da Série B do Brasileiro -, deram ao ex-árbitro a oportunidade que desejava para exercer a função de gestor das categorias de base um clube.

– Vou com a minha integridade, a imparcialidade que sempre tive como juiz de futebol para tentar ajudar esses meninos. A gente sabe que é um meio difícil, alguns clubes têm algumas coisas que nem sempre são tão profissionais, mas aqui no Oeste não – disse.

O pulso firme como árbitro dentro de campo agora também é utilizado para controlar os ânimos dos garotos que sonham com uma oportunidade no futebol profissional.

– Como árbitro, sempre privei pela correção. Claro que cometi erros, equívocos no jogo contra os clubes grandes. Acertei bastante também, mas é bacana porque as pessoas não estão acostumadas. O bacana é que a regra pra eles é clara. O cartão vermelho se precisar rola no alojamento e no treinamento. Então como a disciplina impera para garotada, tenho usado muito essa imagem como ex-árbitro dentro do campo de futebol.

Sob comando de Rodrigo Braghetto, o Oeste acabou eliminado na primeira fase da atual edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior. No Grupo 21, o time de Barueri somou quatro pontos e ficou atrás de Aimoré e Flamengo, respectivamente.

Fonte: Globo Esporte

Anúncios
Categorias:Notícia Tags:

Árbitro é substituido em jogo do Paulistão

No último domingo (17/02), a partida entre Santos e Ponte Preta, válida pelo Paulistão, foi marcada pela grande repercussão de dois casos.

O primeiro, a expulsão de Neymar nos acréscimos do primeiro tempo, após discussão de Artur – o lateral ponte-pretano também recebeu o cartão vermelho. O craque santista saiu de campo irritado.

Perto do final do jogo, as duas equipes viram árbitro Luís Flávio de Oliveira deixar a partida aos 38min, logo após o segundo gol da Ponte. O árbitro sentiu uma fisgada na coxa direita e não teve condições físicas de continuar em campo. Ele foi substituído pelo árbitro assistente adiciona 1, Rodrigo Braghetto.

lf-neymar

Categorias:Notícia Tags:, , ,

Arbitragem da última rodada do Brasileirão 2011

Está chegando ao fim mais uma temporada do futebol brasileiro e neste fim de semana acontece a última e decisiva rodada com Campeonato Brasileiro da Primeira Divisão, a Série A. Com 20 equipes na elite, o campeonato termina na sua 38a rodada, totalizando 380 jogos.

A decisão do campeão fica para o final. Brigam pelo título as equipes do Corinthians (SP), em primeiro, e Vasco da Gama (RJ), com uma diferença de apenas 2 pontos entre o líder e o vice. Um simples empate dá o caneco ao time paulista. Já o Vasco precisa vencer e torcer pelo tropeço do rival. O Corinthians só não foi campeão antecipadamente pois o Vasco virou o jogo no final contra o Fluminense no último domingo, aos 45 do segundo tempo.

O mais interessante é que, diferente de outros anos, a última rodada do Brasileirão terão muitos derbis, os confrontos entre os maiores rivais locais, o que pode dar muito mais emoção a esta decisão. Os jogos que definirão o campeão serão eletrizantes: Corinthians x Palmeiras e Vasco x Flamengo. Haja emoção!

Outra disputa eletrizante será pelas duas últimas posições do rebaixamento. Cruzeiro (MG), Ceará (CE) e Atlético (PR) tentam fugir, mas apenas um sobreviverá. Dos três times, dois enfrentarão os maiores rivais: Cruzeiro x Atlético-MG e Atlético-PR x Coritiba são os jogos. O Bahia recebe o Ceará. Já estão rabaixados Avaí e América (MG).

A CBF já definiu os árbitros das decisões. Serão 3 árbitros paulistas, 3 cariocas, 2 do Distrito Federal, 1 gaúcho e 1 paranaense. Dos 10 eleitos, 5 ostentam o escudo da FIFA. Um dos destaque é o paulista Cléber Abade, que faz sua última partida, pois aposentará do apito por ter atingido a idade limite.

Confira:

Corinthians x Palmeiras – Wilson Luiz Seneme (SP)
Vasco x Flamengo – Péricles Bassols (RJ)
Cruzeiro x Atlético-MG – Marcelo de Lima Henrique (RJ)
São Paulo x Santos – Rodrigo Braghetto (SP)
Internacional x Grêmio – Leandro Pedro Vuaden (RS)
Atlético-GO x América-MG – Héber Roberto Lopes (PR)
Atlético-PR x Coritiba – Sandro Meira Ricci (DF)
Bahia x Ceará – Wilton Pereira Sampaio (DF)
Avaí x Figueirense – Cléber Wellington Abade (SP)
Botafogo x Fluminense – Antônio de Carvalho Schneider (RJ)

Midia esportiva defende Braghetto e isenta arbitragem

No último domingo (26), o paulista Rodrigo Braghetto (CBF) apitou o clássico entre São Paulo e Corinthians, no Pacaembu. O Timão venceu a partida pelo placar elástico de 5 a 0. Carlinhos Paraíba foi expulso ainda no primeiro tempo, o que gerou reclamação dos tricolores, principalmente do goleiro Rogério Ceni.

No entanto, jornalistas esportivos isentaram a arbitragem de culpa e jogaram toda a responsabilidade sobre o time sãopaulino.

Leia matéria reproduzida do UOL Esporte:


Não é todo dia que um jogo entre São Paulo e Corinthians termina em goleada. Por conta deste resultado que talvez nem os próprios corintianos esperavam, o clássico paulista dominou as discussões sobre a rodada do fim de semana do Campeonato Brasileiro. Claro que o foco não ficou apenas no placar, mas também na arbitragem de Rodrigo Braguetto, no frango de Rogério Ceni e nas reclamações do clube tricolor sobre a expulsão de Carlinhos Paraíba. Veja alguns comentários:

Terceiro Tempo (Band)
O comentarista Milton Neves criticou a atitude de Rogério Ceni de após a expulsão de Carlinhos Paraíba. “Capitão só serve para tirar par ou ímpar. Não tem que ir lá ficar falando com o juiz” “Não tem que reclamar. No dia que eu for presidente da FIFA só vai jogar surdo-mudo”.

Arena SporTV (SporTV)
Postura semelhante a de Milton Neves teve o ex-jogador Muller, que considerou a atitude do goleiro do São Paulo agressiva. “Independente se é capitão ou não, goleiro não tem que sair do gol!”.

No mesmo programa, Ulisses Costa tirou a responsabilidade do resultado do árbitro Rodrigo Braguetto. “Eu acho que o Corinthians ganharia o jogo de qualquer jeito. O Danilo foi destaque do jogo como há muito tempo eu não via. Se vi foi quando jogava no São Paulo ainda” ”O Corinthians foi avassalador, dificilmente fará de novo uma partida como a de ontem”.

Esporte em Discussão (rádio Jovem Pan)
Luis Carlos Quartarollo apontou para o equívoco de Carlinhos Paraíba, expulso ainda no primeiro tempo, mas também tirou a responsabilidade do resultado das costas da arbitragem. “Eu acho que é choradeira de perdedor. O São Paulo deveria ficar quietinho, lamber as feridas… Agora, o Carpegiani é uma pessoa honesta, e ele falou depois do jogo que o jogador com cartão amarelo tem que ter mais cuidado”.

A opinião foi dividida pelo colega Nilson César, que usou palavras um pouco mais pesadas para julgar a expulsão do atleta do São Paulo. “Ele foi muito burro. Time que toma de 5 a 0 não tem que chorar nada de arbitragem. Toma 5 a 0 e se não tomou mais porque o Corinthians ergueu o pé. Nenhuma influência do árbitro, e 5 a 0 foi pouco. Vai chorar em cama quente”.

Esporte Notícias (rádio Bandeirantes)
Na rádio, o apresentador Milton Neves também criticou Ceni: “Ele aguentou cobras e lagartos do Rogério ontem e só deu um amarelinho. Ele deveria ter dado uns 10. E seria um favor porque não teria tomado todos esses frangos. Você não é Pelé, Rogério Ceni. Ele nunca vai ser Marcos, o maior de todos”.

Fonte: UOL
Foto: Juca Varella/Folhapress
Link: http://uolesportevetv.blogosfera.uol.com.br/2011/06/27/comentaristas-discutem-goleada-frango-de-rogerio-ceni-e-arbitragem/

Braghetto e Tardelli ministram palestra sobre arbitragem para categorias de base do Santos FC

24/06/2011 1 comentário

O árbitro Rodrigo Braghetto (CBF/SP) e o ex-ábritro FIFA Wagner Tardelli (RJ) ministraram palestra sobre regras de futebol aos jogadores das categorias de Base do Santos FC, nesta segunda-feira (20), no auditório do Conselho Deliberativo do Peixe.

Além de enfatizar os pontos mais complexos das regras de futebol, os palestrantes abordaram vários aspectos sobre comportamento em campo e relação entre aletas e árbitros. “Para um jogador é importante saber a melhor maneira como abordar um árbitro. Em determinados momentos, isso pode ser algo decisivo em uma partida”, disse Rodrigo Braguetto.

“Muitas vezes os jogadores desconhecem certos itens importantes do regulamento de arbitragem. São dados interessantes que os jogadores e os integrantes da comissão técnica devem ter esclarecidos”, disse Bebeto Stival, supervisor das categorias de base do Peixe.

Fonte: Santos FC
Link: http://www.santosfc.com.br/mobile/noticias/view.asp?id=24711

Categorias:Notícia Tags:,

Homenagem do árbitros ao dia das mães

Boa parte da população do Brasil aguarda ansiosamente as tardes de domingo. Hora do futebol, tradição no país, mas uma pequena parte sabe que vai ser mais um longo dia de ofensas para os seus filhos. Mãe de árbitro de futebol está longe de ser a tarefa mais fácil do mundo, e são elas que ganham espaço no Portal Virgula nesta data especial, o Dia das Mães.

Mas, afinal, como será a relação dos árbitros de futebol com suas mães? No caso de Sálvio Spínola Fagundes Filho, árbitro Fifa, o relacionamento é bom e sem problema algum com as ofensas das arquibancadas, que são devidamente “ignoradas”.

“Sempre tive um relacionamento ótimo com a minha mãe. Lógico que é desgastante todas aquelas ofensas, mas temos de aprender a desconsiderar, pois sabemos que a nossa mãe não é aquela que sempre é xingada”, falou o árbitro que sempre teve o apoio da mãe na carreira escolhida.

“A minha mãe sempre me apoiou desde o primeiro momento quando decidi fazer o curso quando eu era ainda muito jovem. Ela já acompanhou jogos em que fui xingado, mas ela desconderou, pois sabe que torcedor é movido pela paixão. Amor de mãe nunca acaba então é sempre importar para mim ter o apoio dela”, completou Sálvio Spínola Fagundes Filho.

No caso de Rodrigo Braghetto, que apita pela Federação Paulista de Futebol, a mãe também sempre foi defensora, mas o juiz reconhece que ela fica muito nervosa durante as partidas.

“Minha mãe é super tranquila, mas no começo da minha carreira, quando ela estava presente em uma partida do América-MG contra o Paulistano na Copa São Paulo foi complicado. Foi um jogo super nervoso e, naquela época, ainda não tinha essa história de não jogar objetos no campo. Jogaram um monte de coisa, pilha, radinho e ela ficou bastante apreensiva”, finalizou o árbitro.

Para homenagear todas as mães de árbitros que provavelmente serão vítimas neste fim de semana de decisões estaduais, separamos uma declaração especial dos dois juízes para sua mãe.

Sálvio Spínola Fagundes Filho para Rita Maria Santana Fagundes
– Queria desejar um Feliz Dia das Mães para todas as mães do mundo. Se não fosse a minha mãe, eu não teria chegado onde cheguei, devo tudo a ela que sempre me apoiou, por isso queria desejar um feliz dia das mães, especialmente para as mães dos árbitros, e também um feliz dia para todos dias e não apenas no das mães.

Rodrigo Braghetto para Francisa Busiz Braghetto
– Mãe, obrigado por me incentivar e acreditar que eu possa ser bem-sucedido nesse jogo e em cada partida de minha vida.

Categorias:Notícia Tags:,

Inovações tecnológicas testadas em campo

Cartão azul, substituições ilimitadas e revisão de lances em vídeo foram utilizados pela arbitragem

Na noite da última quinta-feira (09/12) aconteceu a Copa Inovação, no estádio Anacleto Campanella em São Caetano do Sul, um jogo amistoso entre um selecionado de jogadores de São Paulo contra o Rio de Janeiro, promovido pelo sindicatos dos jogadores e transmitido pelo canal esportivo SporTV.

Sálvio Spínola com sua parafernália tecnológica e o cartão azul

O árbitro paulista Sálvio Spínola Fagundes Filho foi convidado para testar as proposições de mudança na regra, juntamente com os assistentes Ednilson Corona (SP) e Roberto Braatz (SC) e o quarto árbitro Rodrigo Braghetto (SP). O ex-árbitro FIFA e da FPF, Valter José dos Reis, atulamente secretário da escola de árbitros de São Paulo, foi o assistente de video.

Dentre as proposições testadas, estavam o uso de video para dirimir dúvidas com relação a lances duvidosos, substituições ilimitadas, pedido de tempo técnico e a aplicação do cartão azul.

O uso do video, ao que parece, é uma adaptação da ideia apresentada pelo ex-árbitro FIFA, o baiano Manoel Serapião Filho.

Os técnicos de cada equipe tinham direito a dois pedidos de revisão de lance no video, um em cada tempo do jogo. O técnico do time paulista, Vágner Mancini, pediu a revisão em um gol do time carioca. Um colegiado formado pelo árbitros, o auxiliar de video e os capitães das equipes, Elano (SP) e Carlos Alberto (RJ) reviu a jogada no monitor e decidiram, por 6 votos a 1, que o gol foi legal. Rodrigo Braghetto foi o único a discordar no lance.

No segundo, o técnico Zico, que comandou o time do Rio de Janeiro, pediu a revisão do lance. Uma falta cometida sobre o atacante Neymar na entrada da área gerou dúvida. O colegiado conferiu o vídeo e, por unanimidade, concordou com a marcação do árbitro. Na cobrança, Baiano fez um belo gol.

Os jogadores se mostraram um pouco reticentes com relação à paralização durante a partida, que chegou a demorar, em média, 5 minutos. Nenhuma decisão de arbitragem chegou a ser alterada depois da consulta ao monitor de video.

Colegiado faz a revisão do video do lance polêmico

Os técnicos usaram e abusaram das substituições ilimitadas durante a partida. Esta mudança pode se refletir em mudanças táticas dentro de uma partida. Nenhuma conclusão ainda foi feita a respeito deste experimento. O tempo técnico acabou não sendo usado.

O cartão azul, usado com uma punição mais branda que o cartão vermelho, serve para punir o jogador infrator com uma espera de 10 minutos no banco de reservas e foi aplicado quase no fim do segundo tempo, quando o zagueiro Antônio Carlos reclamou de penalidade assinalada em favor dos paulistas. O jogador voltou bem no fim da partida, já nos acréscimos.

O árbitro Sálvio, que serviu de cobaia desta grande iniciativa, se mostrou muito otimista com as experiências e com a adoação delas no futuro. O juiz ainda ressaltou que isso não deve acontecer tão cedo, pois depende de estudos e conclusões e a aprovação final da FIFA e do International Board (IFAB).

Veja o video com a opinião do árbitro Sálvio Spínola: http://video.globo.com/Videos/Player/Esportes/0,,GIM1390548-7824.html

Outra curiosidade foi a câmera instalada junto ao corpo de Sálvio. A SporTV estava gravando o video para fazer uma matéria sobre o ponto de vista do árbitro durante uma partida de futebol, que será exibida futuramente.

A Copa Inovação será disputada de 2010 a 2014, com cinco edições anuais. Ao término de cada uma delas será enviado um relatório à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e à FIFA. Para acompanhar o jogo, o torcedor trocou o ingresso por um quilo de alimento não perecível ou por um brinquedo. Toda a arrecadação será destinada às crianças carentes. Os paulistas venceram o jogo por 3 a 1.

São Paulo iniciou com: Gustavo (Santo André); Paulo César (Prudente), Anderson (ex-Corinthians), Leandro Castan (Corinthians) e Diogo (São Paulo); Ralf (Corinthians), Baiano (Guarani), Elano (Santos) e Bruno César (Corinthians); Mazola (Guarani) e Dentinho (Corinthians). Entraram ainda: Neymar (Santos), Juninho Paulista (ex-São Paulo e dirigente do Ituano) e Fabrício (base do Corinthians).

Já o Rio de Janeiro foi formado por: Rafael (Fluminense); Léo Moura (Flamengo), Dedé (Vasco), Leandro Euzébio (Fluminense) e Marcelo Cordeiro (Botafogo); Fernando Bob (Fluminense), Somália (Botafogo), Carlos Alberto (Vasco) e Tartá (Fluminense); Diego Maurício (Flamengo) e Somália (Duque de Caxias). Entraram ainda: Toró (ex-Flamengo), Antônio Carlos (Botafogo) e David (ex-Fluminense).

%d blogueiros gostam disto: