Arquivo

Archive for novembro \30\UTC 2010

Despesas com arbitragem serão maiores no Campeonato Amazonense

Campeonato Amazonense de Futebol começa no dia 30 de janeiro de 2011 e terá 26 jogos a mais que os 70 deste ano. A competição tem 60 partidas marcadas para o interior do Estado por falta de estádios na capital e as despesas com arbitragem serão maiores.

Comissão promete arbitragem melhor no Amazonense 2011. Foto: Evandro Seixas/2006

Cada clube vai pagar em média R$ 10,8 mil aos homens do apito. Os custos com arbitragem devem superar os R$ 125 mil ao final do torneio, em julho, incluindo o INSS.

O valor estimado para cada clube equivale à cota paga pela detentora dos direitos de transmissão da competição, a TV “A Crítica”, retransmissora da TV Record: cerca de R$ 10 mil a cada clube. Apesar das despesas maiores, não houve aumento no preço das taxas com relação a este ano e nem renovação no quadro de árbitros da Comissão Estadual de Arbitragem de Futebol (CEAF-AM). Atualmente existem 12 árbitros e 37 assistentes federados e ativos no Amazonas.

Assim como acontece na maioria dos clubes, que não investem nas categorias de base e acabam importando jogadores de outros Estados por falta de renovação, a situação da arbitragem é semelhante. Como não existe profissionalização, a maioria dos árbitros de futebol do Amazonas possui outras fontes de renda e não se dedica exclusivamente à aplicação das regras do futebol.

Apesar de não haver renovação na Ceaf/AM para 2011, o presidente Vladimir Bastos garante que o nível de arbitragem será melhor. “Na segunda quinzena de dezembro começaremos a pré-temporada dos árbitros. No dia 4 de janeiro haverá aula teórica e no dia 6 o teste físico”, comentou. Bastos disse que palestras e aulas serão ministrados por árbitros ou ex-árbitros de outros Estados. “Pretendemos trazer profissionais de nível nacional”, afirmou. Nos dias 12, 27 e 28 de janeiro serão realizados os testes teóricos e físicos finais.

Antes, os árbitros já receberam um ‘dever de casa’. “Entregamos uma tabela de treinamentos e cartilha com as regras para que eles possam se preparar em casa e chegar na pré-temporada melhor preparados”, disse Bastos.

Fonte: http://www.d24am.com
Referência: Apito Nacional (http://www.apitonacional.com.br)

Anúncios
Categorias:Notícia

Viola dá cabeçada em árbitro no Showbol

O ex-jogador Viola, eterno craque do Corinthians, causou uma confusão no último domingo (28) na partida do Showbol, entre Corinthians e Botafogo, na estréia do Torneio Rio-São Paulo. Após um lance que o árbitro Nilton José Romeiro apitou falta, Viola se revoltou e deu uma peitada e em seguida uma cabeçada no juíz. Colegas de equipe e adversários tiveram que conter a fúria do jogador.

Veja o video:

Em 2009, quando defendia o Santos no Showbol, após o jogo, Viola deu entrevistas dizendo que o técnico de sua equipe era burro, e que não jogaria a final do torneio. Parece que o goleador gosta mesmo de confusões!

Categorias:Notícia, Video Tags:, ,

Um sonho que mudou a história do futebol

A ideia de um sonhador que revolucionou a história da arbitragem e do futebol mundial

O que, em geral, faz as pessoas comuns sairem da vala do anonimato e mudarem a história do mundo é o fato de terem um sonho e perseguí-lo com afinco para sua realização. Misture ai uma pitada de genialidade, personalidade forte e obstinação. Este é o perfil do mineiro Heine Allemagne, 39 anos, nascido em Ituiutaba, que começou cedo no batente. Ainda jovem foi entregador, office boy e aprendiz. Passou a gerente e então dono de um negócio de gráfica e publicidade. Mas a história não parou por aí. Aliás, aí é que ela começou.

Heine Allemagne, inventor do demarcador de barreiras

Em 2000, durante a transmissão de uma partida de futebol entre Brasil e Argentina, houve uma cobrança de falta e o locutor esportivo — que na ocasião era Galvão Bueno — disse: “Eu ainda quero ver o cidadão que vai manter a barreira no lugar”. Isso acendeu uma inquietação em Heine que imediatamente pensou como poderia resolver aquele problema. Uma marcação provisória seria a solução.

Heine correu para seu banheiro e pegou uma lata de espuma de barbear. Desenhou uma linha contínua no chão e tinha certeza que havia achado o modelo ideal da sua solução. Mesmo após a brilhante ideia, achou que ninguém daria atenção ao fato e por pouco não desistiu.

Passado alguns dias, viu no notíciário da TV que a FIFA estava empenhada em resolver o problema do avanço dos jogadores na barreira. Sem pestanejar, Heine voltou ao seu trabalho, sentou-se ao computador e começou a mirabolar suas estratégias para tornar sua ideia em realidade. No dia seguinte começou a fazer contatos para viabilizar o projeto que havia bolado.

Como a propaganda é a alma do negócio, a primeira coisa foi buscar a publicidade do seu engenho. Ele optou pela ousadia, como todo empreendedor de sucesso. Heine ligou para a TV Globo no Rio de Janeiro e disse que tinha inventado a solução para o problema da invasão da barreira. Pediram uma explicação sobre o invento, mas Heine disse que o invento ainda não havia sido registrado e que só falaria pessoalmente, pois já havia toda uma indústria por trás do negócio e levara o projeto à FIFA.

A partir deste momento, Heine inicou uma busca desenfreada a uma empresa que pudesse produzir o protótipo do seu invento, para que pudesse apresentá-lo. Levou muitos “nãos” de grandes empresas, até que, aconselhado pelo amigo Gilson, procurou uma empresa de menor porte que lhe desse ouvidos. Achou o endereço de uma delas na embalagem de um spray de espuma de carnaval. Ligou para a empresa dizendo que já tinha apresentado o projeto à FIFA e havia marcado uma entrevista com a Rede Globo.

Heine, então, foi até o laboratório da Chemiker do Brasil, no Paraná, onde se reuniu com os responsáveis e fizeram um primeiro protótipo, conforme suas especificações: produto biodegradável, fixação de aproximadamente 1 minuto e poder receber pigmentação para aparecer em terrenos cobertos com neve.

Depois de ter o protótipo, o inventor seguiu para o Rio de Janeiro, onde se encontrou com os repórteres Mariana Becker e João Pedro Paes Leme e acabou fazendo a matéria para a TV. No dia seguinte, a matéria dizia: “Um spray revolucionário, uma invenção que pode encher de felicidade os cobradores de falta. No campo, a ideia foi aprovada.”.

Logo que saiu da reportagem, Heine foi correndo em busca do registro da patente do seu projeto. A fábrica arcou com metade dos custos, porém, ele não tinha dinheiro para pagar a sua metada, que chegava a quase 2 mil reais. Foi então que, em outro golpe de brilhantismo, Heine convenceu o seu advogado a fazer o processo por metade do honorários cobrados. – “Disse ao advogado que se eu apresentasse uma ideia brilhante, ele me faria por metado do preço, caso contrário eu pagaria dobrado. Ele aceitou e eu venci a aposta”. O advogado trabalhou no registro antes mesmo que a matéria fosse exibida.

Dai para frente Heine não parou mais de viajar. Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Palmeira, no Paraná, eram seus destinos frequentes, para atender a entrevistas, os testes com a Federação Mineiro de Futebol (FMF) e a fábrica do produto. Seis meses depois se mudou ao Paraná para acompanhar de perto o projeto junto à fabrica.

Dentre suas histórias, algumas chegam a ser cinematográficas, como o caso de uma entrevista que marcou em Belo Horizonte, na Toca da Raposa, às 11 da manhã do dia seguinte, e não tinha dinheiro para pegar um avião. Heine saiu de moto no meio da noite em direção a Uberlândia, sob forte chuva, na esperança de chegar lá e pedir dinheiro a um parente para tomar um avião até a capital mineira. Sob a chuva forte, levou um tombo com a moto, ficou com o farol quebrado e todo esfolado. Por sorte sua moto ligou novamente e ele continuou a viagem no escuro, sem luzes. Após o sufoco, tudo acabou dando certo e ele pode contar com a ajuda de seu tio Edson para chegar a BH a tempo das entrevistas que concederia.

Quando o projeto virou uma realidade nacional, sendo usado na Copa João Havelange, Heine se mudou para o Rio de Janeiro, para estreitar relações com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Neste período começaram as viagens internacionais, acompanhando a FIFA em seminários e eventos. Heine visitou França, Suíça, Portugal, Espanha, Alemanha, Catar, Paraguai, Argentina, Estados Unidos, Bahamas e África do Sul, sempre para apresentrar e promover seu invento junto à entidade máxima do futebol.

O fato é que, hoje, o Spray Spuni é uma realidade no futebol brasileiro e cada dia mais se confirma no âmbito internacional. Os jogadores respeitam o limite criado pela marcação no campo de jogo e a Regra 13 é cumprida. Reflexo disso é o menor tempo na execução de faltas com barreiras e o aumento no número de gols da cobrança de tiros livres.

Heine, atualmente, vive em Uberlândia e é secretário geral do Instituto João Havelange, e trabalha nos bastidores para que a FIFA e o International Board (IFAB) aprovem de forma definitiva o seu invento para o futebol.

Os árbitros, o público e o futebol agradecem!

Site oficial: http://www.spuni.com.br

Video com depoimentos: http://www.youtube.com/watch?v=7BZaIpPAXhM
Video com o modo de usar: http://www.youtube.com/watch?v=6p6X0z2X670

 

Categorias:Notícia Tags:,

Cléber Abade apitou final da Copa Kaiser B

O árbitro paulista e da CBF, Cléber Wellington Abade, retornou aos gramados ao melhor estilo do futebol brasileiro, após sua séria contusão na panturrilha. No último dia 21, Abade foi o árbitro da decisão da Copa Kaiser B, a segunda divisão do torneiro, disputado entre Danúbio (Freguesia do Ó) e Tutu (Jardim Iporanga), que foi realizado no estádio do Nacional, em São Paulo.

Os árbitros assistentes da partida foram Marcos Joel Alves, que faz seu último ano pela FPF, e a novata Maiza Telles, que tem apresentado um ótimo trabalho e está na relação d apré-temporada dos árbitros de São Paulo para a disputa do Paulistão 2011.

A partida teve um grande nível de dificuldade e foi muito disputada. Porém, o árbitro, recém recuperado de lesão, mostrou sua capacidade e competência durantes os 90 minutos. Abade estava presente em todas as jogadas, acompanhando bem de perto, lance a lance, garantindo assim uma arbitragem irretocável, dando legitimidade à disputa final.

O tradicional Danúbio faturou a competição ao vencer o oponente pelo placar mínimo  de 1×0, sagrando-se campeão de 2010.

Vote: Qual o melhor árbitro do Brasileirão 2010?

26/11/2010 1 comentário
Categorias:Enquete

Paulo César, Ricci e Simon concorrem a Melhor Árbitro

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou no dia de hoje (26/11) em seu website a relação de candidatos ao título do Prêmio Craque Brasileirão 2010. Os técnicos Mano Menezes e Ney Franco anunciaram no Hotel Hyatt, em São Paulo, os finalistas, que concorrem nas categorias Ouro, Prata e Bronze.

Os vencedores serão conhecidos no dia 6 de dezembro, na festa de encerramento do Campeonato Brasileiro, no Theatro Municipal, no Rio de Janeiro. Este evento marca o fim da temporada do calendário nacional.

Na festa serão premiados, além dos melhoras jogadores de cada posição, o Melhor Árbitro, o Craque do Campeonato, a Revelação do Campeonato, o Artilheiro e a Revelação do Campeonato.

Concorrem ao prêmio:

Árbitro Técnico
Carlos Eugenio Simon (FIFA/RS)
Paulo César de Oliveira (FIFA/SP)
Sandro Meira Ricci (Asp. FIFA/DF)
Cuca – Cruzeiro
Muricy Ramalho – Fluminense
Renato Gaúcho – Grêmio
Goleiro
Fábio – Cruzeiro
Jefferson – Botafogo
Victor – Grêmio
Lateral Direito Lateral Esquerdo
Jonathan – Cruzeiro
Léo Moura – Flamengo
Mariano – Fluminense
Kleber – Internacional
Diego Renan – Cruzeiro
Roberto Carlos – Corínthians
Zagueiro Direito Zagueiro Esquerdo
Alex Silva – São Paulo
Chicão – Corinthians
Dedé – Vasco
Leandro Eusébio – Fluminense
Miranda – São Paulo
Rever – Atlético-MG
Volante Direito Volante Esquerdo
Fabrício – Cruzeiro
Jucilei – Corinthians
Willians – Flamengo
Arouca – Santos
Elias – Corinthians
Marcos Assunção – Palmeiras
Meia Direita Meia Esquerda
D’Alessandro – Internacional
Montillo – Cruzeiro
Paulo Baier – Atlético Paranaense
Bruno Cesar – Corinthians
Conca – Fluminense
Douglas – Grêmio
Atacante 1 Atacante 2
Eder Luis – Vasco
Jonas – Grêmio
Tiago Ribeiro – Cruzeiro
Kleber – Palmeiras
Loco Abreu – Botafogo
Neymar – Santos
Craque da Galera Revelação
Bruno Cesar – Corinthians
Conca – Fluminense
Dedé – Vasco da Gama
Bruno Cesar – Corinthians
Dedé – Vasco
Neto – Atlético Paranaense

Arbitragem das semifinais da Copa Sulamericana

A CONMEBOL já definiu os árbitros para as partidas decisivas da fase semifinal da Copa Sulamericana. Os vencedores farão a final da competição e o campeão terá direito a uma vaga na Copa Libertadores da América em 2011. Um quarteto brasileiro vai comandar a partida entre os brasileiros Palmeiras e Goiás. Quanto ao segundo confronto latino, o quarteto vem do Chile. Na primeira partida da fase, os quartetos foram do Brasil e do Uruguai.

Confira a escala:

Palmeiras (BRA) x Goias FC (BRA) – São Paulo, 24.11.2010 – 21.50hs.

Árbitro: Heber Roberto Lopes (BRA)
Árbitro asistente: Altemir Hausmann (BRA)
Árbitro asistente: Alessandro Rocha Matos (BRA)
4º Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (BRA)

Independiente (ARG) vs. Liga de Quito (ECU) – Avellaneda, Buenos Aires, 25.11.2010 – 21.30hs.

Árbitro: Enrique Osses (CHI)
Árbitro asistente: Francisco Mondria (CHI)
Árbitro asistente: Sergio Román (CHI)
4º Árbitro: Patricio Polich (CHI)

Categorias:Notícia Tags:, ,
%d blogueiros gostam disto: