Árbitra é agredida no amador no México

A entidade mexicana que representa os árbitros profissionais, chamada La AMA (Associação Mexicana de Árbitros), publicou em seu Twitter uma nota de repúdio sobre a agressão cometida contra uma árbitra em um jogo amador naquele país.

A árbitra Rosa Ángela García, que pertence ao quadro de árbitros amadores, teve ferimentos na cabeça causando sangramente, conforme a foto publicada pela AMA. Ainda não se tem mais informações sobre o que motivou este ato violento e inaceitável, nem como tudo aconteceu.

Esperamos que os fatos sejam devidamente apurados e os responsáveis sejam punidos nas esferas desportiva e criminal.

Candidato a juiz – reporter da ESPN encara o desafio nos gramados

A ESPN Brasil iniciou uma série de reportagens sobre a arbitragem de futebol, onde o repórter Mendel Bydlowski aceitou o desafio de aprender mais sobre a profissão e as regras e encarar uma partida de futebol.

A reportagem, que conta com a curadoria do ex-árbitro Sálvio Spínola, busca entender mais a fundo como funciona este lado do futebol que é sempre incompreendido, trazendo o lado humando da figura dos árbitros e expondo as dificuldades de ser um profissional do apito.

Confira os vídeos das reportagens aqui:

Episódio 1

Episódio 2

Episódio 3

Episódio 4

Categorias:Notícia, Video Tags:

Neto reencontra juiz em que cuspiu, diz que ato foi nojento, reforça perdão e emociona

Corinthians x Palmeiras. Campeonato Paulista de 1991. Neto se revolta com cartão vermelho recebido e cospe no rosto do árbitro José Aparecido de Oliveira.

O ídolo corintiano já se desculpou do ato, mas, desta vez, pôde dizer isso pessoalmente ao ex-juiz.

Em uma série de reportanges de Mendel Bydlowski sobre arbitragem, que você assiste nos canais ESPN, foi proporcionado o reencontro entre os dois.

O ex-jogador e hoje apresentador reforçou seu perdão pelo ato e emocionou.

Confira aqui a reportagem do canal ESPN.

Categorias:Notícia, Video

Árbitro saca revólver após levar soco no amador em MG

Caso aconteceu na manhã de domingo durante partida no estádio Starling Soares, em Passos (MG); após confusão, jogador saiu correndo e pulou alambrado.

Um árbitro que apitava uma partida de um campeonato amador no Estádio Starling Soares, em Passos (MG), sacou uma arma para um jogador que o agrediu na manhã deste domingo (25). Segundo informações de testemunhas, a confusão aconteceu durante a partida entre Oriente e Industrial, válida pelo Campeonato Regional Amador.

Conforme os relatos de testemunhas, quando a partida estava em 30 minutos do 2º tempo, um pênalti foi marcado contra o Industrial, da cidade de Itaú de Minas (MG). Exaltados, os jogadores foram reclamar e uma confusão começou. Nisso, um dos jogadores teria dado um soco no árbitro. Logo depois, o árbitro foi até o banco de reservas e pegou a arma e um par de algemas de uma bolsa. Armado, ele voltou para o gramado. Ainda conforme testemunhas, o jogador saiu correndo e pulou o alambrado do estádio.

Em contato com a produção da EPTV Sul de Minas, o árbitro Camilo Eustáquio, que também é policial civil, disse que agiu cumprindo a lei, já que houve um crime de lesão corporal e ele como policial pode dar voz de prisão. Ele também informou que acionou a Polícia Militar e registrou um boletim de ocorrência por lesão corporal. O técnico da equipe de Itaú de Minas também teria registrado um boletim de ocorrência por abuso de autoridade.

Após a confusão, a partida foi suspensa. O GloboEsporte.com tentou contato com a Liga Passense de Esportes, que promove o campeonato, mas até a publicação desta reportagem, nenhum representante havia atendido as ligações.

Fonte: Globo Esporte

Categorias:Notícia Tags:

IFAB propões mudanças radicais nas Regras para 2018

Após as grandes mudanças nas regras que o IFAB promoveu em 2016 durante a 130º Assembleia Anual – que incluiu o uso do árbitro de vídeo e alterações na filosofia da interpretação de lances que impedem uma oportunidade clara de gol – a entidade viu como positiva a recepção das novas regras e, em conjunto com a FIFA, agora quer expandir o debate sobre uma nova proposta de mudanças para as Regras do Jogo em 2018 para o desenvolvimento do futebol, em sintonia com o programa Fair Play da FIFA e dentro da estratégia 2017-2022 da entidade.

A ideia é promover uma mudança geral sobre como todos os envolvidos tratam o esporte, desde jogadores, treinadores, árbitros, gestores e torcedores, até os organizadores e entidades do futebol. É a chamada para a nova atitude do Jogo Limpo (ou Fair Play), nas palavras do IFAB, que está fundamentada no respeito às regras, aos árbitros, aos demais participantes e ao jogo em si.

Essa nova atitude está centrada em 3 pilares para desenvolver e usar as regras do jogo:

  • Criar, promover e proteger a legitimidade e integridade
  • Universalidade e inclusão, fazendo o jogo acessível a todos, independente de idade, raça, religião, cultura, gênero, orientação sexual, condição física ou mental e, principalmente, habilidade
  • Uso da tecnologia para beneficar o jogo.

A busca está em tornar o jogo mais justo, interessante e divertido por meio das regras para que tanto o jogo quando os jogadores sirvam de exemplo positivo para a sociedade e futuras gerações.

Como base na estratégia do IFAB, a proposta de mudanças tocam em 3 pontos cruciais que afetam o futebol nos diferentes níveis e em todas as partes do mundo.

  • Melhorar o comportamento dos jogadores e aumentar o respeito
  • Aumento do tempo de bola em jogo
  • Melhorar a legitimidade e o interesse do jogo

O documento oficial publicado pelo IFAB (em inglês) no website do programa (http://www.play-fair.com/) apresenta as propostas que podem ser adotadas em diferentes estágios: imediatamente, pronto para testes e para discussão.

Melhorar o comportamento dos jogadores e aumentar o respeito

O objetivo neste ponto é mudar o comportamento dos jogadores e da comissão técnica, especialmente dos treinadores, de forma positiva, fazendo aumentar o respeito ao espírito e ao texto das regras e aos árbitros das partidas. As propostas para isso incluem:

  • Aumentar a responsabilidade dos capitães das equipes (só eles falariam com o árbitro)
  • Acabar com reclamações de jogadores em cima dos árbitros (usando de punições mais severas a jogadores e ao clube)
  • Cartões amarelo e vermelho para os treinadores e comissão técnica (melhorar a comunicação das punições)
  • Cumprimento (aperto de mão) entre os árbitros e os técnicos das equipes antes das partidas
  • Cartão vermelho para jogador reserva diminui número de substituições da equipe

Aumento do tempo de bola em jogo

Em muitos casos uma partida de 90 minutos tem menos de 60 minutos de bola rolando, ou seja, muito tempo parado ou perdido. A proposta neste ponto é de melhorar esse número com as seguintes iniciativas:

  • Maior rigor controle do tempo adicional (acréscimos) ao fim de cada tempo
  • Arbitragem ser mais rigorosa com os 6 segundos que o goleiro segura a bola
  • Agilizar o processo de substituição
  • Mudar a forma de cronometrar o jogo (exemplo: tempos de 30 minutos com relógio correndo apenas com a bola em jogo)
  • Uso de relógio nos estádios em conexão com o relógio dos árbitros
  • Jogador poder sair jogando sozinho de um tiro livre, tiro de canto ou tiro de meta (permitir o segundo toque)
  • Permitir a cobrança de tiro de meta com a bola rolando
  • Restringir a cobrança do tiro de meta do mesmo lado em que a bola saiu (para evitar perda de tempo quando o jogador quer cobrar do outro lado)

Melhorar a legitimidade e o interesse do jogo

A fim de fazer o jogo mais justo e interessante de assistir, jogar, treinar e apitar, as propostas visam mudar conceitos conhecidos do jogo, como:

  • Alterar a sequência na cobrança nas decisões dos tiros penais
  • Permitir a defesa jogar a bola dentro da área nas cobranças de tiro de meta e tiro livre (dentro da área)
  • Expulsar jogador que marca gol com as mãos; Dar pênalti se o goleiro toca com a mão a bola recuada ou de um lateral seu; e árbitro conceder um gol se a defesa impedir um gol claro com a mão bem próximo à linha de meta
  • Encerrar os tempos de jogo somente quando a bola sair de jogo
  • Na cobrança de pênalti dar tiro de meta caso um gol não tenha sido marcado diretamente

As propostas são muitas, desde simples ações que não requer nenhuma mudanças nas regras, até pontos polêmicos e que mudam a dinâmica do jogo de certa forma.

O que achou?

Categorias:Notícia Tags:, ,

Copa das Confederações começou com uso intenso do árbitro de vídeo

No último domingo, foram dois gols anulados e um confirmado graças ao uso da tecnologia de vídeo.

Já na primeira rodada da Copa das Confederações 2017 na Rússia a competição começou interessante por conta do intenso uso do árbitro de vídeo (AV) para confirmar ou corrigir 3 decisões cruciais em duas partidas.

O árbitro argentino Nestor Pitana foi o primeiro a receber a ajuda da tecnologia quando seu árbitro de vídeo dedurou uma irregularidade. O juíz portenho anulou o que seria o primeiro gol de Portugal contra o México, por conta de um impedimento que não foi bem observado na origem do gol.

Na outra partida entre Camarões e Chile, o atacante chileno Eduardo Vargas marcou um gol no fim do primeiro tempo e saiu em comemoração. Porém, o árbitro Damir Skomina, da Eslováquia, recebeu a informação de que Vargas estava impedido no momento do passe de Vidal. Apesar da reclamação dos sulamericanos, o gol foi corretamente anulado.

Ainda na mesma partida, Vargas marcou o segundo gol e, antes mesmo de comemorar, olhou para árbitro para confirmar o tento e saiu para extravazar sua alegria. Quando viu o assistente com a bandeira levantada Vargas quase surtou. Desta vez, no entanto, o gol foi corretamente validado com a ajuda do AV para a felicidade dos chilenso.

– O recurso é uma nova regra. Se funcionar para o bem do futebol, me parece algo bom. No começo, não entendi muito bem por que o gol tinha sido anulado. Depois me informei, mas havia muita confusão – disse o treinador português Fernando Santos.

Para Juan Pizzi, técnico do Chile, é preciso entender essa nova cultura no futebol.

– Em outra situação antes deste campeonato teria sido válido esse gol. Será necessário que passe algum tempo, que conheçamos essas novas sensações. No nosso caso, poderíamos ter ido ao vestiário ganhando por 1 a 0, mas entraram com um 0 a 0. Temos que dar uma certa margem para ver como se desenvolve isso tudo. A ajuda tecnológica e quantidade de gente que revisa as ações refletirão em maior justiça, ainda que a parte negativa será a parte emotiva para os jogadores – comentou o treinador.

Até o momento o saldo foi bem positivo para a nova tecnologia que acertou em 3 lances capitais nas partidas. Isso ajuda a minimizar as reclamações e dúvidas pós-jogo. Será o fim das discussões de futebol ou uma nova era que ainda não conhecemos?

Chefe da arbitragem da CBF descarta interferência externa na Ressacada

Árbitro marcou pênalti e, mais de dois minutos depois, voltou atrás. Coronel Marcos Marinho afirma: “Absoluta certeza de que não houve nenhuma interferência externa”.

Depois da confusão instalada na Ressacada quando o árbitro da partida entre Flamengo e Avaí, Paulo Schleich Vollkopf (MS), voltou atrás na marcação de um pênalti a favor do time da casa, o chefe da comissão de arbitragem da CBF, coronel Marcos Marinho, não hesitou em dizer que não houve interferência externa para que a decisão inicial fosse alterada. Ele afirmou que a medida foi tomada pela equipe de arbitragem no gramado e disse que já pode confirmar que não ocorreu qualquer tipo de interferência alheia ao campo de jogo.

O lance da polêmica foi no segundo tempo, quando a partida já estava empatada em 1 a 1, e Éverton se embolou com Diego Tavares na área rubro-negra. O árbitro assinalou o pênalti, deu cartão amarelo para Éverton e, minutos depois, retirou a advertência e mudou a marcação. Foram dois minutos e vinte segundos do momento em que o pênalti foi marcado até a mudança de decisão. Os jogadores do Avaí reclamaram muito e o experiente Marquinhos, que já estava no banco de reservas após ser substituído, acabou expulso por reclamação.

Questionado sobre a possibilidade de interferência, Marinho foi incisivo:

– Não, nenhuma. Nenhuma interferência. Foi uma decisão da equipe de arbitragem, sem interferência externa.

Em seguida, Marinho foi questionado se já era possível ter essa certeza momentos depois da partida, já que houve uma demora de mais de dois minutos para a mudança de decisão. Novamente, ele foi direto:

– Absoluta certeza. Vão atrás e descubram. Absoluta certeza de que não houve nenhuma interferência externa, até porque as recomendações são muito severas quanto a isso. Pode falar que já confirmei isso aí. Não há.

Fonte: Globo Esporte

%d blogueiros gostam disto: