Arquivo

Posts Tagged ‘FIFA’

Árbitros de elite são aprovados em testes físicos

Na manhã da última segunda-feira (04), 40 árbitros e árbitros-assistentes de elite, homens e mulheres, foram submetidos a série de testes físicos que os habilita a continuar atuando em partidas de competições internacionais e da CBF. A atividade foi realizada na cidade de Jundiaí e faz parte da programação do 14º Curso RAP-FIFA para Árbitros de Elite, evento organizado pela Escola Nacional de Arbitragem (ENAF) que acontece até o próximo dia 8 (sexta-feira), em Águas de Lindoia, no interior de São Paulo.

O RAP (Abreviação da expressão em inglês Referees Assistance Programme ou Programa de Assistência para Árbitros), reunirá todo o quadro de árbitros FIFA nacional. Nos testes da manhã de segunda-feira, apenas dois árbitros foram reprovados, 5% dos participantes. O grupo passou por atividades que avaliaram a velocidade e a resistência dos participantes, e dão um panorama do condicionamento físico atual dos donos do apito.

Pela parte da noite, já em Águas de Lindoia, os árbitros e árbitros assistentes deram início à programação do Curso RAP. Durante quatro dias, eles terão aulas práticas e teóricas com instrutores internacionais e nacionais, sob a supervisão de Jorge Larrionda, instrutor técnico da FIFA e membro da Comissão de Árbitros da Conmebol.

Confira abaixo a lista de participantes do 14º Curso RAP-FIFA

Anderson Daronco – RS
Alessandro Álvaro Rocha de Matos – BA
Dewson Fernando Freitas da Silva – PA
Bruno Boschilia – PR
Luiz Flávio de Oliveira – GO
Bruno Raphael Pires – GO
Raphael Claus – SP
Danilo Ricardo Simon Manis – SP
Ricardo Marques Ribeiro – SP
Fabricio Vilarinho da Silva – GO
Rodolpho Toski Marques – PR
Guilherme Dias Camilo – MG
Wagner Magalhães – RJ
Kleber Lúcio Gil – SC
Wilton Pereira Sampaio – MG
Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa – RJ

Cláudio Francisco Lima e Silva – SE
Clóvis Amaral da Silva – PE
Eduardo Tomaz de Aquino Valadão – PA
Elicarlos Franco de Oliveira – BA
Flavio Rodrigues de Souza – PR
Luiz Claudio Regazone – RJ
Rafael Traci – SP
Miguel Cataneo Ribeiro da Costa – SP
Rodrigo Batista Raposo – SP

Rafael da Silva Alves – RS
Vinicius Gonçalves Dias Araújo – SP
Rogerio Pablos Zanardo – SP
Victor Hugo Imazu dos Santos -PR

Deborah Cecília Cruz Correia -PR
Márcia Bezerra Lopes Caetano – RO
Edina Alves Batista -DF
Neuza Inês Back – SC
Regildenia de Holanda Moura – SP
Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo – SP
Rejane Caetano da Silva – GO
Katiuscia da Mota Lima – SP
Daiane Caroline Muniz do Santos – MS
Thayslane de Melo Costa – SE
Leila Naiara Moreira da Cruz – DF

Fonte: CBF

Anúncios
Categorias:Notícia Tags:, , ,

Copa das Confederações começou com uso intenso do árbitro de vídeo

No último domingo, foram dois gols anulados e um confirmado graças ao uso da tecnologia de vídeo.

Já na primeira rodada da Copa das Confederações 2017 na Rússia a competição começou interessante por conta do intenso uso do árbitro de vídeo (AV) para confirmar ou corrigir 3 decisões cruciais em duas partidas.

O árbitro argentino Nestor Pitana foi o primeiro a receber a ajuda da tecnologia quando seu árbitro de vídeo dedurou uma irregularidade. O juíz portenho anulou o que seria o primeiro gol de Portugal contra o México, por conta de um impedimento que não foi bem observado na origem do gol.

Na outra partida entre Camarões e Chile, o atacante chileno Eduardo Vargas marcou um gol no fim do primeiro tempo e saiu em comemoração. Porém, o árbitro Damir Skomina, da Eslováquia, recebeu a informação de que Vargas estava impedido no momento do passe de Vidal. Apesar da reclamação dos sulamericanos, o gol foi corretamente anulado.

Ainda na mesma partida, Vargas marcou o segundo gol e, antes mesmo de comemorar, olhou para árbitro para confirmar o tento e saiu para extravazar sua alegria. Quando viu o assistente com a bandeira levantada Vargas quase surtou. Desta vez, no entanto, o gol foi corretamente validado com a ajuda do AV para a felicidade dos chilenso.

– O recurso é uma nova regra. Se funcionar para o bem do futebol, me parece algo bom. No começo, não entendi muito bem por que o gol tinha sido anulado. Depois me informei, mas havia muita confusão – disse o treinador português Fernando Santos.

Para Juan Pizzi, técnico do Chile, é preciso entender essa nova cultura no futebol.

– Em outra situação antes deste campeonato teria sido válido esse gol. Será necessário que passe algum tempo, que conheçamos essas novas sensações. No nosso caso, poderíamos ter ido ao vestiário ganhando por 1 a 0, mas entraram com um 0 a 0. Temos que dar uma certa margem para ver como se desenvolve isso tudo. A ajuda tecnológica e quantidade de gente que revisa as ações refletirão em maior justiça, ainda que a parte negativa será a parte emotiva para os jogadores – comentou o treinador.

Até o momento o saldo foi bem positivo para a nova tecnologia que acertou em 3 lances capitais nas partidas. Isso ajuda a minimizar as reclamações e dúvidas pós-jogo. Será o fim das discussões de futebol ou uma nova era que ainda não conhecemos?

IFAB inicia hoje o quarto workshop sobre árbitro de vídeo na FIFA

O 4º workshop do IFAB sobre os experimentos do árbitro de vídeo (AV) no futebol acontecerá na sede da FIFA em Zurique, na Suíça, entre 30 de maio e 1 de Junho de 2017. Será o último workshop antes dos testes ao vivo dos participantes deste programa, já em seu segundo ano de testes.

A entidade convidou todas as associações e ligas participantes dos experimentos, bem como outros interessados, para participar do evento.

O primeiro dia será dedicado às associações e ligas que estão no estágio inicial do uso do AV. As sessões vão destacar os aspectos fundamentais relacionados ao protocolo de uso do AV, treinamento dos árbitros e árbitros de vídeo, uso da tecnologia e os requisitos para os testes em competições.

Já no segundo e terceiro dias o foco será dados na experiência adquirida nos últimos 10 meses, adquirido em uma dúzia de jogos disputados em diferentes partes do mundo, que foram significantes para aprimorar o protocolo e sua aplicação prática no campo de jogo.

– Este workshop é muito importante para os testes e o sucesso do árbitro de vídeo, pois os organizadores vão nos dar informações importantes sobre o uso do VAR até o momento and vão ajudar a moldar o protocolo final, bem como os procedimentos de implementação do futuro conceito do AV – disse Lukas Brud, secretário do IFAB.

Serão apresentadas análises de situações envolvendo o AV que ocorreram na primeira fase dos testes, com foco especial na comunicação entre o árbitro e o AV e a aplicação do protocolo. O diretor técnico do IFAB, David Elleray, vai explicar os aspectos mais importantes da preparação dos árbitros e demonstrar como o treinamento da arbitragem deve ocorrer para o sucesso do experimento.

Além disso, o departamento de Inovação Tecnológica da FIFA, chefiada por Johannes Holzmüller, vai compartilhar a experiência com o uso da tecnologia e sobre os procedimentos de implementação e configuração dela, bem como a padronização do equipamento, que será um elemento importante na decisão final sobre o uso do AV, que ocorrerá no Assembleia Geral Anual do IFAB em março de 2018.

Durante o evento também será apresentado o relatório sobre um estudo do experimento do AV, conduzido pela universidade KU Leuven (Bélgica) de maneira independente, que tem o foco nas decisões da arbitragem e os impactos nas partidas, além do ponto de vista de diferentes partes interessadas na tecnologia.

O IFAB, em conjunto com a FIFA, supervisionam todos os experimentos ao redor do mundo para garantir sua eficácia. A decisão final deve ser tomada até 2018 ou, no máximo, em 2019.

Os detalhes do workshop podem ser vistos neste link (em inglês).

Alterações das Regras de Futebol 2017/18

Ofício nº 19/CA-CBF/17

Rio de Janeiro, 9 de maio de 2017

Da CA-CBF

Aos Árbitros, Assistentes, Inspetores e Analistas (campo e vídeo) da SENAF 2017.

Assunto: Alteração das Regras de Futebol 2017/18

Prezados Senhores,

A CBF, por meio de sua Comissão de Arbitragem e Diretoria de Competições, comunica a todas as federações, clubes, imprensa, público em geral e aos senhores árbitros, árbitros assistentes, analistas de desempenho de vídeo (ADV) e analistas de desempenho de campo (ADC) que, em todas as competições que coordena e que serão iniciadas a partir de 12/05/2017, já serão aplicadas as alterações introduzidas nas regras de futebol pela International Football Association Board – IFAB, em março de 2017. 

COPA DO BRASIL: A PARTIR DA SEXTA FASE

Não obstante, a CBF esclarece que esta circular conterá apenas as alterações que podem causar impacto imediato no desenvolvimento dos jogos das competições, a saber:

REGRA 3 – OS JOGADORES

As Associações Nacionais podem permitir um máximo de cinco substituições (exceto no nível superior, entende-se profissionais).

  • Redação mais clara para o procedimento de substituição;
  • Uma substituição feita no primeiro (intervalo) tempo sem informar ao árbitro não é uma infração para advertência com cartão amarelo (CA);
  • A substituição de um goleiro no primeiro tempo (intervalo) sem ser informado ao árbitro não é infração para advertência com cartão amarelo (CA);
  • O jogador que entrar no terreno de jogo sem a permissão do árbitro e interferir no jogo deve ser punido com um tiro livre direto (TLD). Se não interferir no jogo dever ser punido com um tiro livre indireto (TLI). Em ambos os casos o jogador dever ser punido com cartão amarelo (CA) – (exceto se impedir uma clara oportunidade de gol ou cometer uma falta de jogo brusco grave, casos em que a punição deve ser cartão vermelho direto (CVD). Não é necessário solicitar ao jogador que saia do campo após ser advertido com cartão amarelo (salvo em caso de sangramento ou irregularidade no equipamento);
  • A equipe que tiver marcado um gol com uma pessoa extra (jogador, jogador substituto, jogador expulso ou um oficial da equipe) no campo, este gol deverá ser anulado e a equipe será punida com um tiro livre direto (TLD), no local em que se encontrava a pessoa extra.

REGRA 4 – O EQUIPAMENTO DOS JOGADORES

  • Não é permitido aos jogadores (incluindo os substitutos, jogadores substituídos e expulsos) usar qualquer forma de equipamento eletrônico ou de comunicação (exceto onde EPTS for permitido). O uso de qualquer forma de comunicação eletrônica por oficiais de equipes não é permitido, exceto quando se relacionar diretamente com o bem-estar ou segurança do jogador;
  • Todo equipamento deve ser de marca que garante um padrão mínimo de segurança.

REGRA 5 – O ÁRBITRO

  • Um médico relacionado por uma equipe e que deve ser punido com expulsão pode permanecer para realizar tratamento em jogadores se não houver outro médico para realizar as funções.

REGRA 7 – A DURAÇÃO DA PARTIDA

  • Será permitida uma interrupção curta para bebidas ao término do primeiro tempo da prorrogação.

REGRA 8 – O INÍCIO E O REINÍCIO DO JOGO

  • Somente o jogador que efetuará o tiro de saída poderá estar na metade do campo adversário.

REGRA 10 – DETERMINAÇÃO DO RESULTADO DE UMA PARTIDA

  • As prorrogações devem ser de dois períodos iguais, no máximo de 15 minutos cada.

   10.1 – TIROS LIVRES DO PONTO PENAL

  • Correção da situação de um goleiro que não pode continuar jogando;
  • Jogador excluído das cobranças para igualar o número de jogadores das duas equipes pode substituir um goleiro que não possa continuar, ainda que sua equipe já tenha realizado todas as substituições permitidas;
  • O executor do tiro penal não pode tocar na bola pela segunda vez;
  • Se um goleiro cometer infração e o tiro penal tiver que ser repetido (não gol), esse goleiro deve ser advertido com cartão amarelo (CA);
  • Se o executor do tiro penal cometer infração, o tiro será considerado perdido;
  • Se o goleiro e o cobrador cometerem infração ao mesmo tempo:

– Se não for marcado gol, a cobrança será repetida e os dois devem ser punidos com cartão amarelos (CA);

– Se for marcado o gol, o jogador cobrador será advertido com cartão amarelo (CA) e tiro penal será considerado como “perdido”.

REGRA 11 – IMPEDIMENTO

  • O Jogador em posição de impedimento deverá ser punido se a bola rebotar ou desviar em um oficial da arbitragem;
  • Definição de defesa deliberada:

– A defesa deliberada ocorre quando um jogador joga a bola que vai em direção de sua meta ou está muito próxima dela, com qualquer parte do corpo, salvo com as mãos, a menos que seja o goleiro em sua própria área penal.

Orientação de impedimento:

  • Jogador em posição de impedimento, que impede um adversário de jogar ou tentar jogar a bola deve ser punido;
  • Se um jogador em posição de impedimento sofrer uma falta ante de cometer uma infração de impedimento (jogo ativo), a falta deverá ser marcada;
  • Um jogador que estiver em posição de impedimento, se movimentar em direção à bola com a intenção de joga-la e sofrer uma falta, antes de jogar ou tentar jogar a bola ou de disputar a bola com um adversário, a falta deve ser marcada, pois ocorreu antes da infração de impedimento (antes do envolvimento em jogo ativo);
  • Um jogador em posição de impedimento que jogar, tentar jogar ou disputar a bola com seu adversário, a infração de impedimento será marcada, pois ocorreu antes da falta (depois do envolvimento em jogo ativo).

REGRA 12 – FALTAS E INCORREÇÕES

  • As infrações verbais (gestuais) são punidas com tiro livre indireto (TLI);
  • Se uma vantagem for concedida depois de uma infração punível com CV ou segundo CA e esse jogador, em seguida cometer outra falta, deve ser reiniciado de acordo com essa nova falta;
  • Um jogador que impede um ataque promissor em sua própria área penal não deve ser punido com CA, se a falta for cometida tentar jogar a bola (disputa);
  • Ademais, se a falta cometida na própria área penal ao impedir uma clara oportunidade de gol, deve ser aplicado um CA, se falta for cometida tentando jogar a bola (disputa);
  • As celebrações de gol que causem problema de segurança devem ser punidas com CA;
  • O fato de um jogador se mover em sentido diagonal para passar pelo último defensor ou pelo goleiro não descaracteriza, somente por isso, uma clara oportunidade de gol;
  • O integrante da equipe que entrar no campo de jogo sem autorização do árbitro e impedir uma clara oportunidade de gol deve ser expulso;
  • Infração fora do campo a favor/contra um jogador substituto ou contra um oficial da equipe será punida com tiro livre indireto (TLI) sobre a linha limite se a bola estiver em jogo;
  • Tiro livre direto por jogar ou chutar a bola/objeto no campo de jogo que interfira em alguém;
  • tiro livre direto na linha limite por jogar ou chutar a bola/objeto a uma pessoa fora de campo.

REGRA 13 – TIROS LIVRES

  • Se um atacante entrar (ou estiver) na área penal, antes da cobrança de um tiro livre da área penal a favor da defesa, não poderá jogar ou disputar a bola, ainda que saia da área, antes que bola seja tocada por outro jogador.

REGRA 14 – TIRO PENAL (PÊNALTI)

  • O executor do tiro penal deve ser claramente identificado;
  • Se o goleiro e o jogador cometem a infração ao mesmo tempo:

– Se não for marcado gol, o tiro deve ser repetido e ambos os jogadores devem ser advertidos com cartão amarelo (CA).

– Se for marcado o gol, o tiro será considerado como perdido e o jogador executor deverá ser advertido com cartão (CA).

REGRA 16 – O TIRO DE META

  •  Se antes da cobrança de um tiro de meta um atacante entrar (ou estiver) na área penal adversária, esse atacante não poderá jogar ou disputar a bola até que a bola seja tocada por outro jogador.

Fonte: CBF

Categorias:Notícia Tags:, , , ,

Árbitro FIFA de Gana é banido do futebol por corrupção

Árbitro apitou partida pelas qualificatórias para a Copa da Rússia 2018 e marcou um pênalti inexistente.

O árbitro de Gana, Joseph Odartey Lamptey, foi banido do futebol pela FIFA após ser condenado culpado por influenciar no resultado da partida entre África do Sul e Senegal, jogo qualificatório válido para a Copa do Mundo 2018 na Rússia, realizado em Novembro de 2016.

Lamptey marcou um pênalti incorretamente de um lance de mão que nunca existiu. Com o gol marcado a África do Sul venceu a partida pelo placar de 2 a 1. No lance, a bola toca a perna do defensor de Senegal, Kalidou Koulibaly, mas o árbitrou marcou pênalti, mesmo após muita reclamação do time senegalês.

– “O Comitê Disciplinar da FIFA decidiu banir o árbitro ganês Joseph Odartei Lamptey de qualquer atividade ligada ao futebol (administrativa, esportiva ou outra) em nível nacional e internacional pelo resto de sua vida. O árbitro foi culpado de infringir o artigo 69 parágrafo 1 (influenciar no resultado da partida de forma ilegal) do código disciplinar da FIFA no dia 12 de Novembro de 2016 na partida entre África do Sul e Senagal, qualificatória para a Copa do Mundo da Rússia” – declarou oficialmente a FIFA.

A entidade ainda prometeu dar maiores informações sobre a partida em questão assim que uma decisão final for tomada a respeito do seu resultado.

– “A FIFA tem uma política de tolerância zero contra a manipulação de resultados e está comprometida a proteger a integridade do futebol. A FIFA continuará seus esforços contínuos para combater a manipulação de jogos por meio de inúmeras iniciativas, que incluem a monitoração de apostas em nível internacional e um sistema de denúncia confidencial com uma linha direta e endereço de e-mail dedicados a este fim.”

 

Três ex-árbitro da Associação da África do Sul (SAFA) foram banidos do esporte em 2016 por conta de jogos amistosos internacionais disputados em 2010. Leslie Sedibe, ex-chefe executivo da SAFA, foi banido por 5 anos e multado em 14 mil libras (cerca de 54 mil Reais) pelo Comitê de Ética da FIFA. Steve Goddard e Adeel Carelse, antigos chefes do departamento de árbitros da SAFA, foram banidos por 2 anos.

Os casos dos sul africanos estavam ligados ao caso de Lindile Kika, antigo membro executivo da SAFA e chefe da arbitragem, que foi banido por 6 anos pela FIFA em Outubro de 2015. A FIFA disse que Sedibe, Goddard e Carelse infringiram a ética e as regras de conduta, lealdade e confidencialidade, cooperação e discrição.

Categorias:Notícia Tags:

CBF entrega distintivos para árbitros FIFA 2017

cbf-fifa-2017-1

A elite da arbitragem brasileira esteve presente no auditório da sede da CBF para a cerimônia de entrega das insígnias da FIFA, na manhã da última quinta-feira (16). Dos 28 árbitros e assistentes, Rodolpho Toski, Deborah Correia, Rejane Caetano, Wagner Magalhães e Wagner Reway, além do assistente Danilo Simon Manis, passam a integrar o quadro da entidade máxima do futebol. Os demais tiveram o vínculo renovado com a entidade máxima do futebol. O evento encerrou o ciclo de atividades do Treinamento para Árbitros de Elite, realizado desde a terça-feira (14), no Rio de Janeiro.

Sandro Ricci, Emerson de Carvalho, Marcelo Van Gasse e Luiz Flávio de Oliveira não estiveram presentes. Por causa de compromissos pela Copa Libertadores da América, na Colômbia, o quarteto recebeu as insígnias na última terça-feira (14).

cbf-fifa-2017-2

No evento desta quinta-feira, os árbitros receberam as insígnias da FIFA das mãos do presidente da CBF, Marco Polo Del Nero. O dirigente parabenizou os profissionais e falou sobre as particularidades do ofício.

– É um dia de festa, comemoração. Temos novos árbitros na FIFA. Sei que é a profissão mais difícil do mundo. Enquanto um juiz de direito fica um ou dois anos para dar uma sentença, para, estuda… Vocês não, tem que definir a questão num segundo. Mas, estamos dando todas as condições e quero que em 2017 a arbitragem brasileira seja a melhor do planeta! – afirmou o mandatário.

 

Antes da entrega das insígnias, os profissionais exibiram vídeos com recomendações aos árbitros e assistentes. Os temas foram controle de jogo, interpretação de bola na mão, comemoração de gol (invasão de integrantes do banco de reserva no campo e proximidade com a torcida), reclamação excessiva e ofensa ao trio de arbitragem, gandulas e posicionamento do árbitro em campo.

cbf-fifa-2017-3

O objetivo das recomendações é passar uma uniformidade aos árbitros e assistentes. Presidente da Comissão Nacional de Arbitragem, Marcos Marinho, explicou as formas e ferramentas que serão utilizadas para que a padronização seja alcançada.

– A ideia desse curso dos Árbitros de Elite é buscar um padrão para a arbitragem brasileira. Eles têm de criar uma identidade. Com a aproximação de critérios, conduta, controle de jogo. Mostrar como isso tem que ser feito para os demais componentes do quadro ao longo do ano. Eles serão a referência. Isso foi colocado para eles, se reuniram, conversaram bastante. E a atuação deles não pode destoar sendo FIFA. Todos tem de ter a mesma linguagem e a mesma postura. Objetivo é uma padronização. Estaremos acompanhando isso, monitorando isso, estamos implantando um novo tipo de relatório de desempenho, que vai apontar melhor os desvios e reforçar as qualidades dos árbitro, é imediato, em no máximo 48 horas eles estarão recebendo e acho que isso é o que estava faltando para a gente buscar aquela uniformidade. Espero que no final do ano a gente possa colher bons resultados do que estamos plantando hoje – destacou.

cbf-fifa-2017-4

Cláudio Vinícius Cerdeira, membro da Comissão de Arbitragem da CBF, explica que a ideia é que árbitros e assistentes brasileiros tenham uma postura mais firme. Cerdeira detalha as recomendações passadas no Treinamento para Árbitros de Elite.

– Passamos diversas recomendações aos árbitros. As recomendações técnicas, como mão na bola, proximidade, lateralidade, observar as jogadas.Vimos uma coisa que vem acontecendo: jogadores do banco de reservas que entram no intervalo ou ao final da partida para pressionar o árbitro. Queremos coibir isso. Foi um dos assuntos tratados nesta conversa. A comemoração de gol exagerada, agarra-agarra… E a participação ativa do trabalho em equipe. Assistentes participando muito, quarto árbitro também… Trabalho em equipe. Quanto mais pessoas puderem observar os lances, melhor para a arbitragem e melhor para o futebol. Estamos batendo muito nesta tecla para os assistentes participarem bastante… Hoje já há uma comunicação muito boa, contato direto entre árbitro e assistentes, teremos a volta dos árbitros adicionais e formaremos uma equipe de seis árbitros em todos os jogos na Série A e vamos exigir essa comunicação, o trabalho em equipe deles. É o nosso foco – acrescentou.

Árbitros FIFA:

Anderson Daronco (RS)
Deborah Correia (PE)
Dewson Freitas (PA)
Edina Batista (PR)
Raphael Claus (SP)
Regildenia de Holanda (SP)
Rejane Caetano (RJ)
Ricardo Marques (MG)
Rodolpho Toski (PR)
Wagner Magalhães (RJ)
Wagner Reway (MT)
Wilton Sampaio (GO)

Árbitros assistentes:

Alessandro Álvaro Rocha (BA)
Bruno Boschilia (PR)
Bruno Pires (GO)
Danilo Simon Manis (SP)
Fabrício Vilarinho (GO)
Guilherme Camilo (MG)
Kléber Gil (SC)
Nadine Bastos (SC)
Neuza Back (SC)
Marcia Bezerra (RO)
Rodrigo Corrêa (RJ)
Tatiane Camargo (SP)

O evento foi comandado pelo presidente da Comissão Nacional de Arbitragem, Marcos Marinho, o vice-presidente, Alício Pena Júnior, o diretor técnico da Escola Nacional de Arbitragem (ENAF), Manoel Serapião Filho, e coordenador do Projeto de Desenvolvimento e Implementação do árbitro de vídeo, Sérgio Corrêa.

Fonte: CBF

Categorias:Notícia Tags:, ,

CBF aumenta limite de idade e “desaposenta” árbitros brasileiros

marcelo-henrique

Em meio ao futebol praticado cada vez com mais intensidade, a CBF tomou uma decisão que pode gerar mais polêmicas na arbitragem brasileira, já tão criticada.

A entidade aumentou o limite de idade dos árbitros que trabalham nos seus torneios de 45 para 50 anos. A decisão foi anunciada um ano após a FIFA retirar o limite de idade de 45 anos para os árbitros nas competições organizadas por ela.

Árbitros que já encerram a carreira acreditam que a medida não é benéfica, pois poderia atrapalhar o surgimento de novos árbitros no país.

A Comissão Nacional de Arbitragem da CBF, porém, não vê que essa nova determinação possa atrapalhar.

– “Após a decisão da Fifa, analisamos e achamos interessante. Essa nova medida é importante desde que o árbitro tenha sido aprovado nos testes”, disse o Coronel Marinho, que assumiu a presidência da comissão em setembro do ano passado.

A decisão de aumentar o limite de idade dos árbitros era uma reivindicação da ANAF (Associação Nacional de Árbitros de Futebol).

– “Se o árbitro for aprovado nos testes físicos, técnicos e mentais e estiver motivado para trabalhar, porque existir esse limite de idade? Ele tem totais condições de continuar assim como um jogador veterano”, disse Marco Antonio Martins, 50, ex-árbitro e presidente da Anaf.

De acordo com Martins, a imposição da idade impediu que árbitros importantes do país continuassem a carreira mesmo em boa fase.

– “Na época, o Simon [Carlos Eugênio] parou com 45 anos voando. Ele tinha condições de apitar mais alguns anos”, acrescentou.

A decisão da CBF beneficiou dois árbitros que trabalharam no Brasileiro-2016: o carioca Marcelo de Lima Henrique, 45, e o baiano Jailson Macêdo Freitas, 46.

– “Considerava que era um preconceito limitar o árbitro pela idade. Se ele conseguisse a aprovação nos testes, deveria continuar apitando. Acho que esse limite imposto pela CBF foi mais para ter um parâmetro”, disse Marcelo, que já voltou a apitar partidas no Estadual do Rio.

O carioca foi árbitro FIFA até 2014. Ele apitou o duelo entre Uruguai e Argentina, em Montevidéu, pelas eliminatórias da Copa do Mundo-2014.

A decisão também beneficiou o assistente Emerson Augusto de Carvalho, 44. Ele não poderia trabalhar na Copa-2018, já que teria estourado o limite da CBF, mas foi pré-selecionado pela FIFA para o Mundial da Rússia.

Fonte: Folha SP

%d blogueiros gostam disto: