Árbitro de Vasco e Flamengo erra em pênalti, simula agressão e será afastado pela Ferj

O árbitro carioca Luiz Antônio Silva dos Santos, conhecido como Índio, deverá ser afastado temporariamente de suas funções. Após o clássico entre Vasco e Flamengo no último domingo, o Grupo de Gerenciamento de Problemas (GGP) da Federação de Futebol do Rio (FERJ) decidiu pela retirada dele e do assistente Daniel do Espírito Santo do quadro de árbitros, até nova decisão.

Índio marcou um pênalti inexistente a favor do Vasco no empate em 2 a 2 com o Flamengo. Dentro da área, Renê cortou com o corpo, mas o juiz marcou toque de mão equivocadamente. Nenê bateu e empatou, aos 49 do segundo tempo.

Em outro lance, após dar cartão amarelo para Luis Fabiano por uma falta cometida, o jogador foi em direção do árbitro encarando-o frente-a-frente para questionar o cartão aplicado. Índio se desequilibrou, quase caindo para trás. Em seguida expulsou Fabuloso, de forma acertada.

No entanto, os internautas não perdoaram o árbitro e fizeram muitas piadas, inclusive dizendo que o árbitro simulou ter sofrido uma agressão somente para justificar o uso do cartão vermelho. A cena realmente foi estranha.

Confira o vídeo:

Depois de 25 anos, uma mulher apitou um clássico em Pernambuco

Antes de Deborah Cecília, Maria Edilene foi a última a apitar um clássico.

O clássico do último domingo (26/03) teve uma cena pouco vista na arbitragem pernambucana nos últimos 25 anos. Deborah Cecília, árbitra da Federação Pernambucana de Futebol (FPF) e do quadro especial da FIFA, comandou o Clássico das Multidões. Antes dela, a última mulher a conseguir tal feito foi Maria Edilene, em 1992, quando apitou outro clássico entre Sport e Santa Cruz.

Deborah já arbitrou 9 partidas neste ano. Seis do Estadual, uma da Copa Verde, uma do Brasileirão Feminino e uma da Copa do Nordeste. Segundo a FPF, a árbitra apresentou qualidade técnica, emocional e física, motivos que levaram a sua escolha.

“Eu me sinto muito honrada e feliz pela oportunidade de estar realizando um sonho de apitar um clássico no meu Estado. Eu não esperava que seria agora, mas ao mesmo tempo estou preparada para esse jogo”, disse a árbitra ao site da Federação.

A escolha de uma mulher para apitar o clássico foi bastante elogiada por Vinícius Eutrópio, treinador do Santa Cruz. O comandante coral classificou a opção como uma luta pelos direitos iguais entre homens e mulheres, além de ressaltar as qualidades apresentadas por Deborah Cecília.

“Eu vejo com satisfação (a opção por Deborah). Todos nós hoje em dia lutamos sempre por direitos iguais, sem preconceitos em todos os sentidos. Gênero, classe social, idade, cor ou questões financeiras. Tem que encarar de uma forma normal e torcer muito para que ela vá bem. Acredito que os jogadores acabam na verdade hoje, antigamente não, mas hoje acabam respeitando mais. E com certeza uma pessoa que chega para apitar um clássico do sexo feminino está muito preparada, porque ela venceu muitos obstáculos. Ela deve ter consciência da sua capacidade”, disse Eutrópio.

Concentração

Desde a sexta-feira Deborah ficou em período de concentração. Passou por avaliação com psicólogo e assistente social na FPF, algo comum em dias que antecedem as partidas. Procurando manter o foco no clássico de hoje, ela também foi vetada de dar entrevistas após ter sido designada para comandar o Clássico das Multidões na Ilha.

Categorias:Notícia Tags:

Tecnologia da linha do gol vê gol milimétrico em jogo na Holanda

Um gol polêmico foi marcado na partida entre Feyenoord e PSV no campeonato holandês com auxílio da tecnologia GLT (Tecnologia da Linha do Gol).

Quando a partida estava empatada em 1 a 1, o Feyenoord, que na ocasião era líder da competição, marcou um gol que só foi possível detectar com o uso da tecnologia. Ao olho humano seria impossível de determinar com tamanha precisão.

Aos 82 minutos de partida, o Feyenoord cobrou um lance de escanteio e o jogador Jan-Arie van der Heijden cabeceou para o gol. O goleiro do PSV, Jeroen Zoet, fez um defesa importante junto à linha do gol. É possível ver no video que o árbitro confere seu relógio para saber se a tecnologia havia detectado se a bola ultrapassou a linha. No entanto, após o lance da defesa, o árbitro apita e faz o gesto informando que um gol foi marcado. Jogadores do PSV reclamaram muito, mas em vão.

Apesar de toda a confusão do lance, a tecnologia foi precisa ao determinar que bola ultrapassou a linha do gol no momento em que o goleiro recolhe a bola junto ao seu corpo após a defesa. Ponto para a tecnologia.

Veja o vídeo:

Categorias:Notícia Tags:,

Árbitro FIFA de Gana é banido do futebol por corrupção

Árbitro apitou partida pelas qualificatórias para a Copa da Rússia 2018 e marcou um pênalti inexistente.

O árbitro de Gana, Joseph Odartey Lamptey, foi banido do futebol pela FIFA após ser condenado culpado por influenciar no resultado da partida entre África do Sul e Senegal, jogo qualificatório válido para a Copa do Mundo 2018 na Rússia, realizado em Novembro de 2016.

Lamptey marcou um pênalti incorretamente de um lance de mão que nunca existiu. Com o gol marcado a África do Sul venceu a partida pelo placar de 2 a 1. No lance, a bola toca a perna do defensor de Senegal, Kalidou Koulibaly, mas o árbitrou marcou pênalti, mesmo após muita reclamação do time senegalês.

– “O Comitê Disciplinar da FIFA decidiu banir o árbitro ganês Joseph Odartei Lamptey de qualquer atividade ligada ao futebol (administrativa, esportiva ou outra) em nível nacional e internacional pelo resto de sua vida. O árbitro foi culpado de infringir o artigo 69 parágrafo 1 (influenciar no resultado da partida de forma ilegal) do código disciplinar da FIFA no dia 12 de Novembro de 2016 na partida entre África do Sul e Senagal, qualificatória para a Copa do Mundo da Rússia” – declarou oficialmente a FIFA.

A entidade ainda prometeu dar maiores informações sobre a partida em questão assim que uma decisão final for tomada a respeito do seu resultado.

– “A FIFA tem uma política de tolerância zero contra a manipulação de resultados e está comprometida a proteger a integridade do futebol. A FIFA continuará seus esforços contínuos para combater a manipulação de jogos por meio de inúmeras iniciativas, que incluem a monitoração de apostas em nível internacional e um sistema de denúncia confidencial com uma linha direta e endereço de e-mail dedicados a este fim.”

 

Três ex-árbitro da Associação da África do Sul (SAFA) foram banidos do esporte em 2016 por conta de jogos amistosos internacionais disputados em 2010. Leslie Sedibe, ex-chefe executivo da SAFA, foi banido por 5 anos e multado em 14 mil libras (cerca de 54 mil Reais) pelo Comitê de Ética da FIFA. Steve Goddard e Adeel Carelse, antigos chefes do departamento de árbitros da SAFA, foram banidos por 2 anos.

Os casos dos sul africanos estavam ligados ao caso de Lindile Kika, antigo membro executivo da SAFA e chefe da arbitragem, que foi banido por 6 anos pela FIFA em Outubro de 2015. A FIFA disse que Sedibe, Goddard e Carelse infringiram a ética e as regras de conduta, lealdade e confidencialidade, cooperação e discrição.

Categorias:Notícia Tags:

Mesmo sem um braço árbitro mexicano segue na carreira

O árbitro mexicano Jose Barron Vidrio sempre foi um apaixonado pela profissão. Mesmo após um triste acidente de carro, onde perdeu seu braço direito, sua paixão pela arbitragem não diminuiu e seguiu intacta. Vidrio, apesar de ter sofrido um duro golpe na vida, seguiu em frente e superou os obstáculos e seus próprios limites, voltando a trabalhar nos campos de jogo. Um guerreiro e exemplo de superação de vida. Fica registrado nosso apoio e reconhecimento por sua grandeza.

– “Não se deve desistir dos seus sonhos, tem é que superar as barreiras que te impedem de alcançá-los”, publicou Jose em seu perfil no Facebook.

Categorias:Notícia

Árbitro encerra partida após brigas e invasão em clássico do DF

Jogadores de Gama e Brasiliense iniciam confusão aos 40 minutos do segundo tempo, briga se estende para as arquibancadas e partida é encerrada com placar de 1 a 1.

Líder e vice-líder do Candangão, Brasiliense e Gama vinham travando um duelo intenso em campo na tarde deste domingo, com de costume nos encontros dos dois times, protagonistas do principal clássico do futebol do Distrito Federal. Porém, a rivalidade passou dos limites na reta final da partida. Aos 40 minutos do segundo tempo, um desentendimento entre o atacante Nunes, do Jacaré, e o lateral-direito Dudu Gago, do Gama, acabou se transformando em briga entre jogadores e membros das comissões técnicas dos dois lados. A confusão rapidamente se estendeu para as arquibancadas, torcedores dos dois times invadiram o gramado e entraram em confronto, que só terminou já fora do estádio. Episódio lamentável, que manchou a rodada mais aguardada da fase de classificação. Com o campo tomado por policiais e muito gás de pimenta, o árbitro Almir Camargo optou por encerrar a partida cinco minutos antes do fim do tempo regulamentar, quando o placar estava empatado em 1 a 1.

A partida já vinha sendo marcada por alguns lances ríspidos em campo, mas, até então, nada fora do normal. Intensidade típicas da rivalidade entre os dois times. A cinco minutos do fim do jogo, com o placar empatado em 1 a 1, o atacante Nunes, do Brasiliense, e o lateral-direito Dudu Gago, do Gama, que já vinham se estranhando desde o primeiro tempo, se envolveram em mais uma jogada dura. Outros jogadores que estavam próximo do lance correram para tirar satisfação e a confusão se transformou em briga generalizada.

A polícia militar entrou em ação para tentar conter as trocas de socos e pontapés entre jogadores e integrantes das comissões técnicas dos dois times. Foi então que alguns torcedores começaram a pular os alambrados e invadir o campo. Quando um representante do Gama arrancou uma faixa da torcida do Brasiliense da grade atrás do gol, os ânimos se exaltaram de vez e houve muita pancadaria, principalmente entre os membros das organizadas dos dois times.

Levou cerca de 10 minutos para a polícia conseguir acalmar a situação em campo. A maior parte dos torcedores que não tinham se envolvido na briga já tinha deixado o estádio, além do campo ter ficado tomado por gás de pimenta. Os dois times foram para os vestiários e o árbitro Almir Camargo deu o jogo como encerrado com o placar em 1 a 1.

Fora do estádio, a polícia continuou tendo trabalho. Parte da torcida organizada do Gama continuou tentando chegar até onde estavam os torcedores do Brasiliense, provocando mais correria e confronto com as forças de segurança.

Jogadores criticam arbitragem e se desculpam

Um dos mais experientes do elenco do Brasiliense, o atacante Reinaldo, ex-Flamengo e São Paulo, que marcou o gol do Jacaré na partida, lamentou bastante o ocorrido. Segundo o camisa 11, todos os envolvidos no jogo têm responsabilidades na confusão. Ele também criticou a arbitragem que, segundo o atacante, não soube conduzir a partida.

– Acho que a culpa é de todo mundo. Primeiramente, tem que partir do árbitro. Ele que é a autoridade em campo. Acho que se soubesse que o jogo ia para a violência, já tinha que ter colocado para fora quem quer que fosse, do Gama ou do Brasiliense. Os jogadores dos dois times também têm culpa, sem dúvida nenhuma. Ficamos muito tristes com esse fato de hoje. A gente torce para que ninguém tenha saído machucado, mas é algo que nos deixa muito tristes. A culpa é de todos, jogadores, arbitragem, e também daqueles torcedores que vêm só para brigar – disse Reinaldo.

O capitão do Gama, o zagueiro Pedrão, reforçou as reclamações da arbitragem.

– É uma mancha no clássico. Mas vai manchar sempre enquanto não tiver um árbitro com pulso para um jogo desses. Ele já tinha apitado outro jogo com confusão – afirmou Pedrão.

Policial fica ferido, mas ninguém é preso

Apesar da cenas de violência presenciadas por quem esteve no estádio, ninguém foi detido. Um policial militar ficou ferido, com um corte no rosto, mas foi socorrido ao hospital e está fora de perigo. Nenhum torcedor deu entrada nos hospitais com ferimentos, mas a equipe de brigadistas que atuou no estádio informou que foram feitos cerca de 30 atendimentos de pessoas que sofreram ataques de hipertensão e mal estar provocados pela correria e as bombas de gás estouradas no campo.

Comandante do efetivo de 180 policiais militares que trabalharam no jogo, o capitão Anderson Pierre acredita que atuação das forças de segurança, a princípio, foi correta. No entanto, será analisado durante a semana se houve alguma falha. O militar ainda lamentou o fato de a confusão ter começado entre os próprios jogadores.

– A operação foi feita dentro da normalidade, mas ainda vamos apurar se houve alguma falha. Senti que talvez possam ter faltados os policiais “pinças” (infiltrados posicionados perto das torcidas para evitar invasão de campo). Infelizmente, começou com o comportamento dos jogadores. Espero que façam valer o Estatuto do Torcedor, que prevê punição para qualquer agressão em campo. Espero que os responsáveis sejam punidos – disse o capitão Pierre.

A Federação de Futebol do Distrito Federal (FFDF) informou por meio de nota que irá aguardar a súmula do árbitro, além do relato do delegado da partida, para juntamente com o Tribunal de Justiça Desportiva do Distrito Federal (TJD-DF) analisar os fatos e punir os responsáveis.

Bola fica em segundo plano

Gama e Brasiliense vinham fazendo um bom duelo até a partida ser ofuscada pela confusão. Intenso e com boas oportunidades de gol de ambos os lados, o jogo teve um primeiro tempo um pouco mais amarrado, influenciado também pelo sol escaldante que castigou os dois times. Ainda assim, não faltaram oportunidades de gol nos primeiros 45 minutos: Reinaldo e Souza levaram perigo pelo lado do Brasiliense, enquanto Felipe Assis desperdiçou pelo Gama.

Na volta do intervalo, com a sombra já tomando conta de toda a área do campo, o jogo ficou mais acelerado e o primeiro gol saiu logo aos quatro minutos. Em cobrança de falta da entrada da área, Baiano rolou para Roberto Pitio bater firme no canto direito do goleiro do Brasiliense: 1 a 0 para o Gama.

O Jacaré não se intimidou e foi com tudo para cima dos donos da casa logo na sequência. A recompensa veio aos oito minutos, quando Souza cobrou escanteio e a bola sobrou nos pés de Reinaldo, sozinho, na segunda trave, para empatar: 1 a 1.

Após os gols, a partida continuou aberta, com boas oportunidades dos dois lados. Luquinhas deu trabalho para a defesa do Gama, enquanto Baiano, por pouco, não marcou o segundo do Periquito em cobrança de falta. Conforme o fim ia se aproximando, a tensão entre os jogadores também cresceu, até que começou a confusão a cinco minutos do encerramento.

Próximos jogos

Os dois times agora terão um período de descanso e só voltam a atuar no outro fim de semana.

No sábado, dia 18, o Brasiliense recebe o Brasília, no Abadião, às 16h.

No domingo, dia 19, será a vez de o Gama ir até Paracatu, enfrentar os donos da casa, também às 16h (horários de Brasília).

Fonte: Globo Esporte

Categorias:Notícia Tags:,

Sem árbitro não tem jogo

Em um vídeo engraçado produzido e publicado pela FA, Associação de Futebol da Inglaterra, que fez parte do Programa de Respeito em 2008, dois times apareceram para jogar uma partida, mas sem um árbitro. A partir deste momento acontecem muitas confusões, indecisões e brigas. Apesar das situações engraçadas, o vídeo traz uma mensagem importante sobre a importância dos árbitros e conscientiza as pessoas sobre o respeito que e deve ter como este profissional. Uma curiosidade, o árbitro Howard Webb atuou no vídeo como um dos jogadores e o treinador Fabio Capello aparece ao final.

Categorias:Humor, Notícia, Video Tags:
%d blogueiros gostam disto: