Arquivo

Posts Tagged ‘Fernanda Colombo’

Mulheres homenageadas em PE: árbitros de rosa e quarteto feminino

Jogo entre Náutico e Central teve equipe de arbitragem com quatro mulheres de rosa, entre elas a assistente Fernanda Colombo.

tb3_22298-1

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, as árbitras vestiram uniforme rosa na rodada do último fim de semana do Campeonato Pernambucano. O quarteto foi todo feminino feminino – incluindo a bandeira Fernanda Colombo, que ganhou fama no ano passado quando o diretor cruzeirense Alexandre Mattos, hoje no Palmeiras, sugeriu que ela posasse para a Playboy em vez de trabalhar no futebol.

A partida foi apitada por Ana Karina, do quadro da Fifa. Karla Santana foi a outra bandeira. Déborah Cecília completou o quarteto. As integrantes da equipe de arbitragem foram homenageadas por suas mães antes da partida.

A rodada valeu pelo hexagonal do título do Pernambucano e terminou empatada em 2 a 2.

fernanda-colombo3_divulgacao--mf-models-assessoria

Anúncios

Mulheres não apitam Série A do Brasileirão desde 2005

09/01/2015 1 comentário
silvia-regina

Sílvia Regina de Oliveira

Em outubro de 2005, o Paysandu venceu o Fortaleza por 2 x 1, pela Série A do Campeonato Brasileiro. O que realmente importa desse jogo é a ficha técnica. Está lá: “Arbitragem de Sílvia Regina de Oliveira”. Essa foi a última vez que uma mulher esteve com o apito em uma partida da elite nacional. Lá se vão nove anos de ausência feminina no centro da arbitragem — elas são frequentemente vistas do lado de fora do campo, como árbitras assistentes.

As razões para essa ausência são várias, na avaliação das próprias árbitras. Desde 2006, quando a Fifa alterou a avaliação física, as chances diminuíram.

Há oito anos, as mulheres precisam passar pela mesma avaliação dos homens. As seguidas reprovações levam ao desânimo. Assim, elas muitas vezes preferem concentrar as forças na carreira de assistente. E ainda há o machismo, mesmo que não seja unanimidade entre as mulheres.

No Campeonato Brasileiro de 2013, elas apareceram em 78 dos 380 jogos disputados, nas funções de assistente, assessora e quinta árbitra. Em 2014  participação foi até menor. Até a 14ª rodada, cinco partidas tiveram ajuda delas — em 2013, haviam sido 14 participações no mesmo período. O espaço parece ficar cada vez menor.

Das sete profissionais identificadas como árbitras no quadro da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), apenas uma atingiu o índice masculino. Mas ela não cumpre o requisito de experiência de dois anos na principal divisão do estado.

Sílvia Regina ainda trabalha na Série A, mas como assessora. Experiente no assunto, reconhece a diminuição dessas aparições, mas rechaça haver falta de oportunidade. “É necessário ter características de atleta aliadas ao bom perfil para conduzir um jogo”, explica. Sílvia também presta serviços para a Federação Paulista de Futebol (FPF), onde há bom espaço para as mulheres. “As meninas reconhecem que as oportunidades são muitas, e as portas estão abertas para quem cumpre as diretrizes que o futebol moderno exige”, jura.

Regildenia de Holanda Moura tentou completar o teste físico para apitar a Série A em 2014. Não conseguiu. Além da dificuldade física, ela teve outro problema. “O psicológico pesou”, reconhece.

Na avaliação das assistentes com as quais o Correio conversou, é justo exigir das mulheres o teste físico masculino. No entendimento delas, os direitos e deveres se equiparam. “Esse teste ficou mais próximo da realidade do jogo”, admite Regildenia. “Sempre achei que deveria ser assim”, corrobora Sílvia Regina.

O pensamento delas é compartilhado pelo presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Sérgio Corrêa, para quem uma mulher não seria capaz de acompanhar uma partida masculina da Série A somente com o índice feminino no teste físico. “Em minha opinião, pelas exigências físicas do futebol moderno, não.”

Ausência vai se prolongar

As assistentes de hoje não se animam muito quando falam sobre o futuro. Pode ser que o Brasil tenha de esperar outros anos para ver uma mulher apitar um jogo da primeira divisão nacional. Considerado “desumano” por Regildenia de Holanda Moura, o teste físico continuará a ser uma barreira.

– “Sinceramente, não tenho nenhuma esperança, nenhuma expectativa de que vejamos uma mulher no apito daqui a alguns anos”, lamenta.

Essa prolongada ausência desestimulou Larissa Gabrielly. A assistente de 22 anos fez o curso de arbitragem em 2009 e, desde então, trabalhou em diversos jogos, inclusive internacionais. Ela foi auxiliar no Torneio Internacional Feminino, no Mané Garrincha, em dezembro passado. A dificuldade enfrentada pelas mulheres a levou a se concentrar no trabalho com a bandeira.

– “Por mais que falem que não tem machismo, tem sim. A mulher é mais atenta que o homem”, provoca. “Há 0% de machismo”, rebate Sílvia Regina, ex-árbitra que presta serviços a CBF e FPF.

Fernanda Colombo

Fernanda Colombo

Protagonista do último caso de ataque masculino, Fernanda Colombo, da Federação Catarinense, não cita o preconceito dos homens ao falar sobre a falta de arbitragem feminina na primeira divisão brasileira. Fernanda considera o teste físico uma das razões da quase década de ausência, mas surpreende ao citar o motivo principal. “A falta de incentivo e da própria iniciativa das mulheres em quererem apitar fazem diferença”, considera.

A projeção feita por Fernanda é a única a destoar. Mesmo depois de sofrer uma agressão verbal por um diretor do Cruzeiro após o clássico com o Atlético-MG, a catarinense acredita em uma mudança. “Com certeza é possível. Tudo indica que isso vai acontecer”, imagina. Falta definir como.

Na Playboy

Em maio, Fernanda assinalou impedimento inexistente no clássico entre Atlético-MG e Cruzeiro, pela Série A do Brasileiro, e virou assunto nacional. “Se ela é bonitinha, que vá posar na Playboy”, disse, à época, Alexandre Mattos, diretor de Futebol do Cruzeiro.

Fonte: Superesportes

Bandeirinha Fernanda Colombo lamenta machismo no futebol

07/01/2015 1 comentário

colombo2Rotulada como “bandeirinha musa”, Fernanda Colombo sofreu com a exposição em 2014. Expulsa da Federação Catarinense de Futebol (FCF) por “falta de profissionalismo”, a árbitra assistente se afastou da família (residente em Criciúma) e agora vive seus primeiros meses como integrante da Federação Pernambucana (FPF). A catarinense de 23 anos desabafou sobre as críticas que andou recebendo.”Maior incômodo é de não ter o reconhecimento do trabalho. Isso incomoda qualquer profissional em qualquer área. Mas aconteceu”, lamentou a bandeirinha.

O acontecimento a que Fernanda se referiu foi a expulsão do quadro de arbitragem da FCF. A medida veio junto com ofensas do presidente da entidade, Delfim Peixoto.” O fato de ser mulher chama mais atenção. Os erros ganham proporção maior. O futebol é ainda um esporte muito masculino. O futebol feminino não tem muito espaço ainda”, disse Fernanda, após sete meses de um fatídico episódio.

Ao citar a diferença de proporção dos erros entre árbitros homens e mulheres, ela lembrou os comentários do cartola Alexandre Mattos. Em maio do último ano, o então diretor de futebol do Cruzeiro afirmou que “estão tentando promovê-la porque ela é bonitinha”. A declaração foi dada após supostos equívocos cometidos pela bandeirinha em um clássico mineiro entre Atlético-MG e Cruzeiro.”Vai demorar um pouco, mas as mulheres estão, ainda que aos poucos, dominando vários âmbitos do futebol. Torcendo, jogando, trabalhando no jornalismo. A mulher vem se inserindo e, a longo prazo, isso vai se modificar”, projetou. Em dois meses na FPF, Fernanda trabalhou em quatro jogos do Campeonato Pernambucano.

As ofensas

“Estão tentando promover ela porque ela é bonitinha e não é por ai. Ela tem que ser boa de serviço, profissional e competente. O erro dela foi muito, muito, muito anormal, coisa de quem está começando uma carreira. Se é bonitinha, que vá posar para a Playboy, não trabalhar com futebol”, diretor de futebol do Cruzeiro, Alexandre Mattos.

“Ela queria ser vedete, queria ser modelo. Eu disse, então, que ela não trabalhava mais aqui. Falei para procurar outra federação. Na minha não ficaria. Quero moças, sim, mas tem que ser profissional. Começou a querer aparecer em tudo que é revista. Mostrar a coxa, mostrar a bunda. Não é assim que funciona por aqui”, presidente da FCF, Delfim Peixoto.

Como recebeu as críticas de Delfim Peixoto, seu ‘ex-patrão’?
– Isso para mim é passado, estou focada no futuro, gastando as energias no trabalho e não no que falam de mim.

Está gostando das primeiras semanas em Pernambuco?
– Fui muito bem acolhida, tanto pelo pessoal da federação, quanto pela cidade. Está sendo uma experiência positiva. O pessoal aqui é receptivo. Estou bem feliz por essa mudança. Já fui reconhecida, o pessoal comenta nas ruas. Tem o assédio da mídia.

Já se adaptou à nova vida?
– Mudar de casa já muda a rotina, né? Mudar de federação muda as pessoas, muda a forma de trabalho. Estou gostando da maneira como as coisas são conduzidas aqui em Pernambuco.

Você foi apresentada pela Federação Pernambucana em novembro. O que fez desde então?
– Meus compromissos nesses meses foram mais relacionados à preparação para o Campeonato Pernambucano. A preparação foi bem intensa. Focamos em aspectos psicológicos e físicos.

Fonte: Correio do Povo

Bandeirinha musa coloca silicone e se afasta dos gramados

colomboA catarinense Fernanda Colombo ficou famosa durante a Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro deste ano. A bandeirinha chamou a atenção tanto por sua beleza como pelos erros cometidos.

Depois de muita repercussão, ela foi afastada para fazer reciclagem e apareceu em poucas escalas. Agora, quando entrar em campo, Fernanda apresentará uma novidade para os seus fãs.

A bandeirinha realizou uma vontade antiga nesta semana. Fernanda colocou 310ml de silicone, mas garante que seu foco continua sendo a arbitragem e não a carreira de modelo.

“Não é a intenção (usar isso para alavancar carreira de modelo). Fiz pela minha autoestima mesmo, nada a ver com modelagem. Minha prioridade segue sendo a arbitragem. O silicone era algo que precisava”, disse a modelo.

“A medida anterior incomodava bastante, porque eu tenho uma estrutura muito grande”, completou.

Para não deixar que o silicone atrapalhasse sua vida como auxiliar, Fernanda conversou com a Comissão de Arbitragem antes do procedimento.

“Isso foi tudo bem discutido antes para que nada prejudicasse. Eu estava há bastante tempo com essa intenção e achei oportuno o momento devido às escalas”, completou.

Mas, as chances de Fernanda voltar a trabalhar em 2014 são pequenas. Ela terá de ficar longe dos gramados por pelo menos quatro semanas devido à cirurgia. Quando voltar, as competições nacionais terão poucos jogos restantes. “Estarei a disposição já esse ano, depende do critério deles”, afirmou a loira.

Além da conversa com a Comissão de Arbitragem, Fernanda também falou muito com o cirurgião Rogerio Figueira. O motivo? Evitar que isso pudesse atrapalhar seu desempenho.

“Sempre tive vontade e depois de conversar com um bom cirurgião, vimos algo que não fosse interferir no meu trabalho, buscamos as melhores condições para que não interfira no meu trabalho”, finalizou.

Quando ficou famosa, Fernanda se envolveu em diversas polêmicas. Em uma delas, Alexandre Mattos, diretor de futebol do Cruzeiro, chegou a mandar a bandeirinha posar na Playboy.

” O erro dela foi muito, muito, muito anormal, coisa de quem está começando uma carreira. Se é bonitinha, que vá posar para a Playboy, não trabalhar com futebol”, falou.

Depois disso, Fernanda foi afastada e não apareceu mais em escalas na Série A. Ela chegou a trabalhar em jogos da Série C e D depois da reciclagem, mas não viu problemas nisso.

“Aconteceu um retorno normal, não tenho nada para reclamar. Meu foco é fazer bom trabalho para voltar, pode ser na Série C ou B. Vou voltar, quero fazer meu trabalho para isso”, encerrou a bandeirinha.

Fonte: UOL Esportes

‘Bandeirinha gata” volta a ser escalada e vai atuar na Série C do Brasileirão

10/07/2014 1 comentário

fernanda-05Após afastamento para “reciclagem”, a assistente Fernanda Colombo Uliana está de volta à ativa. A bandeirinha voltou a ser escalada pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e vai atuar no próximo dia 20 em um jogo da Série C do Campeonato Brasileiro.

Fernanda vai ser a assistente número 1 no duelo entre Juventude e Guaratinguetá, em Caxias do Sul-RS, pela 7ª rodada do torneio. Carlos Eduardo Vieira Areas será o árbitro, enquanto o bandeira Thiaggo Americano Labes completa o trio catarinense para a partida.

A “bandeirinha gata” ficou famosa pouco antes da Copa do Mundo, quando chamou a atenção tanto por sua beleza quanto pelos equívocos em jogos da Copa do Brasil e do Brasileirão.

Após falhar no clássico entre Cruzeiro e Atlético-MG, pelo Brasileirão, ela acabou envolvida em uma enorme polêmica, depois que o diretor de futebol celeste, Alexandre Mattos, recomendou que ela fosse “posar para o Playboy”, e não trabalhar com futebol.

Ao ESPN.com.br, no entanto, Mattos negou que tenha sido machista na declaração e reafirmou suas críticas pelas “falhas primárias” cometidas por Fernanda. O cartola acabou suspenso por 120 dias pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva).

Durante o exílio, inclusive, Fernanda Uliana cogitou até mesmo aceitar trabalhos “fora do futebol”, como modelo fotográfica. Além disso, ela passou por tratamento psicológico.

Fonte: ESPN

Fernanda Colombo já pode voltar aos campos e fala de pressão

“Vou sofrer preconceito por ser mulher, árbitra e, agora, famosa”, diz a assistente mais bonita do Brasil.

Enquanto não volta aos campos como árbitra — atividade que foi obrigada a interromper após cometer erros em duas partidas seguidas, pela Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro, em maio —, Fernanda Colombo tira onda de modelo e aprende, na prática, técnicas de como se sair bem nas fotos. “Está bom assim?”, pergunta ela ao fotógrafo, elevando a mão direita ao cabelo e dando uma quebradinha de leve na perna.

fernanda-colombo5

“Para mim, isso tudo é novidade. Nunca levei muito jeito, estou aprendendo”, justifica-se. Oportunidades não faltam. Da polêmica para cá, foram muitos ensaios e entrevistas, aparições em programas de TV e até a chance de mudar de profissão. “Se eu quisesse, poderia aproveitar o momento, mas minha prioridade sempre vai ser a arbitragem”, explica ela, já apta a voltar ao batente, após ficar suspensa por três jogos.

fernanda-colombo1

Isso deve ocorrer logo após a Copa do Mundo, mas a fama (e, claro, a beleza!) da loira poderão pesar na decisão de sua escalação. Sem falar que os olhos do Brasil estarão voltadas para ela. Friozinho na barriga? Que nada! “Já é difícil ser mulher e bonita fazendo o que eu faço, agora que todo mundo me conhece, a pressão aumenta. Vão prestar muito mais atenção em mim, mas não tenho medo. Vou sofrer preconceito por ser mulher, árbitra e, agora, famosa. Mas estou bem preparada”.

fernanda-colombo4

Posar nua está fora dos planos

Enquanto não volta a colocar seu talento à prova, Fernanda segue dividindo um apartamento com mais duas amigas em Santa Catarina, negocia apresentar um programa de esportes na web, e sonha poder viver apenas de futebol, seja como árbitra ou preparadora física: “Posar nua, por exemplo, está fora dos planos porque iria me prejudicar na arbitragem. Não quero passar por esse julgamento”.

fernanda-colombo2

Fanática desde pequena por futebol, Fernanda faz dos jogos da Copa do Mundo a oportunidade de aprender com os árbitros das partidas. Fora de campo, essa loirinha de 23 anos xinga como a maioria dos torcedores e elege David Luiz, Thiago Silva e Neymar como os melhores da nossa seleção. “A melhor zaga do mundo está com a gente”, diz ela, justificando a escolha pelos dois primeiros. “O Brasil está jogando bem, tem muita chances de ganhar a Copa”, aposta.

fernanda-colombo3

Fonte: Extra

Bandeirinha de jogo da Copa do Brasil vira fenômeno na web

fer-uliana

Nem Pato, nem Ganso ou Luís Fabiano. A partida decisiva entre São Paulo e CRB pela Copa do Brasil, vencida pelos paulistas por 3 a 0, teve como grande estrela Fernanda Colombo, que fez até com que palmeirenses ‘abandonassem’ o jogo do clube alviverde pela TV.

Bastou o primeiro impedimento do jogo, com poucos minutos, e o foco da transmissão ir em direção a Fernanda para ela ganhar elogios nas redes sociais. “Maluco, olha essa bandeirinha do jogo do São Paulo, senhor, tá de parabéns”, escreveu um torcedor.

O tamanho sucesso da auxiliar nas redes sociais ganhou atenção até dos torcedores do Palmeiras. Eles abandonaram o jogo do clube alviverde contra o Sampaio Corrêa, que teve transmissão simultânea no Fox Sports.

“Aguentei quinze minutos do jogo do Palmeiras. Alguém falou que bandeirinha do jogo do SP é sensacional, mudei de canal”, disse outro.

Em entrevista coletiva após a partida, o técnico Muricy Ramalho também falou sobre a beleza da assistente: “A bandeira é muito bonita, tem aquelas coisas toda, …”, completou.

Aos 23 anos, Fernanda é personal trainer, além de ter o cargo como auxiliar da Federação Catarinense de Futebol.

Categorias:Notícia Tags:
%d blogueiros gostam disto: