Arquivo

Posts Tagged ‘CBF’

Chefe da arbitragem da CBF descarta interferência externa na Ressacada

Árbitro marcou pênalti e, mais de dois minutos depois, voltou atrás. Coronel Marcos Marinho afirma: “Absoluta certeza de que não houve nenhuma interferência externa”.

Depois da confusão instalada na Ressacada quando o árbitro da partida entre Flamengo e Avaí, Paulo Schleich Vollkopf (MS), voltou atrás na marcação de um pênalti a favor do time da casa, o chefe da comissão de arbitragem da CBF, coronel Marcos Marinho, não hesitou em dizer que não houve interferência externa para que a decisão inicial fosse alterada. Ele afirmou que a medida foi tomada pela equipe de arbitragem no gramado e disse que já pode confirmar que não ocorreu qualquer tipo de interferência alheia ao campo de jogo.

O lance da polêmica foi no segundo tempo, quando a partida já estava empatada em 1 a 1, e Éverton se embolou com Diego Tavares na área rubro-negra. O árbitro assinalou o pênalti, deu cartão amarelo para Éverton e, minutos depois, retirou a advertência e mudou a marcação. Foram dois minutos e vinte segundos do momento em que o pênalti foi marcado até a mudança de decisão. Os jogadores do Avaí reclamaram muito e o experiente Marquinhos, que já estava no banco de reservas após ser substituído, acabou expulso por reclamação.

Questionado sobre a possibilidade de interferência, Marinho foi incisivo:

– Não, nenhuma. Nenhuma interferência. Foi uma decisão da equipe de arbitragem, sem interferência externa.

Em seguida, Marinho foi questionado se já era possível ter essa certeza momentos depois da partida, já que houve uma demora de mais de dois minutos para a mudança de decisão. Novamente, ele foi direto:

– Absoluta certeza. Vão atrás e descubram. Absoluta certeza de que não houve nenhuma interferência externa, até porque as recomendações são muito severas quanto a isso. Pode falar que já confirmei isso aí. Não há.

Fonte: Globo Esporte

CBF contrata seguro para árbitros de futebol

30/05/2017 1 comentário

Os integrantes das equipes de arbitragem que atuam nos campeonatos organizados pela CBF estão vivendo um avanço histórico em sua atividade. A entidade contratou, este mês, um seguro de vida e de acidentes pessoais em favor dos árbitros, quando no exercício de suas atividades.

Esse benefício foi comunicado em documento enviado pelo presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, à Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (ANAF). O seguro para a arbitragem proporciona, além do que já era concedido, uma proteção à incapacidade temporária causada por eventuais lesões ou doenças.

Como a CBF ampliou e assumiu o pagamento do seguro aos árbitros, os clubes e federações não precisam mais incluir no borderô do jogo o custo relativo a esse serviço. Para ratificar a mudança, foi alterado o Artigo 90 do Regulamento Geral das Competições (RGC).

Para o presidenta da Comissão de Arbitragem da CBF, Marcos Marinho, o momento representa um avanço relevante nas condições oferecidas aos árbitros, que passam a ter mais tranquilidade no cotidiano de trabalho.

– Estamos colocando em prática um grande planejamento de evolução da arbitragem. Isso envolve todos os setores, do curso ao aperfeiçoamento, além da cobrança por alto desempenho, avaliação e as melhorias diretas para os árbitros e árbitras. O novo seguro faz parte dessa linha de desenvolvimento – destacou Marinho.

Fonte: CBF

Categorias:Notícia Tags:,

Ranking da arbitragem no Brasileirão 2017 – 1ª rodada

A Comissão de Arbitragem da CBF vai premiar os melhores árbitros no fim do Brasileirão 2017. Os vencedores serão determinados pela soma da pontuação contabilizada durante todo o campeonato. Este ano, o ranking está sendo elaborado a partir dos dados do sistema de análise de desempenho usado pela entidade.

O presidente da Comissão de Arbitragem, Marcos Marinho, explicou que as notas dependem da performance em cada rodada, levando em consideração quesitos técnicos, físicos e mentais.

– Na parte técnica, são avaliados itens como os critérios adotados, marcação de faltas e aplicações de cartões. Pelo lado físico, a análise considera questões como posicionamento, velocidade de deslocamento e tempo de reação. Já no mental, entra os fatores emocionais, como a postura e o controle da partida – informou Marinho.

No decorrer da competição, a CBF vai divulgar as melhores equipes de arbitragem, de acordo com o trabalho de seus respectivos integrantes nos jogos do Brasileirão. Confira os nomes e partidas em que atuaram.

ARBITRAGEM – BRASILEIRÃO – 1ª RODADA

Bahia 6 x 2 Atlético-PR – 14 de maio, domingo (16h) – Fonte Nova, Salvador (BA)

Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (AB/SP)
Árbitro Assistente 1: Daniel Paulo Ziolli (CBF/SP)
Árbitro Assistente 2: Daniel Luis Marques (CBF/SP)
Quarto Árbitro: Ricardo Pavanelli Lanutto (CBF/SP)
Árbitro Assistente Adicional 1: Leandro Bizzio Marinho (AB/SP)
Árbitro Assistente Adicional 2: Rafael Gomes Felix da Silva (CBF/SP)

Palmeiras 4 x 0 Vasco – 14 de maio, domingo (16h) – Allianz Parque, São Paulo (SP)

Árbitro: Rodolpho Toski Marques (FIFA/PR)
Árbitro Assistente 1: Bruno Boschilia (FIFA/PR)
Árbitro Assistente 2: Victor Hugo Imazu dos Santos (CBF/PR)
Quarto Árbitro: Rafael Trombeta (CBF/PR)
Árbitro Assistente Adicional 1: Paulo Roberto Alves Junior (AB/PR)
Árbitro Assistente Adicional 2: Fabio Filipus (CD/PR)

Cruzeiro 1 x 0 São Paulo – 14 de maio, domingo (16h) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (AB/RJ)
Árbitro Assistente 1: Dibert Pedrosa Moises (CBF/RJ)
Árbitro Assistente 2: Michael Correia (CBF/RJ)
Quarto Árbitro: Carlos Henrique Alves de Lima Filho (CBF/RJ)
Árbitro Assistente Adicional 1: Leonardo Garcia Cavaleiro (AB/RJ)
Árbitro Assistente Adicional 2: Carlos Eduardo Nunes Braga (CD/RJ)

Fonte: CBF

Categorias:Notícia Tags:, , ,

CBF divulga lances comentados da primeira rodada do Brasileirão 2017

A Comissão de Arbitragem da CBF divulgou, nesta terça-feira (16), o primeiro pacote de “Decisões da Arbitragem” nas rodadas de abertura das Séries A e B, com comentários e análises. Ao todo, oito lances em sete jogos diferentes foram elencados, sendo sete na Série A e um na Série B.

Como informado na última semana, a CA vai divulgar ao fim da rodada do Campeonato Brasileiro vídeos com lances duvidosos das partidas, comentando as questões relevantes para levar ao público uma análise constante do trabalho.

Clique aqui para acessar a página das Decisões da Arbitragem.

Vídeos explicativos

Organizado por Ana Paula Oliveira, coordenadora nacional de Instrução, e por Alício Pena Júnior, presidente interino da Escola Nacional de Arbitragem de Futebol (ENAF), o trabalho também conta com um pacote de dados e vídeos que facilitam o entendimento das determinações do IFAB/FIFA.

Na parte denominada “Padrão de Arbitragem”, foram disponibilizados oito capítulos: “Golpear ou tentar golpear um adversário”, “Falta tática”, “Conduta violenta”, “A reclamação acintosa não será permitida”, “Entradas e Disputas”, “Tocar a bola com a mão”, “Comemoração de gol excessiva será punida” e “Invasão de campo na comemoração de gol será punida”.

Fonte: CBF

Categorias:Notícia Tags:, ,

Alterações das Regras de Futebol 2017/18

Ofício nº 19/CA-CBF/17

Rio de Janeiro, 9 de maio de 2017

Da CA-CBF

Aos Árbitros, Assistentes, Inspetores e Analistas (campo e vídeo) da SENAF 2017.

Assunto: Alteração das Regras de Futebol 2017/18

Prezados Senhores,

A CBF, por meio de sua Comissão de Arbitragem e Diretoria de Competições, comunica a todas as federações, clubes, imprensa, público em geral e aos senhores árbitros, árbitros assistentes, analistas de desempenho de vídeo (ADV) e analistas de desempenho de campo (ADC) que, em todas as competições que coordena e que serão iniciadas a partir de 12/05/2017, já serão aplicadas as alterações introduzidas nas regras de futebol pela International Football Association Board – IFAB, em março de 2017. 

COPA DO BRASIL: A PARTIR DA SEXTA FASE

Não obstante, a CBF esclarece que esta circular conterá apenas as alterações que podem causar impacto imediato no desenvolvimento dos jogos das competições, a saber:

REGRA 3 – OS JOGADORES

As Associações Nacionais podem permitir um máximo de cinco substituições (exceto no nível superior, entende-se profissionais).

  • Redação mais clara para o procedimento de substituição;
  • Uma substituição feita no primeiro (intervalo) tempo sem informar ao árbitro não é uma infração para advertência com cartão amarelo (CA);
  • A substituição de um goleiro no primeiro tempo (intervalo) sem ser informado ao árbitro não é infração para advertência com cartão amarelo (CA);
  • O jogador que entrar no terreno de jogo sem a permissão do árbitro e interferir no jogo deve ser punido com um tiro livre direto (TLD). Se não interferir no jogo dever ser punido com um tiro livre indireto (TLI). Em ambos os casos o jogador dever ser punido com cartão amarelo (CA) – (exceto se impedir uma clara oportunidade de gol ou cometer uma falta de jogo brusco grave, casos em que a punição deve ser cartão vermelho direto (CVD). Não é necessário solicitar ao jogador que saia do campo após ser advertido com cartão amarelo (salvo em caso de sangramento ou irregularidade no equipamento);
  • A equipe que tiver marcado um gol com uma pessoa extra (jogador, jogador substituto, jogador expulso ou um oficial da equipe) no campo, este gol deverá ser anulado e a equipe será punida com um tiro livre direto (TLD), no local em que se encontrava a pessoa extra.

REGRA 4 – O EQUIPAMENTO DOS JOGADORES

  • Não é permitido aos jogadores (incluindo os substitutos, jogadores substituídos e expulsos) usar qualquer forma de equipamento eletrônico ou de comunicação (exceto onde EPTS for permitido). O uso de qualquer forma de comunicação eletrônica por oficiais de equipes não é permitido, exceto quando se relacionar diretamente com o bem-estar ou segurança do jogador;
  • Todo equipamento deve ser de marca que garante um padrão mínimo de segurança.

REGRA 5 – O ÁRBITRO

  • Um médico relacionado por uma equipe e que deve ser punido com expulsão pode permanecer para realizar tratamento em jogadores se não houver outro médico para realizar as funções.

REGRA 7 – A DURAÇÃO DA PARTIDA

  • Será permitida uma interrupção curta para bebidas ao término do primeiro tempo da prorrogação.

REGRA 8 – O INÍCIO E O REINÍCIO DO JOGO

  • Somente o jogador que efetuará o tiro de saída poderá estar na metade do campo adversário.

REGRA 10 – DETERMINAÇÃO DO RESULTADO DE UMA PARTIDA

  • As prorrogações devem ser de dois períodos iguais, no máximo de 15 minutos cada.

   10.1 – TIROS LIVRES DO PONTO PENAL

  • Correção da situação de um goleiro que não pode continuar jogando;
  • Jogador excluído das cobranças para igualar o número de jogadores das duas equipes pode substituir um goleiro que não possa continuar, ainda que sua equipe já tenha realizado todas as substituições permitidas;
  • O executor do tiro penal não pode tocar na bola pela segunda vez;
  • Se um goleiro cometer infração e o tiro penal tiver que ser repetido (não gol), esse goleiro deve ser advertido com cartão amarelo (CA);
  • Se o executor do tiro penal cometer infração, o tiro será considerado perdido;
  • Se o goleiro e o cobrador cometerem infração ao mesmo tempo:

– Se não for marcado gol, a cobrança será repetida e os dois devem ser punidos com cartão amarelos (CA);

– Se for marcado o gol, o jogador cobrador será advertido com cartão amarelo (CA) e tiro penal será considerado como “perdido”.

REGRA 11 – IMPEDIMENTO

  • O Jogador em posição de impedimento deverá ser punido se a bola rebotar ou desviar em um oficial da arbitragem;
  • Definição de defesa deliberada:

– A defesa deliberada ocorre quando um jogador joga a bola que vai em direção de sua meta ou está muito próxima dela, com qualquer parte do corpo, salvo com as mãos, a menos que seja o goleiro em sua própria área penal.

Orientação de impedimento:

  • Jogador em posição de impedimento, que impede um adversário de jogar ou tentar jogar a bola deve ser punido;
  • Se um jogador em posição de impedimento sofrer uma falta ante de cometer uma infração de impedimento (jogo ativo), a falta deverá ser marcada;
  • Um jogador que estiver em posição de impedimento, se movimentar em direção à bola com a intenção de joga-la e sofrer uma falta, antes de jogar ou tentar jogar a bola ou de disputar a bola com um adversário, a falta deve ser marcada, pois ocorreu antes da infração de impedimento (antes do envolvimento em jogo ativo);
  • Um jogador em posição de impedimento que jogar, tentar jogar ou disputar a bola com seu adversário, a infração de impedimento será marcada, pois ocorreu antes da falta (depois do envolvimento em jogo ativo).

REGRA 12 – FALTAS E INCORREÇÕES

  • As infrações verbais (gestuais) são punidas com tiro livre indireto (TLI);
  • Se uma vantagem for concedida depois de uma infração punível com CV ou segundo CA e esse jogador, em seguida cometer outra falta, deve ser reiniciado de acordo com essa nova falta;
  • Um jogador que impede um ataque promissor em sua própria área penal não deve ser punido com CA, se a falta for cometida tentar jogar a bola (disputa);
  • Ademais, se a falta cometida na própria área penal ao impedir uma clara oportunidade de gol, deve ser aplicado um CA, se falta for cometida tentando jogar a bola (disputa);
  • As celebrações de gol que causem problema de segurança devem ser punidas com CA;
  • O fato de um jogador se mover em sentido diagonal para passar pelo último defensor ou pelo goleiro não descaracteriza, somente por isso, uma clara oportunidade de gol;
  • O integrante da equipe que entrar no campo de jogo sem autorização do árbitro e impedir uma clara oportunidade de gol deve ser expulso;
  • Infração fora do campo a favor/contra um jogador substituto ou contra um oficial da equipe será punida com tiro livre indireto (TLI) sobre a linha limite se a bola estiver em jogo;
  • Tiro livre direto por jogar ou chutar a bola/objeto no campo de jogo que interfira em alguém;
  • tiro livre direto na linha limite por jogar ou chutar a bola/objeto a uma pessoa fora de campo.

REGRA 13 – TIROS LIVRES

  • Se um atacante entrar (ou estiver) na área penal, antes da cobrança de um tiro livre da área penal a favor da defesa, não poderá jogar ou disputar a bola, ainda que saia da área, antes que bola seja tocada por outro jogador.

REGRA 14 – TIRO PENAL (PÊNALTI)

  • O executor do tiro penal deve ser claramente identificado;
  • Se o goleiro e o jogador cometem a infração ao mesmo tempo:

– Se não for marcado gol, o tiro deve ser repetido e ambos os jogadores devem ser advertidos com cartão amarelo (CA).

– Se for marcado o gol, o tiro será considerado como perdido e o jogador executor deverá ser advertido com cartão (CA).

REGRA 16 – O TIRO DE META

  •  Se antes da cobrança de um tiro de meta um atacante entrar (ou estiver) na área penal adversária, esse atacante não poderá jogar ou disputar a bola até que a bola seja tocada por outro jogador.

Fonte: CBF

Categorias:Notícia Tags:, , , ,

Brasil fará uso inédito do árbitro de vídeo

O futebol brasileiro fará o inédito uso da tecnologia do árbitro de vídeo (AV) no jogo entre Sport e Salgueiro, o primeiro da final do Campeonato Pernambucano 2017. A partida será realizada às 16h deste domingo (7), na Ilha do Retiro, em Recife (PE).

Será um dia histórico para o esporte mais popular do mundo. Após um ano trabalhando neste projeto, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Federação Pernambucana de Futebol (FPF) vão colocar o árbitro de vídeo em prática. Desta vez, o uso será online, ou seja, com a comunicação aberta entre o árbitro de vídeo, na cabine, e o árbitro principal, em campo. No ano passado, a CBF havia feito dois testes offline, sem comunicação entre cabine e campo de jogo, na final do Campeonato Carioca, entre Vasco e Botafogo. Nesta temporada, os métodos foram testados em partidas de categorias de base realizados na Granja Comary, em Teresópolis (RJ).

O projeto inovador é brasileiro e foi criado com o apoio da Comissão de Arbitragem da CBF e da Escola Nacional de Arbitragem de Futebol (ENAF). O árbitro de vídeo não atua em todas as dúvidas que possam surgir em campo. As informações são passadas ao árbitro principal em quatro situações:

– Foi gol / Não foi gol
– Foi pênalti / Não foi pênalti
– Cartão vermelho direto indevido
– Identificação errada do jogador punido

Apenas em lances capitais

O jogo Sport x Salgueiro é parte dos experimentos práticos do International Football Association Board (IFAB), órgão máximo da arbitragem no futebol mundial. A filosofia dos testes não é interferir em 100% dos lances duvidosos, pois isso mudaria o ritmo e anularia emoções essenciais do futebol. O lema é “mínima interferência, máximo benefício”, com atuação da tecnologia em lances que podem mudar, diretamente, o resultado de um confronto. A questão do árbitro de vídeo não é trabalhar a questão: qual a decisão do árbitro está correta? Sua função é se perguntar: qual a decisão está, claramente, errada?

– Nós estamos satisfeitos com o progresso do Brasil nos últimos 12 meses e acompanhamos a CBF e a Federação Pernambucana durante toda a preparação para esse primeiro com o árbitro de vídeo alcançar o sucesso – afirmou o secretário-geral do IFAB, Lukas Brud.

O sistema de aplicação do árbitro de vídeo seguirá o protocolo aprovado pelo IFAB. A entidade está orientando os experimentos com AV em competições locais de 13 países: Alemanha, Austrália, Bélgica, Brasil, Coreia do Sul, Estados Unidos, França, Holanda, Itália, Portugal, Qatar, República Tcheca e Turquia. A FIFA também está testando esse nível de tecnologia este ano para o uso na Copa do Mundo Rússia 2018.

A universidade KU Leuven, da Bélgica, vem produzindo um banco de dados para analisar os experimentos do árbitro de vídeo. O IFAB espera tomar a decisão final sobre o uso do AV no futebol durante seu seminário anual, no primeiro trimestre de 2018.

Confira reportagem do Jornal Nacional.

Fonte: CBF

Categorias:Notícia Tags:, , ,

CBF estrutura processo de análise de desempenho dos árbitros

A Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol segue na busca pela formação de uma identidade para a arbitragem brasileira. Durante toda a última segunda-feira (27), membros do órgão estiveram reunidos na sede da entidade para acertar a estruturação do novo processo de análise de desempenho dos árbitros, que incluirá a avaliação por meio de analistas de TV e de campo.

A CBF vai iniciar a utilização de uma nova plataforma, com dados estatísticos e imagens, para avaliar os árbitros do seu quadro. Para garantir a lisura, o novo sistema será auditado e vai analisar as qualidades e aspectos a melhorar de cada árbitro e assistente. Em um banco de dados, haverá o perfil para cada profissional, com gráficos para cada item e informações objetivas e rápidas, que contribuirão para a evolução. O mecanismo vai gerar dados individuais e globais para a Comissão de Arbitragem.

O Centro de Pesquisa e Análise de Desempenho da Arbitragem receberá informações técnicas e disciplinares definidas pelos analistas selecionados. Os dados fornecidos pelos analistas e TV irão ao encontro às referências passadas pelos analistas de campo. Estas informações serão recebidas pela Comissão de Arbitragem e, após avaliação dos instrutores do Centro de Pesquisa, nos moldes do que tem sido utilizado pelo Departamento de Seleções, resultarão em relatórios, em texto e vídeo, para os árbitros e assistentes avaliarem as respectivas atuações. Tudo isto será entregue aos profissionais em um prazo de no máximo 48 horas após o último jogo do qual tenha atuado.

O presidente da Comissão de Arbitragem, Marcos Marinho, destacou a evolução que será feita com esta novidade. Para ele, a ferramenta será importante e fundamental para a Comissão e os próprios árbitros.

– A devolução desse trabalho é imediata para os árbitros. Ele vai ter a imagem e o comentário do analista com relação ao erro, ou acerto, mas principalmente em falhas, para que possa, em uma próxima partida, corrigir isso. O objetivo desse trabalho com imagens é a uniformidade do critério. É o que estava falhando dentro do sistema. A cobrança pela mudança de atitude com relação ao árbitro. E você vai ter condição, no final da temporada, de mensurar as características que o árbitro precisa melhorar em termos gerais. Isso vai nos mostrar, através das análises, o que vamos estar atacando no ano seguinte – acrescentou.

Para manter-se no quadro de árbitros da CBF, os profissionais terão de alcançar as metas estabelecidas. Os árbitros poderão acompanhar os quesitos em que estiverem com bom desempenho ou deixando a desejar através da ferramenta. Com este banco de dados, as informações poderão ser compartilhadas com dirigentes de clubes e mídia. A ideia é blindar a arbitragem por meio de imagens e dados estatísticos.

Para isto, a Escola Nacional de Arbitragem de Futebol – ENAF está realizando treinamentos para utilizar do sistema de análise e do novo formato do relatório de análise de desempenho da arbitragem (RADAR), em três etapas. A segunda será em São Paulo (4 a 8/4) e a última, no Rio de Janeiro (10 a 13/4).

Fonte: CBF

Categorias:Notícia Tags:,
%d blogueiros gostam disto: