Arquivo

Posts Tagged ‘tecnologia’

Árbitro de vídeo estreia na semi da Libertadores de forma decisiva

Depois de duas partidas em que esteve disponível, mas não foi usado, o recurso do árbitro de vídeo (VAR) enfim “estreou” na Libertadores. E foi decisivo na heroica classificação do Lanús à final da competição, com vitória de virada por 4 a 2 sobre o River Plate nesta terça-feira (31), após derrota por 1 a 0 no jogo de ida.

Jogando em casa e empurrado por sua fanática torcida no estádio La Fortaleza, o Lanús saiu perdendo por 2 a 0 ainda no primeiro tempo. Precisava de quatro gols para avançar à decisão. E conseguiu, sendo que dois deles contaram com intervenções cruciais do árbitro de vídeo para serem validados.

O River começou a todo vapor. Scocco, de pênalti, aos 17 minutos, e Montiel, aos 23, balançaram a rede e deixaram a classificação praticamente inatingível para os donos da casa. Mas o Lanús descontou no final da primeira etapa, aos 46 minutos, com Sand.

A primeira aparição da tecnologia na história da Libertadores aconteceu no gol de empate do Lanús, marcado logo no começo do segundo tempo, novamente por Sand. Ele aproveitou uma sobra de bola na área e finalizou para as redes. O árbitro Wilmar Roldán pediu o auxílio do vídeo para determinar se o jogador estava impedido e validou o gol.

Embalado, o Lanús fez o terceiro gol aos 16, com Lautaro Acosta. E aos 23, novamente o árbitro de vídeo foi protagonista: Montiel puxou Pasquini dentro da área e, após rever o lance na televisão, Wilmar Roldán marcou a penalidade. Alejandro Silva converteu e fez o gol da classificação histórica do time da casa.

O técnico do River Plate, Marcelo Gallardo, fez fortes críticas ao uso de árbitro de vídeo durante a semifinal.

“Nós não vamos desviar a responsabilidade, falhamos porque tínhamos o resultado a favor. Mas então houve polêmicas em que eles decididamente falharam no uso da tecnologia. É difícil saber se ele (árbitro de vídeo) vai ser usado para uma equipe ou ambos. Não sei qual é a explicação que eles vão dar agora. Tudo o que eles explicaram foi inútil, serviu para um time e nada mais”, disse Gallardo.

Na final, o Lanús enfrentará o Grêmio ou o Barcelona de Guayaquil. No jogo de ida, no Equador, o time brasileiro venceu por 3 a 0 e encaminhou a classificação. A vaga será decidida nesta quarta (1), em Porto Alegre.

Anúncios

Ricci será o primeiro árbitro de vídeo da história da Libertadores

O brasileiro Sandro Meira Ricci será o primeiro árbitro de vídeo da história da Copa Libertadores. A Conmebol anunciou nesta quarta-feira (18) que Ricci foi o encarregado da função para a primeira partida da semifinal entre River Plate e Lanús, no Monumental de Núñez, no próximo dia 24.

A equipe de arbitragem será composta por brasileiros e equatorianos. Wilton Sampaio será o árbitro, auxiliado por Bruno Boschilia e Kleber Lucio Gil. Anderson Daronco é o quarto árbitro, enquanto Ricci cuidará da arbitragem de vídeo ao lado dos assistentes Roddy Zambrano e Christian Lescano, ambos do Equador.

Para a semifinal entre Barcelona de Guayaquil e Grêmio, cujo primeiro jogo será no Equador, no dia 25, o time de arbitragem será um misto entre argentinos e peruanos. Nestor Pitana apitará o jogo, auxiliado por Hernan Maidana e Juan Pablo Belatti, todos da Argentina. O peruano Diego Haro será o quarto árbitro, enquanto a videoarbitragem ficará a cargo de Mauro Vigliano (Argentina), com a ajuda dos assistentes Patricio Loustau (Argentina) e Jonny Bossio (Peru).

Será a primeira rodada da história da competição a contar com o auxílio da nova tecnologia de arbitragem, a fim de minimizar erros e polêmicas nos jogos decisivos.

Fonte: UOL Esportes

Grupo inglês quer permitir uso de câmeras pelos árbitros para evitar agressões

A Football Association (FA), da Inglaterra, recentemente divulgou o número de 111 casos comprovados de agressão a árbitros na última temporada. É uma média de 3 casos por semanas, sem contar os casos não comprovados ou não relatados.

Existe uma grande preocupação naquele país com o número crescente de agressões aos árbitros, inclusive a garotos menores de 18 anos que estão iniciando na carreira. A FA tem atuado de modo a coibir a violência diminuindo a pena mínima de suspensão em casos de agressão contra alguém da equipe de árbitros, embora isso não parece ter surtido o efeito esperado. Em um caso recente ocorrido em outubro deste anos, um árbitro agredido e hospitalizado, sendo vítima de uma cabeçada aplicada por um jogador que perdeu a cabeça na partida.

A Ref Support, uma entidade pró-árbitros, tomou a frente nessa discussão pedindo por mudanças para proteger a classe do apito. Com o intuito de proteger os árbitros de futuros casos de agressão, a entidade tem trabalhado para pedir mudanças nas regras do jogo para permitir que os juízes possam portar consigo uma câmera portátil presa ao corpo (chamada de bodycam). A ideia é que o dispositivo possa não apenas gravar imagens dos fatos, mas também coibir atitudes agressivas ou abusivas contra os árbitros ou mesmo outros participantes. Pais, treinadores, gestores e jogadores querem que a experiência da prática do futebol seja mais prazerosa, privilegiando o jogo bonito. E todos eles estão dispostos a erradicar a violência dos gramados.

Ryan Hampson, um jovem árbitro de Manchester, está engajado em fazer as mudanças acontecerem e criou uma petição online na internet para pedir apoio das pessoas para levar a discussão até o parlamento inglês para que seja feito um lobby com a FA a fim de conseguir aprovar as mudanças nas regras e permitir o uso da bodycam. O próprio Ryan disse já ter sido vítima de todo tipo de agressão no campo.

– “Já levei cabeçada, cuspiram em mim e até um soco me deram, só para dizer apenas algumas agressões que já sofri” – contou o jovem que diz depositar todas as suas esperanças na FA para que ajude a acabar com a violência.

Um problema recorrente naquele país, que também faz parte da realidade brasileira, é que muitos dos casos de agressão reportados para os organizadores das competições nem sempre são investigados ou punidos como deveriam, dando uma sensação de impunidade ou pouco caso com a seriedade dos fatos. Outro ponto que contruibui para a continuidade desses abusos é que poucos árbitros relatam as agressões ou então omitem informações relevantes. A FA disse estar empenhada em melhorar o panorama e vai renovar a comunicação da sua campanha “Respeito”. A sub-sede de Manchester disse que vai dar mais apoio a seus árbitros e promete visitar o árbitro agredido nas primeiras 24 horas do incidente e reportar o caso para a polícia.

O site da BBC News publicou um vídeo da entrevista (em inglês) com Ryan contando sobre esta iniciativa.

Conmebol explica regras do árbitro de vídeo, mas não garante tecnologia em 2018

A Conmebol apresentou os critérios que usará para o árbitro de vídeo na semifinal e final da Libertadores e também na decisão da Copa Sul-Americana. Em uma apresentação nesta quarta-feira (11), a entidade explicou em quais condições a tecnologia será usada e pontuou que não é certo que as competições de 2018 seguirão com a ajuda das câmeras.

O processo respeita as normas impostas pela IFAB, que regulamenta as regras do futebol, e tem parceria com a Media Pro, empresa que já opera a tecnologia em diversos países. A decisão de fazer o teste já nas competições deste ano foi do presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez.

Presidente do Comitê de Arbitragem da Conmebol, Wilson Seneme, explicou que os árbitros já passaram por um curso de capacitação e ainda irão para Assunção (sede da entidade) participar de mais uma etapa que durará quatro dias.

“Em um primeiro momento, a decisão nos deixou surpresos, mas a gente vestiu a camisa do presidente e vimos que é possível fazer isso agora. A gente não quer acabar com todos os erros, mas com as decisões que forem claramente incorretas, para não prejudicar o fluxo do jogo”, explicou Seneme.

“É importante saber que o árbitro de vídeo vai salvar o investimento do clube, a paixão da torcida, mas também a própria carreira. Só vão seguir adiante os que se adaptarem. Depois desses testes, vamos sentar e analisar o futuro, mas ainda estamos em período de testes”, pontuou.

Todo o procedimento dos árbitros de vídeo e a comunicação entre os envolvidos serão gravados para que erros sejam evitados no futuro.

Quem pode pedir a análise de vídeo?

A Conmebol deixou claro que apenas os árbitros poderão pedir para checar as imagens. A entidade ainda deixou claro que o atleta que pressionar e/ou fizer o gesto pedindo análises pelas câmeras será punido com o cartão amarelo. Os árbitros de vídeo também poderão alertar o juiz central de alguma infração. Haverá também um monitor na beira do campo para que o árbitro que esteja no gramado possa checar o lance de maneira independente caso necessário.

Quais lances poderão ser analisados

Gols: Os árbitros de vídeos poderão anular ou ratificar um gol caso tenham dúvida da posição de quem fizer o gol. Ainda poderão analisar caso o artilheiro tenha cometido alguma infração durante a jogada. Por fim, o árbitro também analisará se a bola saiu ou não em instante prévio ao gol. Se houver uma dúvida de interpretação, será mantida a primeira decisão do árbitro central.

Pênaltis: O vídeo poderá analisar se a falta foi dentro ou fora da área, se houve falta de fato caso o pênalti seja concedido e ainda analisar uma falta que tenha sido feita antes do momento da penalidade máxima.

Cartões vermelhos: O árbitro de vídeo poderá analisar se o jogador que cometeu a falta merece o vermelho por ter impedido uma chance clara de gol. As câmeras ainda vão auxiliar se o jogador fez uma infração passível de expulsão que não foi detectada. É importante destacar que cartão amarelo não poderá ir ao julgamento do vídeo.

Confusão de identidade: O árbitro poderá recorrer às TVs para saber quem foi o verdadeiro responsável pela infração de jogo para evitar punições para o atleta errado.

Quantos árbitros de vídeo estarão no jogo?

O projeto inicial da Conmebol coloca ao menos um árbitro que comandará o vídeo e mais um assistente, que ajudará no processo, mas não tem poder de decisão. Há a chance de um terceiro profissional compor o grupo. Em um primeiro momento, os árbitros de vídeo ficarão no próprio estádio. Antes de cada jogo, a arena será vistoriada para saber as condições de trabalho.

De quem é a imagem analisada?

As imagens serão fornecidas pela transmissora do evento. O tema gera polêmica pela possibilidade de manipulação, mas a organização esclarece que os árbitros de vídeo terão acesso a dois tipos de conteúdo: diretamente das câmeras, sem que a imagem passe antes pela mesa de edição das emissoras e também ao material editado, já com replays e diferentes ângulos de transmissão.

O público saberá o que está sendo analisado?

Quem estive acompanhando a transmissão pela televisão saberá exatamente o motivo de discussão entre os árbitros. Já quem estiver no estádio precisará apenas entender o lance pelo gestual do árbitro. A análise não será transmitida no telão.

Quem paga o investimento? Até quando a tecnologia está garantida?

Em um primeiro momento, a Conmebol bancará a tecnologia. O contrato assinado com a operadora das câmeras vai apenas até dezembro e está em caráter experimental. Seneme e companhia não confirmam que o árbitro de vídeo será usado em todos os campeonatos continentais em 2018 e também não descartam que a tecnologia seja exclusiva a partir de uma determinada fase.

“Não sabemos as condições de todos os estádios e não seria justo analisar um jogo e não analisar outro que são da mesma fase. Por isso, a gente pode adotar isso em determinadas etapas das competições para que todos tenham a mesma tecnologia”.

Fonte: UOL Esporte

Categorias:Notícia Tags:, , ,

Árbitro de Vídeo: em busca da concentração ideal

O Árbitro Assistente de Vídeo (VAR) ganhou um reforço importante. Para usar bem a ferramenta, é necessário estar com a cabeça bem tranquila para garantir o nível de concentração ideal. Foi por isso que a tecnologia ganhou o importante reforço. A Comissão de Arbitragem da CBF convocou as psicólogas Marta Magalhães e Marta Minopoli para um intensivo com os participantes do curso de capacitação do VAR, realizado no Eco Resort Oscar Inn, em Águas de Lindóia (SP).

Na noite da última quinta-feira (28), as profissionais fizeram uma apresentação dos métodos que utilizam aos árbitros e assistentes e promoveram alguns testes. Primeiro, os participantes desenvolveram algumas respostas no papel. Na sequência, foram para a máquina. Com cada um sendo testado de forma individual, foram medidos níveis de respiração, concentração e ansiedade, além da coerência cardíaca.

– Foi um avaliação muito boa. A Doutora Marta trabalha o pilar mental há alguns anos com a gente. Fizemos alguns testes e por último foi realizado o cardioemotion, que é novo para nós. Ele trabalha a respiração e a concentração, que será fundamental para o trabalho do Árbitro de Vídeo. É preciso estar altamente focado para ficar atendo a tudo o que está passando nos monitores e aguardando as solicitações dos árbitros de campo. Então, aprendemos aqui o quanto é importante o controle da respiração – avaliou o árbitro assistente Flávio Barroca.

Na manhã desta sexta-feira (29), os resultados foram apresentados aos participantes e houve comparativos entre os níveis. A psicóloga Marta Magalhães explica que é importante que os próprios árbitros e assistentes se conheçam para que possam fazer um controle dos aspectos mais importantes.

– Os árbitros e assistentes foram submetidos a três testes diferentes. O primeiro foi o de atenção concentrada, dividida e alternada. São ferramentas que eles vão utilizar no árbitro de vídeo. Depois foi feito o teste de personalidade, para nós estarmos elencando os cinco fatores principais para fazer as intervenções necessárias no antes, durante e depois das partidas. Por fim, fizeram o biofeedback, que mede a coerência cardíaca e o nível de estresse e ansiedade das tomadas de decisões. Com o árbitro sabendo como é a sua respiração, ele terá esse poder de cuidar melhor dela para ter foco e tomadas de decisões mais efetivos – destacou.

Fonte: CBF

Categorias:Notícia Tags:, , ,

Árbitros CBF entram em campo para testar uso do vídeo

O curso promovido pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para capacitar árbitros e assistentes ao uso do vídeo para auxiliar nas decisões de campo teve uma inversão de papéis nesta segunda-feira (2). Os times de arbitragem foram a campo planejar e executar jogadas, para que os instrutores e supervisores do curso avaliassem os lances na sala dos monitores.

De acordo com a CBF, o objetivo da atividade foi “que cada um ambientasse com as diferentes funções”. O treino aconteceu em Águas de Lindoia, em São Paulo.

“Os instrutores ocuparam o lugar do árbitro de vídeo em determinado período do treino para que a gente tivesse a perfeita noção de como as coisas se passavam”, disse o instrutor Manoel Serapião, que atuou por 20 minutos como árbitro de vídeo, ao site da CBF. “A questão da ansiedade, do apoio tecnológico… Porque a gente passa para a pele deles. Quando passamos pela dificuldade, compreendemos a dificuldade do outro”.

A CBF tomou a decisão de acelerar a implantação do árbitro de vídeo no Campeonato Brasileiro após o jogo entre Corinthians e Vasco, em em 17 de setembro, quando o centroavante Jô fez com o braço o gol da vitória do time paulista. Até o momento, nenhuma partida da competição fez uso da tecnologia.

Fonte: UOL Esporte

Categorias:Notícia Tags:, , ,

Como os bandeirinhas: CBF quer árbitro de vídeo especialista na função

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) quer formar árbitros de vídeo (AV) especializados na função. A ideia é que se tenha profissionais que só façam, ou tenham prioridade, no acompanhamento de lances fora de campo para ajudar o árbitro de campo. Algo como ocorre com os assistentes, popularmente conhecidos como bandeirinhas, que são especialistas em atuar nas laterais do campo.

“Tem alguns [árbitros] que terão mais facilidade do que outros com o vídeo, por isso vão atuar mais. Vamos avaliar a performance dos treinamentos. Alguns árbitros correspondem melhor do que outros, têm mais agilidade, tudo isso será analisado para a escolha daquele que ficará na sala com os monitores”, disse o chefe da comissão de arbitragem da CBF, Marcos Marinho.

Como mostrou o blog na segunda (25), a ideia da CBF é que os árbitros mais bem ranqueados, ou seja, aqueles considerados os melhores pela confederação, continuem atuando dentro de campo. Estes só apareceriam como árbitro de vídeo caso percam no sorteio para apitar alguma partida – nesta lista estão Anderson Daronco, Sandro Meira Ricci e Luiz Flavio de Oliveira.

O sorteio, por sinal, não será feito para designar o árbitro de vídeo. “Pela legislação só é necessária para o árbitro principal. Os árbitros de vídeos serão designados pela comissão de arbitragem”, explicou Marinho.

Até o dia 11 de outubro, 64 árbitros e assistentes estão participando de treinamento em Águas de Lindoia, no interior de São Paulo. Dali sairão os mais bem avaliados, que num primeiro momento serão os preferidos para atuar como AV.

Há uma preocupação da comissão de arbitragem de evitar que haja exposição desses profissionais caso ocorram falhas – testes feitos pela Fifa em torneios como a Copa das Confederações e o Mundial de Clubes tiveram problemas como a demora de uma conclusão sobre a jogada verificada, e até da não verificação de infrações cometidas no lance.

Ainda não há uma data para início do uso do AV na Série A do Brasileiro – uma estimativa é na rodada do fim de semana de 14 e 15 de outubro. É preciso que chequem equipamentos que serão usados – as imagens serão geradas pela TV Globo, que detém os direitos de transmissão do campeonato.

Fonte: Blog do Marcel Rizzo

Categorias:Notícia Tags:, , ,
%d blogueiros gostam disto: