CBF elege o melhor trio de arbitragem do Brasileiro 2017 com metodologia própria

Para avaliar, melhorar e padronizar a arbitragem brasileira nos jogos do Brasileirão 2017, a Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol implementou nesta temporada um projeto pioneiro no mundo da bola: o RADAR – relatório de análise de desempenho da arbitragem. O sistema avaliou durante toda a competição a atuação dos árbitros de maneira mais científica e menos subjetiva. Ao final, o árbitro Raphael Claus (SP/FIFA) e os assistentes Guilherme Dias Camilo (MG/FIFA) e Bruno Raphael Pires (GO/FIFA) tiveram os melhores desempenhos da competição.

– Feliz demais pelo momento. A gente sabe que o Campeonato Brasileiro é muito difícil são 38 rodadas de jogos muito disputados. Então, passar dois anos legitimando todos os resultados das partidas que pudemos trabalhar é muito importante e gratificante – disse Claus, premiado pelo segundo ano consecutivo como melhor árbitro do Brasileirão.

Cada profissional foi observado por analistas de campo e vídeo, treinados para a utilização da ferramenta em programa oferecido pela CBF e pela Escola Nacional de Arbitragem de Futebol (ENAF) no início do ano. A opção por este método de análise foi feita para atender à realidade da arbitragem, sem deixar escapar o fator campo, mas também pontuando de maneira objetiva cada lance marcado no decorrer do jogo. A partir daí as análises de campo e vídeo são comparadas pela Comissão de Arbitragem que, juntamente com a ENAF, realiza um terceiro relatório para chegar a nota final de cada oficial.

Dentro do sistema foram elencadas as possíveis ações da arbitragem no jogo como marcação de faltas, impedimentos e cartões. Alinhando teoria à estatística de erros e acertos cada árbitro recebe uma nota. Além disso, questões de atitude perante aos jogadores e em relação ao contexto do confronto também são conceituadas. Através do RADAR é possível mensurar toda a parte técnica da arbitragem brasileira.

– Os que ganharam foram os que tiveram melhor rendimento e desempenho nos itens que a gente observa numa boa arbitragem e são merecedores deste prêmio. É importante destacar que tudo foi feito em base de dados científicos e não subjetivos. E essa interface entre comissão, analistas e instrutores com os árbitros é muito importante para seguirmos na busca pela excelência da arbitragem brasileira, que é o nosso grande objetivo – pontuou Marcos Marinho, presidente da Comissão de Arbitragem da CBF.

Para a premiação final ainda foram levados em consideração: números de jogos, média de escalas, partidas com interferência, número de vezes entre os três melhores do ranking da rodada. Confira os números dos premiados desta temporada:

Melhores do Brasileirão 2017  Número de escalações   Presença no ranking da rodada*  Valor da premiação
Árbitro: Raphael Claus  18 jogos  10 vezes entre as três melhores equipes  R$ 200.000
Assistente: Guilherme Dias Camilo  19 jogos  7 vezes entre as três melhores equipes  R$ 100.000
Assistente: Bruno Raphael Pires  21 jogos  10 vezes entre as três melhores equipes  R$ 100.000

*o ranking da 38ª rodada não foi computado

Fonte: CBF

Anúncios
Categorias:Notícia Tags:, , ,

CBF elege Raphael Claus o melhor árbitro do Brasileiro 2017

Na noite da última segunda-feira (05), aconteceu o Prêmio Brasileirão 2017, na sede da Confederação Brasileira de Futebol, na Barra da Tijuca. O campeão desta edição, o Corinthians, dominou a seleção com os melhores jogadores da competição com 4 jogadores entre os 11 escolhidos, que ficou assim:

Vanderlei (Santos), Fágner (Corinthians), Geromel (Grêmio), Balbuena (Corinthians) e Guilherme Arana (Corinthians); Arthur (Grêmio), Bruno Silva (Botafogo), Hernanes (São Paulo) e Thiago Neves (Cruzeiro); Dourado (Fluminense) e Jô (Corinthians).

O atacante Henrique Dourado, do Fluminense, foi artilheiro da competição com 18 gols, ao lado de Jô. Além de campeão, o técnico Fábio Carille levou o prêmio de melhor técnico e técnico revelação.

O volante Arthur, do Grêmio, foi considerado a revelação do campeonato e o gol mais bonito do Brasileiro foi o gol de falta marcado por Hernanes, do São Paulo, contra a Ponte Preta, ele ainda foi eleito o Craque da Galera. O Grêmio ganhou o prêmio Fair Play, recebido pelo zagueiro Geromel.

O destaque da arbitragem ficou com Raphael Claus (SP/FIFA), escolhido o melhor árbitro, além dos assistentes Guilherme Dias Camilo (MG/FIFA) e Bruno Raphael Pires (GO/FIFA), que tiveram os melhores desempenhos da competição segundo avaliação da própria CBF.

Árbitros agredidos pela torcida vão parar no hospital na Argentina

Em duelo da “Federal B”, quarta divisão local, os “hinchas” do Juventud de Pergamino se irritaram com derrota que eliminava clube do torneio e invadiram o campo. Jogo foi suspenso e time vai ser julgado.

Um caso chocante marcou o futebol argentino na última quarta-feira. Pelo “Torneo Federal B”, que equivale a quarta divisão local, Juventud de Pergamino e Independiente de Chivilcoy se enfrentaram nas quartas de final. O time da casa estava prestes a ser eliminado da competição quando a torcida invadiu o campo e partiu para cima da equipe de arbitragem.

Segundo o “Clarín”, o Independiente vencia o jogo por 1 a 0, após empate em 1 a 1 na ida. Quando o relógio marcava 45 da etapa final, um projétil atingiu um dos auxiliares. Por isso, o juiz optou por suspender o confronto, fato que gerou a forte reação daqueles que estavam assistindo à partida. Eles cercaram os árbitros, e a polícia não agiu para conter a confusão. Os encarregados pelo duelo foram obrigados a correr para o vestiário. Veja a imagem abaixo:

Depois da entrada nos vestiários, o árbitro e seus auxiliares foram encaminhados para o hospital; um deles foi diagnosticado com “traumatismo cranioencefálico e perda de memória”.

Segundo a publicação argentina, o clube já reclamava de uma suposta “mão negra” nas escolhas dos árbitros desde o fim da primeira fase do torneio. Por causa do problema, o time pode até ser rebaixado de divisão – algo que aconteceu pelo mesmo motivo com o Sarmiento de Ayacucho, em dezembro de 2016.

Fonte: Globo Esporte

CBF escalou árbitras para rodada final da Série B

Objetivo é ter árbitras na Série A para os próximos anos.

A Comissão de Arbitragem da CBF escalou árbitras para duas partidas na última rodada da Série B de 2018. Foram as estreias de Deborah Cecília Correia e Edina Batista, que comandaram os jogos Oeste x Goiás e Figueirense x Paysandu, respectivamente. As duas ostentam a insígnia da Fifa e são as primeiras mulheres a serem primeiras árbitras em uma partida da segunda divisão desde o encerramento da carreira da paulista Silvia Regina de Oliveira, em 2007.

Árbitra Edina Batista.

“Elas já atuaram na Série D e C e foram bem, agora vamos testar na Série B. Vamos sentir como se reage em relação à arbitragem feminina na Série B e, quem sabe, no ano que vem teremos na Série A. Nós estamos fazendo um trabalho de acompanhamento muito sério da arbitragem feminina. Trabalho de preparação, de condicionamento físico e técnico, parte disciplinar… Hoje elas atendem a demanda que se exige nessas competições”, explicou Marcos Marinho, presidente da Comissão de Arbitragem da CBF.

Edina Batista, atuou com as assistentes Neuza Back e Tatiane Sacilotti (também integrantes do quadro da FIFA) no jogo de sexta-feira em Florianópolis. “Estou feliz pela oportunidade e confiança que a Comissão de Arbitragem está nos dando. Este jogo é importantíssimo para o meu currículo, e trabalhar com a Neuza e a Tatiane também é uma oportunidade de ajustar o trabalho em equipe e fortalecer ainda mais nosso trio”, disse Edina Batista.

Deborah Cecília Correia trabalhará hoje (sábado) em Barueri e está muito orgulhosa com a oportunidade. “Meu primeiro sonho era apitar um clássico. Quando iniciei queria atuar em um clássico regional e consegui. Agora, meu sonho era atuar em uma competição nacional. Consegui. Estamos quebrando essa barreira cada vez mais e estou muito orgulhosa disso”, disse a árbitra pernambucana.

Deborah Cecília Correia recebendo escudo da FIFA.

Fonte: Veja

Categorias:Humor Tags:, , ,

Árbitro expulsa cachorro por falta dura

Um fato engraçado e inusitado aconteceu na partida entre Central Córdoba e Sportivo de Las Parejas, na Argentina, em jogo válido pelo Torneo Federal A (Terceira Divisão da Argentina). O jogador Marcos Sánchez, do Central, recebeu um passe do meio-campo quando, de repente, um cachorro lhe dá um carrinho e rouba a bola.

Árbitro Miguel Mazón

O atleta caiu no gramado e o cachorrinho saiu com a posse de bola, feliz da vida e só parou quando jogadores se aproximaram dele. O árbitro da partida, Miguel Mazón, expulsou o cachorro de campo pela falta dura em Sánchez.

Brincadeiras à parte, o Central Córdoba venceu a partida por 1 a 0.

Veja o vídeo da situação engraçada.

 

 

Categorias:Notícia

Quando um árbitro faz aniversário…

Quando um árbitro faz aniversário, esse é o bolo que ele ganha de presente. Ou melhor, no caso, ela. Foi a bela surpresa que a árbitra assistente Leandra Aires Cossette (CBF/SP) ganhou de sua família. Parabéns e muitas felicidades!

Categorias:Humor

Árbitro inventou regra durante jogo e deu falta e cartão por “má vontade”

07/11/2017 2 comentários

A intenção do árbitro Juan Carlos Demaro era boa. Ao ver que Ferro Carril e Huracán não se atacavam, ele marcou uma falta. Como a torcida começava a protestar contra as equipes, Demaro decidiu dar um fim àquilo que ele interpretou como “enrolação”. Só havia um problema: isso não estava na regra nem previsto em nenhum regulamento. Era praticamente um ato de justiça com as próprias mãos.

A partida em questão foi disputada na Argentina, em agosto de 1982. O Ferro Carril não perdia havia 24 rodadas e era o favorito. Mas aos 5min do segundo tempo, com o placar em 0 a 0, o árbitro perdeu a paciência ao ver a falta de interesse de ambos os times de buscar o gol.

“Entendi que houve deslealdade por parte dos jogadores do Ferro, um ato de má-fé que prejudicou o público. Rocchia e Arregui trocaram 12 ou 15 passes [laterais]. Como achei isso desleal, marquei falta contra o Ferro”, explicou o árbitro na época ao jornal “Clarín”.

“É verdade que os jogadores do Huracán também foram pressionar para roubar a bola, mas eles estavam defendendo. Depois disso falei a todos que fossem para o ataque ou eu pegaria a bola e iria embora”, acrescentou.

Os jogadores do Ferro Carril ficaram furiosos com a marcação da falta. Relatos apontam que, na verdade, nenhum dos times entendeu o que estava acontecendo. Mas a ira do Ferro aumentou ainda mais quando Rocchia, que estava com a bola no momento da “falta” e era o capitão, foi expulso.

“Ele me questionou de forma muito agressiva sobre o que eu havia marcado, por isso o puni com o cartão amarelo. Quando a partida seria reiniciada, o árbitro assistente disse que Rocchia havia me insultado. Por isso o expulsei”, justificou Demaro.

Nos dias seguintes ao jogo, o árbitro foi procurado pela comissão de arbitragem da Argentina e acabou repreendido. Sua boa intenção foi reconhecida, mas como ele inventara uma regra durante o jogo, aquilo foi interpretado como um erro.

Mas talvez outro detalhe tenha irritado Demaro ainda mais. Depois de toda a confusão e com o Huracán com um jogador a mais, a partida terminou como começou, num empate sem gols.

Fonte: UOL Esporte

Categorias:Notícia
%d blogueiros gostam disto: